Opção sexual

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

A ignorância é a mãe da crença. A compreensão é matricida.

Escrever "opção sexual" é estranho. Ninguém opta por um forma de expressão da sexualidade. Não é um processo de escolha consciente e racional como o termo "opção sexual" quer fazer crer. As opções aceitas pela sociedade não são opções. São apenas meras aceitações sociais daquilo que somos. Se aquilo que somos está dentro da ordem social, então a aceitação daquilo que somos não gera conflito com o meio social. Mas se aquilo que somos não é aceito pela sociedade então instaura-se o conflito e uma forma de enfrentamento desse conflito é mascará-lo pela expressão "opção sexual". Isso dá uma falsa idéia de autonomia existencial, porque aquilo que somos nunca poderá ser uma opção, é apenas um reconhecimento de si, uma aceitação do ser.

Ninguém para a refletir numa certa altura da vida sobre a sua opção sexual como se fosse uma escolha de vestibular.

Um dia talvez possamos entender o que significa: auto-aceitação e "viver e deixar viver".

Nenhum comentário: