2010: Ano de Imperatriz

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010


2010, ano de Imperatriz.

As luzes dos enfeites de Natal já anunciam a virada do ano aqui em São Lourenço, sul de Minas. Parecem já querer iluminar o caminho do ano que está por nascer: 2010, um ano para dar a luz, onde o que estava se desenvolvendo em segredo vem à tona, se mostra, se revela e se faz anunciar pela Imperatriz, o arcano 3 do Tarot.

A Imperatriz é a mulher diante do mundo do poder. 2010 é um ano da mulher, um ano do feminino, é um ano onde a mãe Terra irá dar a luz a novas realidades e percepções para seus filhos, nós. No Tarot Mitológico a Imperatriz está representada por Deméter, a Deusa da Terra e a Terra como Deusa, Gaia. Assim a Imperatriz é uma representação da Divindade em seu aspecto feminino e também uma representação do próprio planeta, que é o corpo da Deusa-Mãe. Interessante, a Terra é o terceiro planeta em relação ao Sol dentro de nosso sistema. Grávida, Ela, nossa Terra, esse planeta azul cheio de vida, quer parir uma nova humanidade.

Em termos do Tarot podemos traçar uma correlação com a vibração de Iemanjá, mãe dos Orixás, Senhora das Águas do Mar. Na Astrologia teremos como regente o planeta Vênus, que reforça a vibração feminina. Mas na verdade a Imperatriz é a própria consciência feminina manifesta, assim ela representa diversos arquétipos, diversas formas do Sagrado Feminino. Em termos de Orixás também temos que incluir Oxum e Iansã.

É bom lembrar que toda a vibração é polarizada, cabe a nós utilizar o aspecto positivo da energia para gerarmos beleza, harmonia, criatividade, inspiração, amor, arte e comunicação verdadeira, atributos próprios da Imperatriz. Assim é bom dizer que no Tarot não existem cartas boas ou ruins, existem padrões de energia simbolizados pelas cartas que possuem tanto o pólo negativo quanto o positivo.

Coincidência para alguns, sincronicidade para outros, temos também em 2010, ano eleitoral aqui no Brasil, três mulheres candidatas a Presidência da República: Dilma Roussef, Marina Silva e Heloísa Helena. Três manifestações da Imperatriz. Mas o que isso representa?

Representa a força atuante da mulher em nossa sociedade e a oportunidade dessa força se expressar com maior poder. Ainda mais se considerarmos que a maioria dos votantes são mulheres. No Chile, na Alemanha e na Argentina já temos mulheres no poder.

Naturalmente que a presença da mulher no poder por si só não altera a rigidez da estrutura política (lembram-se da Margareth Thacther, a dama de ferro?), mas tem um efeito simbólico interessante e pode representar uma flexibilização, uma maior sensibilidade nas questões institucionais.

Em todos os setores da sociedade a mulher se faz mais presente, seja liderando e sustentando a família, seja participando mais ativamente nos assuntos relativos ao auto-conhecimento, à psicologia, ao esoterismo e ao questionamento do papel da mulher e do homem na sociedade atual. 2010 representará uma presença maior ainda da mulher em todas as esferas da sociedade, e mais ainda da própria consciência feminina.

É interessante darmos uma olhada no que aconteceu no mundo no último ano de Imperatriz que tivemos, pois podemos identificar padrões que tendem a se repetir.

Vamos fazer um mergulho bem profundo aqui com o arcano da Imperatriz, não vamos ficar apenas na parte rasa, vamos fundo e vou aproveitar para linkar certos assuntos a vídeos esclarecedores que existem pela internet. Meu intento é usar através desse texto todos os recursos de mídia para demonstrar o que é a Imperatriz. Imperatriz também é mídia, é comunicação. Respirem, respirem fundo e vamos! Os mares da Imperatriz são profundos e transcendem nossas noções de bem e mal.

O último ano de Imperatriz que tivemos foi 2001, marcado na história da humanidade pelo atentado de 11 de setembro que destruiu as torres gêmeas do World Trade Center, nos EUA. Um evento aparentemente mais para o arcano 16 ou para Torre (segundo os íntimos) do que para Imperatriz, mas que deixou tantas dúvidas e tantos questionamentos que geraram documentários como Zeitgeist.

