Alienaçao espiritual e alienação política

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

O trauma político da ditadura militar, com suas consequências, que assolou esse país por mais de 20 anos tem como um dos seus sintomas a ojeriza política, que faz a pessoa esquecer que a política é o centro decisório do organismo social. Não agir politicamente é como não decidir a respeito da própria vida, é deixar que outros o façam por você.

O microcosmo é reflexo do macrocosmo.

Pessoas incapazes de agir politicamente também são incapazes de lidar com os aspectos práticos de sua vida pessoal. Acabam por se esconder em ideologias estranhas, por se refugiar na religião, por usar uma pseudo-espiritualidade para escapar de uma tomada de decisão frente ao mundo. Alienam-se da vida social sob a capa racional de uma pretensa pureza, seja de ordem espiritual ou de qualquer outra natureza. Assim surge na campanha o tema religioso como reflexo da incapacidade do indivíduo de agir e pensar por si. E acabam por chegar a inevitável conclusão: é tudo a mesma coisa, mas justificam a si mesmos, sentindo-se no fundo superiores por não fazerem parte disso, desse mundo sujo. Ledo engano, estão até o pescoço nisso envolvidos.

O fato de serem religiosas ou espiritualizadas não significa que não possam participar da vida social. Vejam Gandhi. Um exemplo de engajamento político através de uma espiritualidade inserida no mundo e não distante dele. O mundo é o palco onde o espírito é convidado a desempenhar seu papel.

Mas os mais novos não tem memória, alguns parecem implantes de ilusões contadas, papagaios da mídia dominante ou de uma teoria da conspiração mal digerida. Existem também os velhos que são assim, implantados, vidas cibernéticas dominadas pela mídia do grande irmão.

Mas como está dito: a verdade os libertará. Mas esta verdade é aquela que não tem dono, mas só pode ser evidenciada por si quando tiramos nossas lentes e deixamos nossas mentes silenciosas repousarem naquilo que é, e não naquilo que pensamos que é.

F.A.

7 comentários:

Nana Odara disse...

Bravo!

Streetmarcio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Streetmarcio disse...

JP Morgan compra Gávea, de Armínio Fraga, diz blog da ‘Veja’
Sílvio Guedes Crespo

O banco norte-americano JP Morgan anunciará amanhã (terça-feira, 26) a compra da Gávea Investimentos, empresa de gestão de fundos criada por Armínio Fraga, ex-presidente do Banco Central, informa o jornalista Lauro Jardim no seu blog Radar On-line, da revista “Veja”.

Jardim chama atenção para uma questão política: “Pelo acordo, Armínio ficará à frente da Gávea por cinco anos, com o impedimento, portanto, de ocupar cargo público neste período”.

O jornal “Valor Econômico”, na edição desta segunda-feira (portanto, em texto escrito antes da nota de Jardim), publicou que Fraga é o preferido do candidato José Serra (PSDB) na área econômica e está cotado para comandar o Ministério da Fazenda.

http://blogs.estadao.com.br/radar-economico/2010/10/25/jp-morgan-compra-gavea-de-arminio-fraga-diz-site/

JP Morgan compra parte da RBS por tabela

O banco norte-americano JP Morgan Chase adquiriu 55% da Gávea Investimentos, gestora de recursos da qual faz parte o economista Armínio Fraga, ex-presidente do Banco Central.

A informação foi divulgada pela Veja.com na segunda-feira, 25. De acordo com a publicação, o anúncio oficial será feito em Nova Iorque na terça, 26.

A operação afeta por tabela o Grupo RBS, no qual o Gávea comprou uma participação de 12,6428% em 2008.

Com a aquisição, a Gávea fará parte da gestora Highbridge, a segunda maior do mundo, e seus produtos atingirão todos os clientes do grupo JP Morgan. Atualmente, a Gávea administra um patrimônio de pouco mais de R$ 10 bilhões.

Entre outras empresas, a Gávea já comprou participação na Time For Fun, Lojas Americanas, Odebrecht Realizações Imobiliárias, Cosan, Multiterminais, fazenda Ipanema Coffees, McDonald’s América Latina, Droga Raia e a administradora de shoppings Aliansce.

http://www.baguete.com.br/noticias/negocios-e-gestao/26/10/2010/jp-morgan-compra-parte-da-rbs-por-tabela

Fernando Augusto disse...

