Tantrismo: uma religião do Sagrado Feminino - 2ª parte

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Retenção - o segredo não dito

Isto é importante para enfatizar a IOGA DO TANTRA e substanciar suas técnicas de desenvolvimento espiritual no perfeito e ainda difícil controle da energia sexual. Textos tradicionais dizem que o sêmen contém conhecimento como o ovo contem a energia criativa primordial. Aqui o ponto está em fazer o praticante tomar consciência da quantia enorme de energia sexual em estado cru e fazê-lo ver que esta energia sutil pode ser controlada e seu poder direcionado para mais altos propósitos, (i.e. psicomental e espiritual).

Sendo que saúde mental, física e emocional, são fatores primordiais para a perfeita abordagem de qualquer das práticas sexuais de TANTRISMO. Tratados da civilização moderna deixam suas marcas em nossa integridade, assim nós necessitamos abrir um canal para o reaprendizado, para experimentar como toda intensidade possível nossos sentidos. Enquanto o cultivo da consciência sensorial nos for válido, aqui estão reunidas técnicas diferentes de amplificar o prazer sexual e de abertura até a experimentação do orgasmo sexual profundo, pode ser uma preparação útil ao TANTRA, essas técnicas incipientes fazem parte do TANTRA ainda que elas não sejam acompanhadas por um total controle.

A Ciência do Sages antigo (SIDDHAS) ensina que a força do impulso (a Força de Vida) pode ser transformada dentro de receptáculos superiores de energia chamada OJAS e TEJAS. O praticante direciona o impulso do orgasmo para ascender até seu centro de coroa (SAHASRARA), onde isto transforma-se no SOMA, no Néctar de Imortalidade. Através dos procedimentos do TANTRIC, o sêmen é absorvido pelo sistema do linfático. O sistema do linfático consiste do fluido (linfo) que banha os tecidos, sendo parecidos em composição com o plasma. O linfo contém células brancas envolvidas no sistema de imunidade do corpo. Essas células brancas produzem anticorpos, substâncias especiais que atacam os organismos estrangeiros (micróbios, etc.). Através do sistema do linfático, o sêmen alcança o cérebro (CORPUS CALLOSUM) onde isto é processado dentro dos receptáculos de energias sutis (OJAS e TEJAS) formados pela mais alta mente. Como o cérebro físico necessita oxigênio e proteínas para funcionar propriamente, a mais alta mente (superconsciência) necessita de grandes quantidades grandes de OJAS e energia do TEJAS. A energia do TEJAS é aquela energia que produz o halo que cerca a cabeça do santos. A energia do OJAS é aquela energia que confere um vigor extraordinário, força e virilidade.

A transformação de energia do sêmen dentro o OJAS e TEJAS não toma lugar unicamente nos homens. Mulheres que praticam IOGA DO TANTRA realizam a transmutação daquela energia que produz - o ovo (óvulo) e o ciclo menstrual. Essas energias são transformadas no OJAS e TEJAS exatamente como no caso dos homens. Como um resultado, o ciclo menstrual torna-se escasso ou até mesmo desaparece completamente, e a ovulação se processa lentamente ou para. Contudo, quando a concepção de um nenê é desejada, são permitidas as energias acumularem-se na área pélvica, a ovulação volta para o normal e o ciclo menstrual aparecerá outra vez.

Outra característica importante do Caminho do Tantrismo é aquele crescimento espiritual que é compreendido através da geração e acúmulo de cargas extremas de energia (SHAKTIPATA) espontaneamente produzido durante a prática levando ao praticante a viver emoções intensas, incluindo ambas emoções não sexuais e sexuais. A Existência Suprema revela a si mesmo instantaneamente durante o tumulto de emoções violentas tal como terror extremos, curiosidade viva, compaixão profunda, raiva total, prazeres incomensuráveis.

"Para Quem penetra dentro a Realidade Suprema, tudo que está a mão é valido e passível de consideração como um modalidade; porque, como o sistema do TRIKA coloca, a existência humana não deve se submeter a quaisquer restrições (para que atinjam assim as Supremas)".

Um texto do TANTRIC segredo

Quando controlado e direcionado por uma mente lúcida, esta intensidade predominante das emoções extremas cria um vínculo instantâneo de todos níveis da existência humana (física-sexual, mental-espiritual e emocional) que são normalmente desconectadas e portanto agem independentemente. Assim, o praticante torna-se atento a força abissal interior que ele mesmo mantém soterrada dentro dele e começa trazer isto a superfície. A transcendência dos níveis inferiores de conhecimento é compreendido através de um excepcional frenesi experimentado a todo momento da vida do cotidiano. Desta Forma, a dualidade desaparece dentro uma unidade brilhante do Conhecimento Supremo, sem mudança (NIRVIKALPA).

