Desejo de morte (ou pelo Inverno)

quarta-feira, 9 de junho de 2010



Eu quero deixar de ser eu

E ser outro

Estou cansado de ser o que sou

Intento morrer

Não para findar-me

Mas para mutar-me,

Renovar-me.

Sem lembranças de quem já fui.

Sem esperanças de quem serei.

Sem forma, apenas não-eu.

E entre uma mudança e outra vislumbrar o mistério desnudo.

F.A.

10 comentários:

Carlos disse...

rsrsrs Fui eu que te escrevi e te enviei???
Esta é a minha percepção de mundo nessa friaca!!!
;-)=

Fernando Augusto disse...

Pode ter sido! Agora você me deixou na dúvida...mas que importa? Risos...

Abraços,

F.A.

VIAJANTE CÓSMICA disse...

Anjo!! q lindo seu poema..me lembrou uma frase famosa de Rimbaud ''Eu é um outro''..rsrs

peace and love..

Mitakue Oyassin!

Fernando Augusto disse...

Se diz que a arte é uma forma de espreitar a si mesmo, um eu a espreitar outro, e um terceiro em jogo que ninguém sabe.

Te amo, sou grato!

F.A.

VIAJANTE CÓSMICA disse...

Hare om!! talvez este terceiro em questão seja a essência real em nós, desprovida de toda forma ou ego, comandando a dança dos Eus no palco da vida onde tudo é permitido.. O observador e o observado rsrs

OBS: sempre que leio suas postagens cada vez mais tenho a certeza da frase ''quando o discípulo está pronto o mestre aparece'' rsrs é realmente a linguagem que vem do mais profundo silêncio, o que há muito tempo eu não encontrava..

Feliz reencontro..

Mitakue Oyassin!

Shin Tau disse...

Olha que sincronia bonita :) há algum tempo que não paro por aqui e hoje, momento em que desejo morrer, venho cá e encontro essa poesia que me espelha a alma :) Lindo, muito lindo.

Obrigada :*

Fernando Augusto disse...

Oi, Shin Tau!

Certamente foi a mudança de freqüencia da postagem que trouxe você aqui. Vinhamos numa batida intensa voltada para revelar o lado não tão belo da natureza humana através das ações de corporações farmacêuticas, governos corruptos e aquela velha história de não quererem largar o osso do poder.

Te amo, sou grato!

Fernando Augusto disse...

Oi, Viajante!

Você me fez lembrar do Zé Rodrix, músico e escritor, que costumava quase parafrasear essa clássica máxima, brincando e dizendo:

"Quando o discípulo está pronto o mestre desaparece".

Tenho percebido a verdade disse nesse nossos tempos.

Te amo, sou grato!

VIAJANTE CÓSMICA disse...

Caramba!! olha q interessante..venho passando por intensos processos de cura espiritual e neste exato momento encontro a resposta para minha última busca talvez nesta vida, através desta frase. E olha q adoro Sá, rodrix e Guanabira, mas em especial não conhecia este trocadilho do Zé.. definitivamente agora entendo que não importa o que passamos e por onde caminhamos..nunca estaremos sozinhos, e que a sincronicidade está ao nosso lado assim como nossa sombra hehehe

GRATIDÃO ETERNA..

TE AMO, SOU GRATA!

Rafael F.C. disse...

Agradeço