Iansã: Oiá ganha de Obaluaê o reino dos mortos

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Certa vez houve uma festa com todas as divindades presentes. Omulu-Obaluaê chegou vestindo seu capucho de palha. Ninguém o podia reconhecer sob o disfarce e nenhuma mulher quis dançar com ele. Só Oiá, corajosa, atirou-se na dança com o Senhor da Terra.

Tanto girava Oiá na sua dança que provocava vento. E o vento de Oiá levantou as palhas e descobriu o corpo de Obaluaê. Para surpresa geral, era um belo homem.

O povo o aclamou por sua beleza. Obaluaê ficou mais do que contente com a festa, ficou grato. E, em recompensa, dividiu com ela o seu reino. Fez de Oiá a rainha dos espíritos dos mortos.

Rainha que é Oiá Igbalé, a condutora dos eguns. Oiá então dançou e dançou de alegria. Para mostrar a todos seu poder sobre os mortos, quando ela dançava agora, agitava no ar o iruquerê, o espanta-mosca com que afasta os eguns para o outro mundo.

Rainha Oiá Igbalé, a condutora dos espíritos. Rainha que foi sempre a grande paixão de Omulu.

Mitologia dos Orixás – Reginaldo Prandi – 2001

Podemos extrair alguns ensinamentos preciosos dessa história.

O mito nos ensina que a vibração de Iansã revela o que está oculto, tal como fez com relação à Omulu. Omulu que tinha o trauma de carregar um copor cheio de chagas devido a peste, devido a um nascimento difícil. Assim trabalhar dentro dessa vibração revela o que está oculto em nós e também a nossa volta, revela, por exemplo, a traição, sob todas as suas formas, porque Iansã é uma guerreira de peito aberto, abomina a hipocrisia, de tal forma que precisa abrandar sua sinceridade para não ferir com língua ferina.

Ela revela o belo que há em nós, ao expor aquilo que precisa ser exposto, mesmo que num primeiro momento não seja belo.

Isso lembra as seguintes frases do Evangelho de Tomé :

Jesus disse: "Reconhece o que é visível para ti, e o que te é oculto te será desvelado. Pois que nada há de oculto que não haja de ser manifestado".

Disse Jesus: "Se derdes à luz o que tendes dentro de vós, o que tendes dentro de vós a vocês salvará. Se não tendes dentro de vós, o que não tendes dentro de vós vos matará".

É como o trauma que para ser superado precisa emergir para a consciência sem bloqueios. Eis uma das funções da vibração de Iansã, por isso ela conduz os mortos, tem poder sobre eles, pois esses mortos ou eguns aludem justo aos elementos obscuros do inconsciente que precisam vir a luz da consciência. Daí a forte ligação entre Iansã e Omulu.

Para quem estuda Tarot isso não nos remete ao simbolismo do arcano 20, "O Julgamento"?

Iansã é reveladora.

Seu vento também imprime rapidez nos processos da vida, por isso se diz que Iansã é impaciente, obviamente isso é uma antropomorfização da força deste Orixá.

Ê parrê, Oiá!

2 comentários:

Nancy Passos disse...

Oi F.A !!

vou te contar, mas que os outros Orixás não fiquem com ciúmes rs...

Iansã é minha favorita, desde que li algo sobre ela e me falaram logo gostei, talvez tenha identificado algo em mim, foi quando me disseram que ela é a Senhora dos raios e trovões e eu desde criança adoro os dois para desespero da minha mãe rs...em dia de chuva forte, eu ficava na janela só observando querendo sair de casa rs...

Beijos,
Nancy

F.A. disse...

Oi, Nancy!

Isso não deve ser por acaso. Iansã tem muitas qualidades que a ligam a Escorpião. Temas como a sexualidade, morte, uma inteligência aguda para penetrar na alma humana, a ligação com os ancestrais, a intensidade da paixão são comuns a este Orixá e ao signo da casa 8.

Mas também eu gosto muito desse Orixá. Admiro especialmente sua inteligência e capacidade de aprender, pois Iansã absorveu qualidades de vários Orixás com quem se relacionou, coisa que revela uma verdade energética sobre os relacionamentos muito interessante.

No intento,

F.A.