Documentário proibido no Brasil, Portugal e Itália

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Sex crimes and the Vatican é um documentário realizado pelo jornalista Colm O'Gorman em 2006 e originalmente transmitido pela BBC no programa investigativo Panorama. A reportagem foi feita para documentar os abusos pedófilos de alguns membros do clero.

O documentário dura 39 minutos e é conduzido por Colm O'Gorman, vitima de abusos sexuais quando adolescente. Esse video acusa de cumplicidade a Igreja Católica por que teria protegido muitos padres pedófilos e cita como prova o procedimento previsto no documento emanado pela Congregaçao da santa romana e universal Inquisiçao* em 1962, chamado Crimen Sollicitationis. Esse documento, que foi enviado a todas as dioceses do mundo seria, sempre segundo o documentário, guardado nos Arquivos Secretos do Vaticano.

* Conhecido também como Santo Ofício que corresponde a velha Inquisiçao que julgou, matou e aterrorizou milhares de pessoas entre os quais Francesco Patrizi, Giordano Bruno, Tommaso Campanella, Gerolamo Cardano, Galileo Galilei.




Itália debate sobre a possibilidade da televisão estatal RAI transmitir um documentário da emissora britânica BBC sobre abusos sexuais de sacerdotes católicos contra crianças e adolescentes.

O documentário, intitulado "Crimes Sexuais e o Vaticano" e transmitido em outubro do ano passado pela televisão britânica, não foi levado ao ar por nenhuma emissora italiana. As imagens, no entanto, estão disponíveis por uma busca no site GoogleVídeo ( www.video.google.com ).

O programa da BBC afirma que o papa Bento XVI pode ter encoberto sacerdotes pedófilos quando era prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, antes de assumir o papado em 2005.

O presidente da Comissão de Vigilância sobre a Televisão, o político de oposição Mario Landolfi, pediu ao diretor da RAÍ Cláudio Cappon que não autorizasse a transmissão do documentário. O jornal Avvenire, órgão da Conferência Episcopal Italiana, também se pronunciou contra o programa.

O ministro das Comunicações Paolo Gentiloni afirmou que a transmissão do documentário " é um problema que toca à RAI e de modo algum ao governo".

Antonio Satta, vice-secretário da Comissão de Vigilância e membro do partido UDEUR (da maioria), pediu que a RAI não adquirisse o documentário porque o material é "lixo".

Giovanni Russo Spena e Gennaro Migliore, membros da Comissão de Vigilância e parlamentares pelo Partido da Refundação Comunista (também de maioria no governo), consideraram inaceitável o pedido de Landolfi a Cappon para que não adquirisse o documentário. "Trata-se", disseram os comunistas, "de um convite à censura preventiva."

O documentário da BBC examina o que descreve como documentos secretos do Vaticano estabelecendo procedimentos para lidar com abusos generalizados de um padre contra a instituição da confissão a fim de silenciar sua vítima.

O documento original, de 1962, foi atualizado em 2001 para lidar mais especificamente com a pedofilia, já que em todo mundo a Igreja enfrenta escândalos sexuais.

Bispos britânicos criticaram a BBC em 2006, afirmando que ela deveria se "envergonhar do padrão do jornalismo usado para criar este ataque gratuito ao papa Bento XVI".

Fonte Ansa

Um comentário:

Pedro disse...

A Noticia é FALSA. o Documentário jamais foi "PROIBIDO" em portugal!

Já agora desafio-o a deixar aqui o link para a fonte!