Tarot, poesia e solidão

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

- Sinto-me tão só!

- Encontro-me só.

Sentir-se só é uma coisa, estar só é outra bem diferente.

A primeira é psicológica. A segunda é física.

Podemos estar solitários a dois ou numa multidão.

Podemos estar sozinhos sem nos sentir solitários.

Quando o poeta Manuel Bandeira disse que os corpos se entendem mas as almas não, ele quis dizer algo sobre a dificuldade das almas se comunicarem, essa incomunicabilidade das almas é um sintoma da solidão.

Quando não encontro ninguém a quem eu possa comunicar o que vai na alma isso resulta em solidão.

A exigência da alma que não encontra seu par: solidão.

Talvez por isso o poeta escreva, para abrandar a solidão.

Mas quando ele, poeta, escreve, ele cumpre uma exigência de sua própria alma, e isso o conecta com um propósito mais amplo do seu próprio ser. Essa conexão se torna uma cura para a solidão. Assim a cura para a solidão não é apenas uma alma encontrar outra com a qual se entenda, mas é a própria alma conectar-se com algo mais vasto que a faz sentir-se cumpridora de um propósito, propósito para o qual ela existe. No caso do poeta, escrever poesia. Eis a sua paixão.

A cura para a solidão é o encontro da alma com o seu próprio destino.

Assim a solidão é uma doença da alma que foi afastada do seu propósito verdadeiro para cumprir anseios que não são seus.

Nossa sociedade é uma sociedade de solitários que buscam abrandar o isolamento de diferentes maneiras.

A forma preferida de anestesia para a solidão é a paixão. Uma estranha conexão. Solidão e paixão. Eremita e Diabo, uma curiosa interação.

Há outras formas de anestesia, tais como consumir vorazmente, outra expressão do 15º arcano. Há um mito sobre Exu, um mito conectado a este arcano, que fala que ele começou a tudo devorar. Assim nos comportamos em nossa ânsia, em nosso desejo de completude que não encontra a sua saciedade. Assim por vezes esgotamos nossas relações e acabamos por sós ficar. Talvez por isso a Temperança preceda o Diabo, como um aviso de moderação.

Por isso o poeta disse: porque os corpos se entendem, mas as almas não. Isso parece estar de certa forma simbolizado no arcano 15 do Tarot.

E no entendimento dos corpos acreditamos, as vezes, que possa ocorrer também o entendimento das almas. Mas é uma ilusão que o tempo rapidamente desfaz. De tal maneira que as pessoas sentem medo de assumir um compromisso, pois não querem sentir a ressaca da pós-paixão. O que fica depois que o prazo de validade do tesão se esgota? Na maior parte das vezes duas almas que não se entendem. Então, "sabiamente", criou-se o verbo "ficar" para indicar uma relação descartável, rápida e indolor que evita o risco do contágio da decepção. Mas que mantém a doença da solidão intocada na sua causa e anestesiada nos seus sintomas. Transar, foder pode ser como tomar doril, tomou "doril", a dor da solidão sumiu! Mas não há garantias. Afinal nunca foi tão fácil transar, mas a impotência de amar encontra seu par na solidão, seja a dois ou com mais pessoas.

O que ocorre, afinal? Somos 6 bilhões de pessoas ávidas de amor e fartas de sexo. Estranho paradoxo. Por que com tanta gente no mundo as pessoas estão tão solitárias? Por quê? Talvez o poeta já tenha matado a charada: porque os corpos se entendem, mas as almas não.

Mas nem sempre. Há corpos que se entendem bem, outros não. Assim também há almas. Pelo visto o poeta não foi tão sortudo no amor, quanto foi na paixão. Mas isso também não é uma questão de sorte ou apenas de sinastria ou de destino. É preciso um certo esforço, um certo cuidado, uma certa atenção, uma certa dosagem, que é uma descoberta pessoal de paixão e amor, de corpo e alma, de completude e solidão.

FACS

3 comentários:

Shin Tau disse...

Bom dia FACS,

mais uma pérola que nos desperta para outros níveis da nossa consciência! De facto também sinto que hoje já não estamos para cuidar, nutrir e esforçarmo-nos por conhecer as almas. Afinal o corpo é bem mais fácil krkrkrkr

Bela distinção entre solidão e estar solitário.

Beijocas

FACS disse...

Oi, Shin Tau!

De certa forma quando não cuidamos da alma o corpo padece, mas o materialismo ainda dominante nos impede de ver a conexão entre um e outro. Essa conexão é feita muitas vezes pelo sonho. É um meio de contato entre a alma e o corpo. Esse post foi fruto de um sonho.

Grato pela companhia!

No intento,

FACS

CHÎNÅ .3Ө disse...

O relacionamento a dois pode, em casos raros, ser completamente espiritual.

Isso ocorre quando pessoas muito semelhantes em grau e muito diferentes em qualidade se unem.

essa é a busca...