Zeitgeist é um documentário lançado em 2007, especialmente para a internet e que você nunca verá na tv aberta, que, dentre outras coisas, questiona de forma inteligente, didática, polêmica e instigante a versão oficial sobre o atentado. Recentemente, o ator Charlie Sheen veio a público, exatamente em 11 de setembro de 2009, em nome das famílias dos que morreram no WTC, pedir a reabertura das investigações, pois estas deixaram muito a desejar. Zeitgeist e a fala questionadora de Sheen são exemplos da Imperatriz em ação, questionando de forma inteligente, através da mídia e da fala a estrutura de poder. O que se pode esperar em 2010 é um aumento desses questionamentos e novas revelações sobre os segredos dos podres poderes desse mundo, e, quem sabe, de outros.

Hoje, a própria mídia é um poder, o chamado 4º poder, talvez seja ela, a mídia, o poder por excelência no mundo atual, pois o poder de informar é o poder de modelar as nossas mentes numa determinada visão da realidade. Jornalistas e publicitários bem o sabem.

Mas em 2001 um outro evento muito importante aconteceu. Não foi veiculado na "grande" mídia e acabou por ser abafado pelo acontecimento de 11 de setembro no WTC. Esse evento foi um projeto de comunicação, organizado por 400 pessoas (militares de alta patente, cientistas, ex-espiões, ex-agentes da CIA, controladores de vôo, astronautas, etc) que ocuparam posições relevantes dentro do governo dos EUA. O nome desse projeto é “Desacobertamento” ou Disclosure Project. Não me surpreenderia se você também nunca tivesse lido nada sobre o assunto. Disclosure Project pode ser chamado de Projeto Revelação. E marcou o ano de 2001, um ano de Imperatriz, por ter revelado ao mundo, de forma organizada, séria, bem articulada, baseado em documentos autênticos e relatos idôneos, um segredo de estado guardado a sete chaves: a questão dos ÓVNIS e da presença alienígena entre nós.

Infelizmente, a "grande" mídia não divulgou tal evento, mas graças à internet, ele, ainda, pode ser visto por todos. Na verdade ao não divulgar tal evento a mídia acobertou-o, mais uma vez. Enquanto isso ficam passando em horário nobre as velhas e repetidas notícias de sempre, um disco arranhado onde as novidades são como as novelas, já nascem velhas, tal como Benjamin Button.

Alguém duvida do impacto que seria em nossa civilização o contato aberto e cordial com outras civilizações alienígenas superiores a nossa em termos de tecnologia e convivência harmônica? De fato, isso é uma viagem, mais real do que se pode imaginar. As evidências acobertadas estão por toda a parte e a peneira não tapa mais o sol, tanto que circula pela internet a notícia de que eventualmente Obama faria um anúncio oficial sobre a existência de vida alienígena inteligente. Mas quem precisa do Obama para saber disso? Tal anúncio seria apenas a demonstração cabal de vida inteligente nos governos. E hoje nós sabemos que os governos do mundo são fachadas, meras marionetes de outros poderes.

A Imperatriz é uma carta que fala de comunicação, portanto, fala de mídia sob todas as suas formas, desde internet até um simples folder. Os movimentos da mídia estarão em alta. Aquestão que surge para nós é: as informações veiculadas na mídia expressarão, de fato, a realidade ou serão uma manipulação? As duas coisas certamente ocorrerão e lidar com a Imperatriz é lidar com a comunicação e os “ruídos” que dela decorrem. Um exemplo clássico é o próprio evento do WTC que possui uma versão oficial, mas que é questionada por milhões de pessoas dentro e fora do EUA. Há muitas evidências de que o atentado terrorista foi um serviço interno, feito pelo próprio governo estadunidense, onde salta aos olhos a queda do anexo 7, que nem se quer foi atingido e caiu da mesma maneira que as Torres Gêmeas, como se tivesse sido implodido.

Espero que não tenhamos outro atentado, mas as revelações que ocorrerão nesse ano que chega deverão incomodar, e muito, os poderes estabelecidos. Basta ver as tentativas de tentar censurar a internet, que tem ocorrido pelo mundo todo, por parte de certos representantes do poder, inclusive aqui no Brasil. E a Internet é uma outra expressão de mídia e, portanto, da Imperatriz.

Imperatriz é mídia, mídia que vai desde aquela "amiga" que liga para contar a "última" até a criatividade capaz de produzir um projeto de arte altamente sofisticado ou uma canalização de ordem espiritual.

Quando falamos em revelações, em Imperatriz e em poderes estabelecidos me vêm à memória a imagem da “mulher vestida de sol” que é descrita no Apocalipse de São João, um dos poucos livros não adulterados da Bíblia, justo por que não foi entendido. Detalhe interessante, a palavra Apocalipse vem do grego e significa "Revelação". O livro da Revelação, o Apocalipse, assim como o Tarot em seus arcanos maiores, possui 22 partes. Lendo o capítulo 12 (O Pendurado) e 13 (A Morte) do Apocalipse encontramos a seguinte descrição da Imperatriz:

1 E viu-se um grande sinal no céu: uma mulher vestida do sol, tendo a lua debaixo dos seus pés, e uma coroa de doze estrelas sobre a sua cabeça (eis a nossa Imperatriz).

2 E estando grávida, gritava com as dores do parto, sofrendo tormentos para dar à luz.

3 Viu-se também outro sinal no céu: eis um grande dragão vermelho que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre as suas cabeças sete diademas;

4 a sua cauda levava após si a terça parte das estrelas do céu, e lançou-as sobre a terra; e o dragão parou diante da mulher que estava para dar à luz, para que, dando ela à luz, lhe devorasse o filho.

5 E deu à luz um filho, um varão que há de reger todas as nações com vara de ferro; e o seu filho foi arrebatado para Deus e para o seu trono.

6 E a mulher fugiu para o deserto, onde já tinha lugar preparado por Deus, para que ali fosse alimentada durante mil duzentos e sessenta dias.

7 Então houve guerra no céu: Miguel e os seus anjos batalhavam contra o dragão. E o dragão e os seus anjos batalhavam,

8 mas não prevaleceram, nem mais o seu lugar se achou no céu.

9 E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, que se chama o Diabo e Satanás, que engana todo o mundo; foi precipitado na terra, e os seus anjos foram precipitados com ele.

10 Então, ouvi uma grande voz no céu, que dizia: Agora é chegada a salvação, e o poder, e o reino do nosso Deus, e a autoridade do seu Cristo; porque já foi lançado fora o acusador de nossos irmãos, o qual diante do nosso Deus os acusava dia e noite.

11 E eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho; e não amaram as suas vidas até a morte.

12 Pelo que alegrai-vos, ó céus, e vós que neles habitais. Mas ai da terra e do mar! Porque o Diabo desceu a vós com grande ira, sabendo que pouco tempo lhe resta.

13 Quando o dragão se viu precipitado na terra, perseguiu a mulher que dera à luz o filho varão.

14 E foram dadas à mulher as duas asas da grande águia (símbolos existentes na Imperatriz), para que voasse para o deserto, ao seu lugar, onde é sustentada por um tempo, e tempos, e metade de um tempo, fora da vista da serpente.

15 E a serpente lançou da sua boca, atrás da mulher, água como um rio, para fazer que ela fosse arrebatada pela corrente.

16 A terra, porém acudiu à mulher; e a terra abriu a boca, e tragou o rio que o dragão lançara da sua boca (A Terra ajudou a mulher, a Imperatriz, porque ambas na verdade são a mesma, são fêmeas).

17 E o dragão irou-se contra a mulher, e foi fazer guerra aos demais filhos dela, os que guardam os mandamentos de Deus, e mantêm o testemunho de Jesus.

18 E o dragão parou sobre a areia do mar.

Capítulo 13

1 Então vi subir do mar uma besta (EUA) que tinha dez chifres e sete cabeças, e sobre os seus chifres dez diademas, e sobre as suas cabeças nomes de blasfêmia.

2 E a besta que vi era semelhante ao leopardo, e os seus pés como os de urso, e a sua boca como a de leão; e o dragão deu-lhe o seu poder e o seu trono e grande autoridade.

3 Também vi uma de suas cabeças como se fora ferida de morte, mas a sua ferida mortal foi curada. Toda a terra se maravilhou, seguindo a besta,

4 e adoraram o dragão, porque deu à besta a sua autoridade; e adoraram a besta, dizendo: Quem é semelhante à besta? Quem poderá batalhar contra ela?

5 Foi-lhe dada uma boca (a mídia moderna) que proferia arrogâncias e blasfêmias; e deu-se-lhe autoridade para atuar por quarenta e dois meses.

6 E abriu a boca em blasfêmias contra Deus, para blasfemar do seu nome e do seu tabernáculo e dos que habitam no céu.

7 Também lhe foi permitido fazer guerra aos santos, e vencê-los; e deu-se-lhe autoridade sobre toda tribo, e povo, e língua e nação.

8 E adorá-la-ão todos os que habitam sobre a terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo.

9 Se alguém tem ouvidos, ouça.

10 Se alguém leva em cativeiro, em cativeiro irá; se alguém matar à espada, necessário é que à espada seja morto. Aqui está a perseverança e a fé dos santos.

11 E vi subir da terra outra besta, e tinha dois chifres semelhantes aos de um cordeiro; e falava como dragão.

12 Também exercia toda a autoridade da primeira besta na sua presença; e fazia que a terra e os que nela habitavam adorassem a primeira besta, cuja ferida mortal fora curada.

13 E operava grandes sinais, de maneira que fazia até descer fogo do céu à terra, à vista dos homens (a ciência moderna, o projeto espacial, o lançamento de mísseis e outras tecnologias de guerra no espaço tal como o Haarp);

14 e, por meio dos sinais que lhe foi permitido fazer na presença da besta, enganava os que habitavam sobre a terra e lhes dizia que fizessem uma imagem à besta que recebera a ferida da espada e vivia.

15 Foi-lhe concedido também dar fôlego à imagem da besta, para que a imagem da besta falasse, e fizesse que fossem mortos todos os que não adorassem a imagem da besta (a tv e a mídia moderna).

16 E fez que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos, lhes fosse posto um sinal na mão direita, ou na fronte,

17 para que ninguém pudesse comprar ou vender, senão aquele que tivesse o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome (o micro-chip).

18 Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento, calcule o número da besta; porque é o número de um homem, e o seu número é seiscentos e sessenta e seis.

Até aqui os capítulos 12 e 13 de Apocalipse.

Interessante certos detalhes sobre essa passagem do Apocalipse, mas vale ressaltar que a revelação da verdade será perseguida e sufocada pelos poderes dominantes, simbolizados no dragão e nas duas bestas. O dragão representa um tipo de inteligência que vem do céu e que aqui se estabeleceu, na Terra (“foi precipitado na terra, e os seus anjos foram precipitados com ele”). As bestas representam forças da Terra que se aliaram ao dragão (um país e a ciência que tal país adquiriu através do “dragão”, representam as duas bestas. “Dragão” é uma palavra-símbolo para as forças que foram atiradas do céu para a terra, e, por lógica, forças que vem do céu para a terra são forças extra-terrestres).

A mulher vestida de sol é a própria Terra, que tem a Lua aos seus pés, como satélite que é, e que está cercada por doze estrelas, que são as doze constelações do zodíaco.

A mulher se encontra grávida porque estamos as vésperas de um novo parto, uma nova humanidade. Basta ver o fenômeno das chamadas crianças-índigo.

A mulher vestida de sol prestes a parir tem o dragão como uma ameaça que pode devorar seus filhos. Vemos no símbolo apocalíptico a polarização da energia, tal como citamos antes.

Agora mais do que nunca se trava uma batalha de informação, uma batalha entre a luz-informação e as trevas-ignorância. Uma batalha pela sua mente. Um mundo com 6 bilhões de pessoas não pode mais ser controlado pelas armas, hoje ele é controlado de forma mais sutil, pela informação e pela manipulação da informação. O desafio será separar o joio do trigo e ir em busca da própria verdade em diferentes níveis. E o primeiro passo é buscar a informação por si mesmo, de forma crítica, sem deixar-se influenciar pela informação manipulada que vem através das tvs e das agências de notícias. Nisso a internet, através dos blogs, listas de discussão, sites independentes e outros mecanismos, é uma poderosa ferramenta de esclarecimento. Um exemplo de como a informação é manipulada é o fato de muita gente não ter se quer ouvido falar de documentários como Zeitgeist e de projetos como o Disclosure Project, que só tiveram a rede como forma de expressão. Hoje, infelizmente, a TV é um canal de comunicação totalmente manipulado e que se não assistirmos não estaremos perdendo absolutamente nada de bom.

Não posso dizer que 2010 será o ano que faremos contato, (até porque vários de nós já foram contactados mas o seu testemunho não tem sido aceito pelo poder institucional) mas uma batalha de informação se acirrará para que certas verdades se tornem públicas (ou não). Os atuais donos de poder já pressentem a ameaça da internet, e tentarão por todas as maneiras limitá-la ou criar eventos que nos distraiam daquilo que realmente importa.

Talvez a verdade esteja lá fora, tal como em Arquivo X, mas onde é “lá fora”? Certamente além dos limites perceptivos impostos pela TV, pela grande mídia e pelos manipuladores da informação. A telinha da tv é uma prisão para a mente, uma espécie de Matrix. O desafio da Imperatriz é desenvolvermos a nossa própria inteligência e criarmos formas livres de comunicação que nos levem para além da matrix dos interesses das grandes corporações que desejam manter o próprio poder a custa da qualidade de vida de toda a raça humana.

2010, diferente de 2001, tem outro arcano em ação, o Enforcado ou o Pendurado, porque a entrada na 1ª década do atual milênio implica inicialmente numa soma que dá 12, para depois reduzir-se para 3. O que significa um ano de muitas provações em todo o planeta e que pede uma mudança de valores. Do ponto de vista material tal arcano é pouquíssimo favorável, podemos ter uma nova crise financeira, mas do ponto de vista espiritual ele indica um claro desenvolvimento. Ele indica que devemos cada vez menos depender do sistema sócio-econômico que aí está e promovermos uma revolução interior, pacífica e espiritual que permita uma mudança sem grandes dores para a humanidade. Uma mudança de nossos hábitos de consumo já seria um primeiro passo. Desligar a TV e conversar mais com a família sobre o momento atual, comer menos besteiras e cuidar mais do corpo, comprar menos supérfluos e investir em qualidade de vida, tirar um tempo para meditar e ficar a só consigo mesmo, criar um tempo para resolver as pendengas bobas que temos com os outros, festejar o Natal como uma festa de perdão, de amor, de gratidão e não meramente consumista. Eis uma boa maneira de celebrar as festas de fim de ano, de celebrar a vida. Que as luzes que agora brilham nas casas possam brilhar dentro de todos nós.

Essa combinação Imperatriz e Enforcado revela no pólo positivo a necessidade de uma comunicação espiritual entre os homens, de uma mídia volta para o desenvolvimento holístico da humanidade, como um instrumento de espiritualização e educação da humanidade. E, de fato, vemos isso na internet. No negativo essa combinação (12 e 3 que resulta na carta do Diabo) expressa uma mídia voltada para atar o homem a padrões de comportamento que o prendem a um mundo de valores invertidos, materialistas e deprimentes. Cabe a nós uma escolha (arcano 6, redução da soma anterior que resultou no Diabo). Cabe a nós mudarmos nossas opções de mídia e partimos para uma forma de comunicação livre e não monopolizada e manipulada por pequenos grupos.

Nós temos poder de mudar a realidade que aí está. A Imperatriz nos indica o caminho, nos indica o poder do feminino, da inteligência, da palavra, o poder da Terra e de seus filhos unidos em prol da Vida. Nós não precisamos lutar contra nada, nem contra ninguém, basta que retiremos a nossa atenção, a nossa energia daquilo mesmo que nos prende num mundo limitado pelos padrões consumistas de uma cultura medíocre, apoiada por uma tecnologia que agride a Terra e aos nossos filhos. Se o que passa na TV não presta devo desligá-la, simples assim. Vamos disseminar pela Terra uma verdadeira cultura de paz, de amor, de compreensão, de verdade. Vamos parir em nós mesmos as nossas próprias criações, vamos nascer de novo, de nós mesmos, junto com a Terra, junto com a Imperatriz.

"Na verdadeira religião o templo é o corpo.

O altar, o coração.

O silêncio, a prece.

A oferenda nós mesmos.

O Natal, cada segundo de nossas vidas" (Hermógenes).

F.A.

obs: além de Zeitgeist e Disclosure Project recomendo os seguintes documentários, que podem ser bastante incômodos, pois questionam a mentira que a maioria de nós aceitou como verdade porque assim nos foi vendida:

Zeitgeist Addendum, a continuação de Zeitgeist.

Anjos e Demônios, não o filme, mas o documentário.

September Clues

Loose Change

A verdade nua e crua

América: da Liberdade ao fascismo

Nenhum comentário: