A situação no Golfo do México e um pedido de cura

quarta-feira, 21 de julho de 2010



2 comentários:

Aldo Luiz disse...

Aloha! Como de costume mais uma excelente postagem. Meu caro Fernando, se houver... Uma eternidade será necessária, por, e, para limpar esta barbaridade. Esta é a escola bushs / obamas de marionetes. Lá programam fraudes em robóticos "políticos candidatos", aqui, em forma de inumanos serras e seus vices, no caso brasileiro. São para servir religiosamente aos demônios que há milênios nos atormentam nesse famélico labirinto do nada. Sem humanidade e conteúdo, nessa instituída pseudo democracia, são como mecânicos vampiros papagaios sem alma e escrúpulos, repetindo asneiras "oficiais" que mal conseguem ler em teleprontos.

Uma verdadeira religião. Mentem, distorcem, falsificam, conspiram como respiram enganando os povos que odeiam e desprezam. Querem, lobos em pele de carneiro, (des)governar e reduzir a escravaria, sempre excedente, para as eternizadas abjetas senzalas. Campos de concentração, chamados pela midiocracia de "comunidades", eufemismo para favelas, guetos, e até condomínios feitos do lixo do luxo da imoralidade das casas grandes da nova ordem mundial escravagista com seus intocáveis banqueiros administrando a escassez planejada de tudo, à qual servem como marionetes políticos gerentes/presidentes.

Honduras e Haiti são os tristes recentes exemplos dessa verdade insepulta. E a torturada pelo medo permanente estupidificada massa, como gado, segue ao abatedouro a esses quadrilheiros...

É ou não é um genocídio programado e muito bem acobertado?
Sinto muito me perdoe te amo sou grato

Fernando Augusto disse...

Aloha, Aldo!

Apesar dos pesares tenho a sensação de que esses da NWO estão em seus estertores finais e buscam impedir o humano de reconhecer e aceitar todo o poder divino que há dentro, dentro de nós.

Eles querem fazer crer que o Apocalipse é um momento de caos e confusão, quando na verdade é um momento de revelação e conhecimento.

Estamos juntos nessa batalha da luz, da informação e do conhecimento.

Te amo, sou grato!

Fernando Augusto