O TANTRISMO usa, portanto, o Caminho de Energia (SHAKTOPAYA - a descendência de SHAKTI) como uma ferramenta para alcançar a Realização Final. O Tantrismo tem uma aproximação única ao esclarecimento e a transcendência. Na visão do Tantra, o aumento da intensidade de sentimentos de um praticante, prazeres, desejos, instintos naturais (queimando em ardor, paixão forte, excitação turbulenta, etc.), provocando um ESTADO ESPECIAL DA MENTE (este estado de mente é lúcido e ponderável) torna-se uma ajuda poderosa que proporciona um conhecimento aumentado, concentra força espiritual e conduz para a liberação da Pessoa e para a união com o Absoluto. O TANTRISMO ensina para seus estudantes que, enquanto vivendo em um estado de separação perfeita e claridade da mente, exaltar suas sensações para sua a mais alta intensidade e então usar isto como um combustível do foguete espiritual(?).

Nesta visão, não há bom ou ruim, não há baixo ou nenhuma mais alta. Há unicamente energia (SHAKTI). É puramente nossa atitude interior que determina a moralidade de uma ação. Seres Humanos têm duas escolhas: para deixar esta energia controlar suas vidas - e então tornarem-se seus escravos – ou, ao contrário, controlar isto através das técnicas do TANTRISMO - e então eles tornam-se os mestres disto. O TANTRISMO sabe que o segredo de vida e morte esta principalmente em controlar o poder da energia sexual, que é a prima facie, o aspecto basal das existências humanas. Sexualidade é submetida a uma disciplina rigorosa, sendo direcionada para conquistar o controle dos desejos. Isto é o significado profundo do BRAHMACHARYA - o YAMA terceiro. A pessoa que pratica prosperamente BRAHMACHARYA é chamado BRAHMACHARIN = o que usa felicidade substancial para atingir felicidade espiritual.

Portanto, no momento da explosão de uma emoção, o YOGIN torna-se introvertido e termina a emoção por retirar os sentidos internos do objeto (que causam ao praticante aquela emoção) e por enfocar a energia desta emoção à um determinado fim.

A união sexual de dois companheiros que permutam laços de carinho mutuamente, faz a ANANDA (felicidade) tornar-se manifesta. Descansando a mente (Pessoa) nisto conduz à identidade (SAMADHI) com o Final. Quando, por causa da satisfação dos sentidos (que a união sexual produz) o aspecto mais poderoso da ANANDA (felicidade) emerge, os dois companheiros ascendem acima dos sentidos e experimentam a unidade de SHIVA e SHAKTI - Conhecimento e Energia. Para alcançar isto, o fluxo da energia vital deverá ser lançando a coroa da cabeça (SAHASRARA).

-->
Comprovação biológica

O Tantra (que são meios de "tecer juntamente") é um termo soltamente aplicado para um sistema de ioga do Hindu em que a união de princípios masculinos e femininos é adorado. Em prática, isto tem criado uma corrente de praticas de rituais sexuais em que a permuta não orgasmática, lenta é vista como um caminho para uma experiência do expansão de consciência. Uma versão modificada de Hindu Tantra pode também ser encontrado no Budismo Tibetano.

O termo Tantra está também aplicado a práticas (primeiramente Ocidental) religiosas ou práticas espirituais em que permuta não orgasmática sexual, lenta ou masturbação formam um caminho à experiência de êxtase espiritual. Algum destas práticas Ocidentais surgiram durante o século 19, aparentemente por descoberta espontânea embora um popularizador do Tantra Ocidental (Alice Bunker Stockham) tenha se tornado conhecido por Ter viajado à Índia para estudar o Hindu Tantra. Cada "descobridor" deu ao seu sistema um nome único Continence Masculino, O Caminho Melhor, Karezza, Os Mistérios Do Anseiratic, Descoberta Do Zugassent, Magnetation, etc.

Em minha opinião pessoal a razão por que o Tantra persiste apesar do despeito da religião e perseguição à sexualidade nas maiores civilizações modernas, é que ele surge espontaneamente em eras diferentes e lugares, e em razão disto cruza fronteiras sócio-culturais, e que isto é baseado sobre algum fator neurológico; alguma coisa que, quando praticada corretamente, permite os participantes experimentar o que parece ser, para todas intenções e propósitos a presença da divindade na pessoa do companheiro de sexo.

Este ensaio começou com a leitura de um texto bem peculiar de um livro de uma doutora norte-americana que conta sua experiência com o Tantra sexual. Ela diz que tudo começou com o e-mail particular de um homem que disse ela desejava algumas instruções claras sobre o Tantra. Ele não era religioso e não foi interessado no Hinduismo, assim ele se preocupou em saber se aquele Tantra poderia levá-lo a se converter para alguma religião ou outra coisa parecida. Ele também desejou saber se estudando Tantra poderia controlar seus orgasmos. Ele disse que ele estava tentando "suprimir" seus orgasmos pois sofria de ejaculação precoce e não estava tendo muito sucesso.

O seguinte texto compreende uma explanação anatômica básica e técnica (não-religiosa). Eu não sou um professor do assunto. Por isso aqui esta valendo, somente a estória relatada:

Eu sou uma mulher velha de 48 anos que havia lido o primeiro tratado sobre sexo tântrico em 1962. E levei até 1975 para encontrar alguém com quem desejasse tentar algo neste sentido. Ele tinha lido o tratado também; nenhum de nós teve um professor. Isto funcionou para nós! Isto não nos tornou companheiros de vida e também não nos fez querer tornar-nos marido e mulher. Nós não montamos um culto religioso. Isto apenas aguçou nossas vistas espirituais para a beleza sexual e o poder da unidade.

Depois de um longo tempo, em 1977, um amigo meu disse-me que ele desejou tentar as técnicas comigo. Nós nunca tínhamos feito amor antes, assim nós discutimos o assunto por aproximadamente uma hora e então nós praticamos o Tantra. Outra Vez, uma experiência espiritual foi encontrada crescer deste humilde ato biológico. Embora este homem e eu tenhamos raramente nos visto mutuamente desde então eu (ainda) não encontrei outro homem que poderia tentar isto comigo, aquela experiência mudara minha vida, aí eu soube então que os calhamaços de tratados religiosos que eu tinha lido sobre Tantra eram somente um punhado de considerações sócio-culturais postos acima de uma verdade biológica espiritual básica.

Que aquela verdade foi obliquamente abordada por John C. em suas pesquisas. Lilly fez experiências com macacos em 1950 (antes ele obteve resultados surpreendentes dentro pesquisas do cérebro de golfinho). Como documentado em seu livro, "O Centro do Ciclone," ele encontrou que há quatro pontos no cérebro, arranjado em uma fila, que controla a resposta sexual de macacos (masculinos). Foram usados macacos do sexo masculino porque suas respostas sexuais (intumescência, ejaculação, etc.) são mais fáceis de serem percebidas e então quantificadas que as respostas de macacos do sexo feminino, mas o mecanismo é o mesmo em ambos os sexos.

A primeira série neural tem seu papel na área da estimulação (ereção). O segundo ponto é regulador contração muscular (ejaculação). O terceiro ponto é regulador o orgasmo em si mesmo (sensação de culminação do ato sexual). O quarto ponto ele chamou de "domina interruptor", quando este foi estimulado, ele ligou os três previamente mencionados centros, levando o macaco a experimentar ereção, ejaculação, e orgasmo no sentido do previsível usual.

A descoberta destes quatro pontos no cérebro indica que através de práticas e de termos aprendido o controle, podemos separar o “dispositivo de entrada” centralizador do processo e assim experimentar ereção (sistema do circulatório), ejaculação (sistema muscular), ou orgasmo sistema neural) independente ou mutuamente.

Todos nós alguma vez já experimentamos esta dissociação do “dispositivo de entrada” centralizador em um tempo ou outro (nem sempre sobre o domínio de nossa vontade consciente) como quando, por exemplo, nós alcançamos intumescência mas não orgasmo, ou temos uma ejaculação “involuntária", ou temos um orgasmo "insatisfatório" em que as contrações não trazem o grau normal de prazer sensorial. O que o Tantra ensina é como controlar essas coisas de modo que possamos experimentar orgasmo sem contração, assim prolongá-lo além do biologicamente controlado, restrição imposta pela quantia de tempo que isto varia entre indivíduos, mas temos uma média de 8 a 25 contrações normalmente.

Assim em termos estritamente biológicos a prática de Tantra torna-se algo consangüíneo à prática de treinamento do biofeedback. Isto está classificando que o nível de aprendizagem é igual ao de movimentar suas orelhas, isto é, alguma coisa que você tem que trabalhar, porque o sistema psíquico controla o sistema muscular envolvido e não está separado de nosso treinamento em vida.

De onde vem a experiência de espiritualidade? Eu acredito que se origina de nosso sistema neurológico. Existências Humanas parecem estar equipadas para experimentar o mundo parapsicobiofisico. Muitas velhas técnicas para perceber o realismo do espírito usam repetições (de hinos, orações, palavras, danças) enquanto tentam nos direcionar para as forças cósmicas. O Tantra fornece as mesmas características de repetição e atenção. Isto não é o único caminho para alcançar felicidade espiritual, como seu praticantes religiosos afirmam, mas isto é um caminho, e que é bastante bom para mim.

A.D.

Nenhum comentário: