Filme - Manika: a menina que nasceu duas vezes

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Manika apresenta um caso real de reencarnação e como tal caso remexeu com os paradigmas de um padre católico e de uma família indiana.

Ambos servem para refletirmos naquilo que buscamos aqui: quebra de paradigmas e liberdade de percepção.

Para baixar o filme clique AQUI!

obs: O filme está arquivado em 7 partes numa pasta do 4shared.

Para quem acredita em reencarnação este filme talvez não apresente grande impacto, mas para quem não acredita o caso Manika leva a profundas reflexões.


O filme, embora romanceado, é o relato real do caso Shanti Devi, que nasceu na Índia em novembro de 1926 e que a partir dos 4 anos de idade começou a recordar com riqueza de detalhes de sua encarnação anterior como Ludgi Devi, a esposa de um rico brâmine de Mathura (Nepal), cidade que dista uns 140 quilômetros de Delhi e que morrera cerca de 1 ano antes de Shanti Nascer.


No filme Manika mora num pequeno vilarejo de pescadores e vive contando histórias de uma vida anterior de riqueza e opulência. Como não é levada à série a menina resolve fugir. O padre Daniel (Julian Sands), recém chegado ao vilarejo promete encontrar a menina e de tanto ouvir seus relatos decide levá-la ao Nepal. A viagem representa para Manika um reencontro com seu passado e para o padre Daniel é a descoberta de novos paradigmas para a sua fé.


O filme é pouco divulgado nas locadoras, mas é sem dúvida um trabalho muito bom e que vale a pena ser visto, pricipalmente por ser baseado em um fato real e que foi amplamente investigado, tendo inclusive sido matéria de várias revistas, como a italiana L´Europeo, que em seus números 640, 641 e 642, de 19 e 26 de janeiro e 02 de fevereiro de 1958, publicou, matéria ilustrada com inúmeras fotografias coloridas, uma longa reportagem de seu colaborador sueco Sture Lönnerstrand e que foi publicada resumidamente na revista reformador de junho de 1958.


Um fato curioso sobre Shanti Devi é que ela nunca casou e quando foi interrogada pelo repórter sobre o por quê, e ela respondeu que não casaria de novo. Então o repórter perguntou “Por que diz que não se casará de novo?” aos que ela retrucou: “Estou certa de que o senhor compreendeu o que eu quero dizer”. Assistindo ao filme você também compreenderá.


Colaboração: Paulo Roberto Martins
http://www.terraespiritual.locaweb.com.br/espiritismo/filme30.html

5 comentários:

Adri disse...

Nossa, vi esse filme há tantos anos... Quase 10. É muito triste nascer duas vezes.

F. A. disse...

Oi, Adri!

Talvez por isso exista algum valor em ver de novo, ver o que em você pode ter mudado em relação a percepção do filme.

Nascer duas vezes, nascer de novo, é uma expressão usada num outro contexto pelo Rabi Jesus e fala sobre o processo de transformação pessoal.

Quantas vezes não nascemos de novo nessa mesma vida? Parece que o nosso baço, salvo engano, se renova a cada dia completamente.

O caso da Manika me parece no mínimo intrigante e leva a todos os envolvidos a profundos questionamentos com relação a visão de mundo.

No intento do renascer,

F.A.

Bellinha disse...

Obrigada! Estive buscando este filme para a minha mãe que é espírita. Muito obrigada mesmo!

Sra.Bates disse...

ah q maravilha!
estava eu procurando esse filme por causa do Julian Sands, e pelo que vi, o filme promove uma bela mensagem xD


baixarei.

obrigada por compartilhar
abraço

sylvia.rosario disse...

Também cheguei até aqui procurando o filme.
E gostei muito das suas palavras!
Uma visão de alguém totalmente aberto a novas ideias e questionamentos, sem preconceitos.
Também adorei a forma como descreveu o filme, fiquei ansiosa para vê-lo!