Orações

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Não devo temer. O medo é o assassino do Real, é a pequena-morte que oblitera o Ser. Eu enfrentarei o meu medo. Permitirei que ele passe através de mim e quando se for, eu olharei, com a minha visão interna, o seu rastro. No espaço vazio que ele deixou, nada existe afinal... Só eu permaneço!

Duna

"Como não se desespera por relacionar-se com ninguém, o guerreiro pode escolher seus afetos com sobriedade e desprendimento, tomando cuidado a todo momento para que as pessoas com as quais consente em ter relações sejam compatíveis com sua energia."

As pessoas o roubam de você mesmo. Quando você não puder ser mais roubado os que ficarem serão seus verdadeiros amigos. O normal é que não reste ninguém, mas você então se bastará.

Quando você se encontrar no outro você será você mesmo.

Eu sou um guerreiro
Meu corpo é perfeito
Minha mente silenciosa
Meu coração desapegado
Aceitei a responsabilidade de quem vai morrer
Vivo para o cumprimento impecável de minha tarefa
Vivo para amar a terra inteira
Até o momento de arder em meu fogo interior

O guerreiro é um caçador imaculado que caça o poder - Carlos Castaneda.

Vídeo de um festival de música e dança na UCLA, a Universidade do nagual Carlos, na primavera de 2007. Interessante notar a interação fraterna entre o caçador (Oxosse) e o guerreiro (Ogum). Tais arquétipos expressam bem as qualidades do caminho do guerreiro através da arte.



2 comentários:

Frater D disse...

voltaram as sincronicidades...

Eduardo Janú disse...

ainda chego lá