Pois é, já sabia desta, mas é bom divulgares aqui, Armínio Fraga foi presidente do BACEN de FHC.

Por outro lado o presidente do BACEN do Lula também não é boa bisca, na verdade Lula teve que aceitá-lo para poder avançar em outras áreas (políticas sociais) e agora é o momento de colocar alguém no BACEN que não esteja a serviço da banca internacional ou pelo menos de fazer uma política que diminua o poder de influência do BACEN. Henrique Meireles vem do PSDB e Lula teve que aceitá-lo para poder não ser derrubado, se não não teria passado pelo mensalão. Estou bem consciente disso mas é preciso avançar nessa guerra gradualmente. O jogo é delicado, complexo e é preciso saber lidar com ele. Lula nisso revelou maestria ao ter dançado com o diabo.

O BACEN é uma posição chave para a banca internacional, mais importante que a presidência da República.

Vamos ficar de olho vivo!

Abraços,

F.A.

Fernando Augusto disse...

Uma outra leitura desta notícia é que ao Armínio Fraga ter assumido essa posição e ter ficado impedido de assumir cargo público isso significa que eles já perceberam que Serra já não tem mais nenhuma chance. Vão tentar atacar de uma outra maneira, por dentro do governo Dilma e até mesmo diretamente contra Dilma.

A morte do Kirchner, na Argentina, me pareceu bastante suspeita. Justo ele, que sairia candidato em 2011 e que declarou moratória, dando uma banana para a banca internacional.

Eduardo disse...

Não concordo que Henrique Meirelles seja má opção, aliás, eu acho que ele vai permanecer no posto, a menos que decida sair por conta própria.
Se existe um bom motivo pra preocupação na economia internacional hoje, ele está ligada à questão monetária e à queda de braço entre EUA e China. Enquanto a China se recusa a valorizar sua moeda, os EUA não tem outra alternativa a não ser emitir dólares sem parar e nessa briga de cachorro grande, vai sobrar pra TODO MUNDO, inclusive e principalmente pra países "pequenos" como o Brasil.
Se China e EUA continuarem batendo cabeça, isso é muito ruim. E nem to falando de guerra, pq ambos são potências nucleares e sabem o que é Mutual Destruction Assured. O risco é de quebradeira econômica mesmo.
O BACEN está preocupado com a valorização do Real, que fragiliza a nossa balança comercial e com o ingresso incessante de 'hot money' (que pode sair a qualquer momento, se for detonada uma reação em manada).
Motivos para preocupação existem... por isso mesmo eu acho que é bom o Meirelles ficar onde ele tá. Ele é mto bem visto no exterior, mas acho que esse fato por si só não é suficiente pra concluir que ele seja um cavalo de Tróia infiltrado pra conspirar contra o Brasil (?!)
Tb acho q o novo presidente do Brasil, seja ele quem for, vai ter MUITO menos sorte do que o Lula. Não queria estar na pele da Dilma.

Sinto muito, me perdoa, eu te amo, SOU GRATO

Fernando Augusto disse...

Eduardo,

não disse que o Meireles é má opção, observei sua origem e sempre estranhei e compreendo as razões a escolha dele, afinal é um quadro advindo do PSDB e como vc mesmo disse com excelente trãnsito na banca internacional.

Vejo já o mundo em guerra e a disputa econômica China e EUA é um aspecto dessa guerra de espada embainhada como diria o general chinês Sun Tzu em seu Arte da Guerra.

A quebradeira econômica é um quadro bastante provável, este é o plano segundo revelações de pessoas como Lidnsey Williams. Será que o cara é uma viagem? Gostaria de sua opinião sobre o que ele diz:

http://www.youtube.com/watch?v=z3IhrBvNXPE

Acho a condução da política de juros muito conservadora e extremamente favorável ao capital financeiro. Isso me deixa com pulga atrás da orelha, afinal ainda temos uma das maiores taxas de juros do mundo.

Acho que a Dilma em si representará algo completamente novo para nós, o que me preocupa é esse período que vai até dia 31. As outras preocupações ficam para depois ;-)

ABraços,

F.A.