Porque a mudança mais importante é a da consciência.

sábado, 27 de novembro de 2010

Quando a mente olha para a mente

As Últimas Instruções
Machig Labdrön, (1055-1153)


Por noventa e nove anos, eu trabalhei pelo benefício dos seres.

Agora este trabalho está quase completo.

Eu não nascerei novamente neste reino humano em uma forma física,

Nem deixarei para trás quaisquer restos ou relíquias.

Mas as minhas emanações no mundo serão inumeráveis;

E muitos irão reconhecê-las.

Elas serão percebidas de diferentes modos,

Dependendo do karma, puro ou impuro.

Compreendam isto, meus filhos.

Filhos afortunados, mantenham isto em seus corações.

Minhas instruções sobre o Chöd

São os ensinamentos autênticos do Mahamudra [tib. Cha gya chen po].

Este Mahamudra não pode ser explicado em palavras.

Ele não pode ser explicado, mas é como isto:

Chag; é a natureza da vacuidade [da mente].

Gya; é a liberação da vastidão [das aparências] do samsara.

Chenpo; é a união inseparável [das aparências e da vacuidade].

Primordialmente co-emergente, [esta inseparabilidade] como o espaço

Não faz nada, não é dependente de qualquer coisa.

Do mesmo modo, a mente em si, [natural e co-emergente,]

Não tem suporte, não tem objeto:

Deixem-na descansar em sua expansão natural sem qualquer fabricação.

Quando os vínculos [dos pensamentos negativos] forem liberados,

Vocês serão livres, não há dúvida.

Quando se olha para o espaço,

Todos os outros objetos visuais desaparecem;

Também é assim para a mente em si.

Quando a mente está olhando para a mente,

Todos os pensamentos discursivos cessam

E a iluminação é atingida.

No céu, todas as nuvens desaparecem no próprio céu:

Para onde quer que elas vão, elas não vão a nenhum lugar;

Onde quer que elas estejam, elas não estão em nenhum lugar.

É o mesmo para os pensamentos na mente:

Quando a mente olha para a mente,

As ondas do pensamento conceitual desaparecem.

Do mesmo modo que o espaço vazio

É destituído de forma, cor ou imagem,

Assim também a mente em si

É livre de forma, cor ou imagem.

Assim como o coração do sol

Não pode ser velado por uma eternidade de escuridão,

Do mesmo modo a realização da natureza última da mente

Não pode ser velada por uma eternidade de samsara.

Mesmo que o espaço vazio

Seja nomeado ou convencionalmente definido,

É impossível apontá-lo como sendo "isto".

É o mesmo para a claridade da mente em si:

Apesar de suas características poderem ser expressas,

Ela não pode ser apontada como sendo "isto".

A característica definidora da mente

É ser primordialmente vazia como o espaço;

A realização da natureza da mente

Inclui todos os fenômenos sem exceção.

Uma vez que os pensamentos discursivos sejam totalmente abandonados,

O dharmakaya nada mais é do que isso.

Uma vez que os cinco venenos sejam totalmente abandonados,

As cinco sabedorias nada mais são do que isso.

Uma vez que os três venenos sejam totalmente abandonados,

Os três kayas nada mais são que do que isso.

Uma vez que a mente convencional seja totalmente abandonada,

O estado búddhico nada mais é do que isso.

Uma vez que o samsara seja totalmente abandonado,

O nirvana nada mais é do que isso.

Uma vez que a agitação mental seja totalmente abandonada,

Os meios hábeis nada mais são do que isso.

Uma vez que a vacuidade seja totalmente abandonada,

A sabedoria diferenciadora nada mais é do que isso.

Uma vez que a mente seja totalmente abandonada,

Os lugares tenebrosos nada mais são do que isso.

Uma vez que a virtude e a não-virtude sejam totalmente abandonadas,

Os deuses e demônios nada mais são do que isso.

Uma vez que as seis consciências sejam totalmente abandonadas,

As seis classes de seres nada mais são do que isso.

Uma vez que as oito consciências sejam totalmente abandonadas,

Os oito exércitos dos demônios nada mais são do que isso.

Uma vez que os pensamentos errantes sejam totalmente abandonados,

As exibições mágicas nada mais são do que isso,

A absorção meditativa nada mais é do que isso,

A prática das quatro sessões diárias nada mais é do que isso.

Uma vez que os pensamentos discursivos sejam totalmente abandonados,

A prática do Chöd nada mais é do que isso.

Uma vez que a atenção seja alcançada,

O nível de realização final nada mais é do que isso.

Uma vez que [a natureza última] da mente seja realizada,

O sinal definitivo da realização nada mais é do que isso.

Abandonando todas as atividades corporais,

Permaneçam como um feixe de palha cortada.

Abandonando todas as expressões verbais da fala,

Permaneçam como uma viola com as cordas completamente cortadas.

Abandonando toda atividade mental,

Isso é o Mahamudra.

Na tradição do Dharma desta velha senhora,

Nada há a ser feito além disto.

Ah, filhos afortunados e discípulos reunidos aqui,

Estes seus corpos são vazios e claros como as profundezas do espaço.

Relaxem nesse estado natural, livre de fabricação.

Quando a mente está sem qualquer suporte, isso é o Mahamudra.

Tornando-se familiar com isto, misturem suas mentes com isso -

Isto é o estado búddhico.

Vocês podem recitar mantras, ser diligentes na oferenda de formas,

Ser versados nos ensinamentos de todo o Tripitaka,

Incluindo o Vinaya e as escolas filosóficas com seus respectivos dogmas,

Mas isso não os fará realizar o Mahamudra, a natureza da mente.

Apegados aos seus próprios pontos de vista,

Vocês meramente obscurecem a clara luz de suas mentes.

A proteção aos votos que são meramente conceituais,

Prejudica o samaya no sentido último.

Permaneçam livres das fabricações mentais,

Livres de consideração por vocês mesmos,

Como as ondas na água, naturalmente surgidas, naturalmente acalmadas,

Sem conceitualizações, sem permanecer nas [visões] extremas.

Na pureza primordial da mente,

Não há transgressão aos seus samayas.

Livres do desejo e do apego, e livres das [visões] extremas,

Como uma única luz que elimina a escuridão,

Vocês realizam de uma só vez os ensinamentos do sutra,

Do tantra e de todas as outras escrituras.

Se você aspirarem a este caminho, vocês serão livres da infinidade do samsara.

Se vocês entrarem neste caminho,

vocês eliminarão todas as aflições mentais sem exceção.

Se vocês atingirem este caminho, vocês atingirão a mais alta iluminação.

Aqueles que não visam isto estão todos deludidos.

Aqueles que não entram neste caminho estão na escuridão como os cegos

E certamente serão levados pelo rio de sofrimento do samsara.

Este sofrimento é insuportável - tenham compaixão por estes tolos.

Se vocês quiserem ser livres do sofrimento do samsara,

Em todos os momentos confiem em um mestre qualificado,

um amigo espiritual erudito e realizado.

Rezem ao mestre com respeito e devoção,

Sirvam-no bem e peçam as instruções orais.

Tendo analisado as palavras do mestre, pratiquem de acordo com elas.

Uma vez que a bênção tenha entrado nos seus corações,

Vocês virão a reconhecer [a natureza] de suas mentes.

Alas, os fenômenos do samsara não têm essência.

Eles são a causa do sofrimento que experienciamos,

Que aumenta e permanece.

Vocês não perceberam que esta vida é gasta na agitação?

Se vocês acham que irão praticar o Dharma quando tiverem o lazer,

Vocês perderão esta oportunidade.

A vida humana é gasta no pensamento de que

"Eu vou praticar o Dharma depois".

O que aconteceria se vocês morressem em um acidente?

Se vocês não meditarem com perseverança agora,

E se vocês morrerem amanhã, quem então poderá fornecer-lhes o Dharma autêntico?

Se vocês não fizerem por vocês mesmos,

Quem bem terá a prática de Dharma dos outros?

É como o sonho de um mendigo,

No qual ele é rico em esplendor, em comida e em riqueza.

Ao acordar, tudo isto é perdido sem deixar pistas,

Como a passagem de um pássaro no céu.

Todos os fenômenos compostos no mundo são assim.

Bem agora, vocês têm a oportunidade.

Procurem pela essência da mente - isto é significativo.

Quando vocês olham para a mente, nada há a ser visto.

Neste próprio não-ver, você vê o significado definitivo.

A visão suprema está além de toda dualidade de sujeito e objeto.

A meditação suprema é sem distração.

A atividade suprema é sem esforço.

A fruição suprema é sem esperança e medo.

A visão suprema é livre do ponto de referência.

A meditação suprema está além da mente conceitual.

A atividade suprema é a prática sem fazer.

A fruição suprema está além de todos os extremos.

Se vocês realizarem isto, a iluminação é atingida.

Se vocês entrarem no caminho [do Mahamudra],

Vocês alcançarão a natureza essencial,

Vocês cortarão os conceitos errôneos sobre o interno, o externo e o meio,

Vocês entenderão todos os ensinamentos dos caminhos superiores e inferiores,

Vocês derrotarão os oitenta e quatro mil venenos,

Vocês aperfeiçoarão simultaneamente os sintomas,

O sinal [de realização] e o nível de realização final,

E vocês atravessarão o oceano do samsara.

Este velha senhora não tem instruções mais profundas do que estas para dar a vocês.

(...)

Meu ensinamento autêntico, a doutrina única do não-nascido,

É o maior de todos os sistemas de instruções profundas.

Esta separação do corpo e mente e de suas bênçãos

É a maior de todas as transferências de consciência.

Esta oferenda dos agregados corporais

É o maior de todos os banquetes.

Esta vagueação nas solidões das montanhas e nos lugares tenebrosos

É o maior de todos os monastérios.

Esta companhia de deuses e demônios ilusórios

É o maior de todos os benfeitores.

Esta prática livre dos extremos da esperança e do medo

É a maior de todas as atividades virtuosas.

Esta ação, a experiência não-obscurecida de um único sabor

É o maior de todos os caminhos de ação.

Esta essência de significado último, além do pensamento e da expressão,

É a maior de todas as práticas do Dharma.

Nenhum comentário: