O Tarô e as Eleições

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

O Tarot e as Eleições, jogo realizado em 08/10/2010

Esse foi um exercício de interpretação feito em um de nossos Cursos de Tarot e que abrimos aqui para vocês. O jogo foi feito em 08/10 e a análise foi desenvolvida até o dia de ontem, 18/10. A didática aqui se baseia na interpretação referenciada no Tarô Mitológico. Segue o texto.

Como esse é um dos assuntos do momento que tal fazer uma análise das chances de vitória de cada candidato nesse 2º turno das eleições presidenciais no Brasil?

Me parece um exercício assaz interessante. Além de analisar as chances de vitória de cada candidato podemos também, usando o Jogo da Decisão, perguntar ao Tarot qual seria o melhor presidente para o Brasil de acordo com a visão do próprio Tarot.

O desafio maior de alguns talvez seja manter a isenção necessária para uma análise fria e serena...risos.

Vamos então aos resultados dos diferentes Jogos.

Eis as chances de vitória de Serra, segundo o Tarot:

1ª posição - estado de espírito no momento: 6 de paus
2ª posição - situação no momento: 7 de espadas
3ª posição - desenvolvimento da situação: Rainha de Paus
4ª posição - conselho do Tarot: 2 de ouros
5ª posição - Julgamento

Eis as chances de vitória de Dilma, segundo o Tarot:

1ª posição - estado de espírito no momento: 10 de paus
2ª posição - situação no momento: Força
3ª posição - desenvolvimento da situação: Cavaleiro de Paus
4ª posição - conselho do Tarot: Lua
5ª posição - 10 de Espadas

Eis a visão do Tarot sobre qual seria o melhor nome para o Brasil usando a técnica do Jogo da Decisão onde o braço de cima é o caminho via Dilma e o braço de baixo é o caminho via Serra:

Situação: 9 de Espadas

Se Dilma for eleita: 2 de Ouros, Mago e Valete de Paus

Se Serra for eleito: Lua, Diabo e 10 de Paus

O Jogo da Decisão permite vermos dois caminhos ao mesmo tempo, duas possibilidades projetadas no futuro permitindo um processo de tomada de decisão mais sábio.

E então, o que me dizem, qual seria a análise de vocês? Eis a nossa.

Alea jacta est...

Nessa questão toda creio que é possível fazer uma leitura cruzada das chances de vitória de um e outro candidato a partir da carta da resposta (ou resultado), que a meu ver representa a posição mais importante nessa técnica de Jogo.

A leitura cruzada visa identificar pontos em comum entre as cartas já que as pessoas disputam uma posição comum: a Presidência da República.

O que há de comum entre o Julgamento de Serra e o 10 de Espadas da Dilma?

Os dois são cartas que nos remetem a questão da Justiça.

O Julgamento traz uma influência da Justiça não-humana, divina, espiritual.

O 10 de Espadas também, pois na história do mito de Orestes – Tarô Mitológico - vemos a intervenção de Palas-Atena com seu voto de Minerva numa situação de empate.

Então me parece que os dois candidatos na corrida do 2º turno sofrerão uma intervenção de ordem espiritual no processo que fará a balança pender para um lado. O inusitado dessa intervenção é a sua natureza, ela não pertence ao jogo político, nem ao discurso ideológico, muito menos é a expressão de algum poder institucional (imprensa, igreja, militares, etc). Ela transcende aos podres poderes desse mundo. E a questão é: para que lado a balança da Justiça Divina irá pender? Se formos olhar para o Jogo da Decisão lá encontraremos a resposta.

Então que tal fazermos uma análise usando alguns elementos factuais?

Primeiro preciso dizer que esta é uma análise difícil, até pela questão da imparcialidade, então temos que estar muito atentos para que o nosso voto não influencie a leitura.

Vamos então a 1ª posição, que reflete o estado de espírito do momento, dos candidatos:

Serra - 6 de paus - Vitória

Serra saiu de fato vitorioso no embate do 1º turno, pois a expectativa era de vitória da Dilma, com mais de 50% dos votos válidos. Curiosamente Serra começou a campanha do 2º turno na Bahia, em Vitória da Conquista, fazendo um discurso sobre a Conquista da Vitória.

Dilma - 10 de paus - Stress

Creio que aqui o Dez de Paus representa o momento de Dilma que acreditando poder levar a eleição no 1º turno sofre um desgaste enorme ao ver as chances se escoarem por três razões:

1 - o número de abstenções
2 - o crescimento da campanha de Marina
3 - o golpe midiático a favor de Serra

Dilma começa o 2º turno desgastada, stressada por ter investido suas expectativas numa finalização no 1º turno e por ter sobrevalorizado suas próprias chances. O 10 de paus indica que ela abraçou mais atividades também do que as que devia e acabou por sofrer outro desgaste, careceu de um recuo estratégico e de um foco adequado que lhe permitisse um melhor uso de suas forças. Esse recuo acabou por acontecer no início da campanha do 2º turno e ela reaparece em cena, no debate da Band com uma outra postura.

Vamos a 2ª posição que traduz a situação em si dos candidatos.

Serra - 7 de Espadas - a situação em si

A situação está exigindo que Serra atue com extrema diplomacia, astúcia e mesmo uma certa falsidade. A carta do 7 de Espadas no Tarô Mitológico traduz o momento em que Orestes tem que se esgueirar pelo castelo para poder vingar a morte do pai, o que significa matar a própria mãe. Para um político essa é uma carta típica, pois é do jogo político as manobras próprias para se atingir um objetivo onde os fins justificam os meios.

Temos então três situações ilustrativas do 7 de Espadas da campanha de Serra:

1 - ele tenta conquistar o apoio do PV oferecendo 4 ministérios, mas faz campanha contra a legalização do aborto, quando o PV em seu programa defende a legalização.

2 - diz não conhecer o principal assessor de seu braço direito na campanha envolvido no sumiço de dinheiro para o caixa da campanha de Serra. O nome dele é Paulo "Preto". Este é acusado de ficar com o dinheiro e também de receptação de uma jóia roubada. Esse personagem aparece numa foto ao lado de Serra na inauguração do Rodoanel.

3 - a mulher de Serra acusa Dilma de matar criancinhas por esta ser favorável a legalização ou descriminalização do aborto, mas ela mesma já o fez.

Dilma - Força - a situação em si

Parece que a situação de Dilma, apesar do desgaste, e até mesmo pela "derrota inesperada", provoca um despertar e acende um sinal de alerta suficiente para sua campanha reerguer-se e tornar-se mais agressiva, mais disciplinada e focada. Quem viu o 1º debate do 2º turno na Band viu uma leoa, Serra chegou mesmo a tentar acusá-la de agressiva, pois se viu várias vezes acuado, sem respostas para os questionamentos que Dilma fez com relação ao assessor Paulo "Preto" e a acusação pessoal de sua mulher contra Dilma, de que ela "mata criancinhas". A Força indica uma rápida capacidade de recuperação do desgaste do 1º turno, mas exige uma vigilância constante para que esta força não se torne demasiada.

Vamos para a 3ª situação, que fala do desdobramento, do desenvolvimento da situação.

O interessante aqui é que os dois candidatos estão com cartas de paus, naipe que também ocupa a 1ª posição dos dois candidatos, o que significa que a campanha irá acirrar-se, irá pegar fogo e haverá uma intensificação do desejo de luta e de agressão.

As cartas aqui são figuras da corte, mostrando personagens que serão importantes e decisivos no desenvolvimento da situação eleitoral dos candidatos.

Serra - Rainha de Paus

Aqui há uma mulher que é importante para Serra nessa campanha, provavelmente sua esposa, Mônica Serra, a mesma que agrediu verbalmente Dilma ao dizer para um popular em Nova Iguaçu que Dilma "mata criancinhas". O registro feito pela imprensa do fato marcou a bailarina e psicóloga nascida em 20 de maio. Outra mulher importante na vida de Serra é sua filha Verônica, empresária de sucesso, especialista em internet e advogada já esteve envolvida em dois escândalos recentes contra e a favor de si. A coordenadora da campanha na internet de Serra é outra mulher, Sônia Francine, conhecida por ter declarado publicamente que fuma maconha e é a favor do aborto.

Ao mesmo tempo podemos inferir que Serra investirá fortemente no apoio feminino, com sua campanha "a favor da vida", como contraponto à Dilma que "mata criancinhas. Afinal, as mulheres são o maior contingente da população e um segmento que ambos os candidatos estão de olho.

O alvo da campanha de Serra continuará possivelmente baseado em ataques pessoais à Dilma, que também encarna a Rainha de Paus, até por ser sagitariana (signo do fogo, elemento de paus).

Dilma - Cavaleiro de Paus

A campanha de Dilma dará, e isso já está acontecendo uma virada, ela abandonará a postura "paz e amor" para mostrar uma face mais incisiva e guerreira, até por que Serra já demonstrou capacidade de reação através da estratégia de ataques pessoais com base em questões religiosas e/ou morais: aborto, casamento gay, anti-comunismo.

Dilma então já começou a mostrar as garras ao acusar Serra de envolvimento no caso Rodoanel-Paulo Preto, onde tal pessoa, parte da campanha de Serra, fez a captação de 4 milhões de reais fora do período autorizado pela Justiça e não deu conta desse dinheiro ao PSDB.

Dilma também revelou a baixeza da campanha de Serra ao citar a frase de sua esposa no debate último da BAND: Dilma mata criancinhas. Serra não reagiu, foi tomado de paralisia.

O Cavaleiro de Paus deve também levantar a militância de Dilma trazendo um novo gás à campanha.

Há alguém na campanha de Dilma que possa encarnar os valores do Cavaleiro de Paus? Talvez, Ciro Gomes, um dos assessores da campanha de Dilma por sua postura aguerrida, criativa e voluntariosa. Também é bastante provável que a militância jovem entre em batalha por Dilma.

Vamos para a análise da 4ª posição?

Aqui temos a posição do conselho, avisos de como proceder ou daquilo que se deve evitar.

2 de Ouros - Serra

A questão financeira é um ponto sensível na campanha eleitoral de Serra. O Tarot recomenda que ele se arrisque mais com relação ao uso dos recursos financeiros, use de uma forma criativa os recursos que tem, inove no uso desses recursos. Por outro lado o Tarot também pede prudência no uso desses recursos, até por que a dualidade própria dessa carta faz o ditado redundar aqui: toda moeda tem duas faces.

Serra tem pela frente um processo (mais um) de improbidade administrativa em função da suspeita de um assessor chamado Paulo Preto ter arrecado 4 milhões de reais antes do período legal pata tal atividade, sendo que líderes tucanos acusam Paulo Preto de ter sumido com o dinheiro, confirmando indiretamente que a arrecadação foi feita às expensas da lei.

Dilma - Lua

O conselho da Lua pede para que Dilma explore mais e melhor sua face feminina e a questão da mulher em nossa sociedade.

Também previne contra inimigos ocultos dentro da própria aliança eleitoral. Não apenas inimigos ocultos, mas forças ocultas, como diria Jânio Quadros, essas forças ocultas estão configuradas no destino do Brasil caso Serra seja eleito (ver Jogo da Decisão)

A Lua também pede para que Dilma enfrente seus próprios fantasmas e medo, enfrentando os desafios de forma destemida e encarando o adversário que se esconde na sombra, na ilusão, no engano. Parece que a candidata já começou a fazer isso no último debate ao bater de frente com Serra e sendo mais "agressiva", segundo palavras do próprio adversário Serra que indicou ter acusado o golpe, a investidura de Dilma.

Sem mais delongas entro na análise desta que é a 5ª posição, a indicadora do resultado.

Numa primeira vista parece favorável ao Serra, afinal Dilma tem pela frente o 10 de Espadas, e o 10 de Espadas é uma carta dificílima, indicando um final destruidor e ao mesmo tempo liberador, é uma carta paradoxal. Ela é como a Torre dos arcanos maiores, é como se fosse a versão menor da Torre. Uma vitória que parecia fácil no 1º turno agora se complica, vai para a prorrogação e promete um final dramático que se torna fonte de muito sofrimento psíquico para Dilma e para sua campanha. Os ataques contra Dilma foram de terrorista para abortista, passando por instauradora de uma nova ditadura comunista até o aprisionamento de padres em masmorras. Isso significa uma DESCONSTRUÇÃO da imagem da candidata e essa DESCONSTRUÇÃO está bem espelhada na campanha feita contra ela. Através dessa estratégia evita-se o debate político de alto nível e entra-se num debate carregado de emotividade e moralismo. Eis a conseqüência do acirramento do jogo eleitoral, passa a valer tudo, e Dilma que acreditava-se vencedora foi atingida por vários golpes baixos e agora ressentem-se, pois as pesquisas indicam um crescimento do adversário.

Curiosamente Leonardo Boff cita Camões ao referir-se à campanha de Dilma traduzindo poeticamente um aspecto do 10 de Espadas:

"Depois de tenebrosa tempestade, traz a manhã serena claridade".

Esse crescimento com a conseqüente vitória de Serra só poderá ser evitada por alguns elementos inesperados que intervenham com força e mude a situação de forma rápida, repentina, surpreeendente, como está a nos indicar o Julgamento. As sementes do inesperado parecem já ter surgido e elas são os seguintes fatos:

1 - o homem-bomba de Serra, Paulo Preto, ex-presidente da Dersa, empresa de intermediação de contratos de construção civil e que pertence ao Estado de SP. Este homem é acusado pelo próprio PSDB de ter sumido com 4 milhões da campanha de Serra, arrecadação que foi feita antes do período determinado pela Justiça.

2 - a descoberta de que Mônica Serra, apesar de ter acusado Dilma de "matar criancinhas" também fez um aborto.

Isso tudo configura uma eleição extremamente difícil com chances de vitória para ambos os lados, sendo que um fato surpresa irá determinar quem vencerá esta eleição.

Tudo indica que esse fato surpresa atingirá Serra e não Dilma, que se não fosse por isso perderia as eleições.

Eis aqui algumas palavras escritas pela sócia sobre o arcano do Julgamento:

“O Julgamento, vez por outra, dá um "peteleco" em uma situação emperrada e - como se fosse mágica! - ela acaba se resolvendo da forma mais inesperada-fácil-rápida possível. Em outras situações, ele levanta o tapete e chama a atenção de todos para algo que estava, até então, oculto. Ou seja, O Julgamento é Ó-TI-MO para "colocar os podres pra fora", coisa mesmo de final dos tempos” (basta ligar a TV na hora dos noticiários para entender bem isso).

Recomendo reler a postagem ;-)

Quando eu digo que o fato surpresa irá atingir Serra baseio-me mais no Jogo da Decisão, seguindo o seguinte raciocínio:

O Jogo da Decisão indica, do ponto de vista do Tarot, qual seria o melhor caminho para nós, Dilma ou Serra.

Como o Tarot indicou Dilma, pela natureza das cartas que saíram em relação à Serra, quero crer que o fato surpresa desestabilize a candidatura de Serra e salve Dilma da derrota na última hora, tal como Atena salvou Orestes na última hora, segundo nos descreve o Tarô Mitológico.

Já que o resultado está sendo regido por forças outras que vão além das forças materiais (como indicamos no início deste texto) dessas eleições me parece lógico, mas não completamente certo, dizer que um fato inusitado provocará o resultado final dessa eleição.

Vamos prosseguir com a análise entrando agora mais especificamente no Jogo da Decisão.

Antes é bom dizer que tão importante quanto a analise é o esquema de interpretação, a técnica de jogo que usamos para responder a uma questão.

O Jogo da Decisão nos permite perceber duas possibilidades, duas linhas de futuro, onde o Tarot pode nos mostrar a necessidade imperiosa de enveredar por um caminho ou apenas as conseqüências de entrar por um certo caminho.

Por necessidade imperiosa colocada pelo Tarot quero dizer o aparecimento das seguintes cartas no Jogo da Decisão, conforme nos ensina Hajo Banzhaf e Brigitte Theler, no excelente Tarô de Crowley:

1. OS AMANTES (VI) significa que a decisão já foi tomada a favor do caminho no qual essa carta se encontra.
2. A carta FORTUNA (X) indica que o consulente não tem livre escolha e deve, pelo menos no início, seguir o caminho no qual essa carta
se encontra.
3. A ESTRELA (XVII) mostra o caminho do futuro.
4. O AEON (XX) também.
5. O UNIVERSO (XXI) representa o lugar certo e verdadeiro, ao qual o consulente pertence.

Quanto tais cartas não saem o futuro é uma possibilidade, uma condição quântica, aberta e não determinada e vimos que essas cartas não saíram no jogo em questão, então não está aqui configurado uma força determinante no destino.

Vamos então para a análise do Jogo da Decisão!

9 de Espadas - a situação

O Tarot nos indica que a situação da questão é altamente carregada, pesada, difícil. A carta do pesadelo traduz bem o tom dessa campanha eleitoral que foi tomada pela calúnia, pelo medo, pela difamação, pelo terrorismo da informação distorcida, pelo discurso religioso retrógrado, pela disseminando da culpa, medo, pavor através de acusações infundadas do tipo: "mata criancinhas".

Lembremos que no Tarô Mitológico nós vemos Orestes atacado pelas Fúrias pelo crime de matricídio, claro que a situação do mito representa não uma situação real, mas o sofrimento psíquico decorrente de uma perseguição psicológica. Não há aqui como não fazer um paralelo com o que acontece na campanha onde vemos que uma candidata é alvo de uma campanha difamatória que a acusa de terrorista, assassina de crianças, abortista, ditadora, lésbica, falsificadora da própria certidão de nascimento e mais uma lista interminável de acusações. Por essa carta mesmo o Tarot está colocando um dos candidatos em foco e isso é muito interessante, porque se trata da candidata marcada em suas chances de vitória pela 10 de espadas, que em alguns Tarôs é visto como a carta da Ruína, mas aqui, no Mitológico, é visto como uma carta de liberação de uma maldição, de um sofrimento psíquico pela intervenção da Justiça representada por Palas-Atena.

Por que o Tarot fez essa indicação?

E nessa situação qual dos significados devemos escolher? Ruína ou Liberação?

Vamos olhar para as linhas de futuro do Tarot neste Jogo da Decisão das eleições?

Dilma: 2 de Ouros - Mago - Valete de Paus

Serra: Diabo - Lua - 10 de Paus

Logo de cara fica claro que a linha de futuro de Dilma é mais favorável ao país do que a de Serra. E não apenas mais favorável, é profundamente diferente em sua estrutura devido a presença de certos arcanos maiores.

E é essa diferença nas linhas de futuro que nos permitem perceber quais são os significados que devem ser destacados nos jogos anteriores onde vimos as chances de vitória dos candidatos no 2º turno das eleições.

O 10 de Espadas de Dilma implica em Ruína ou Liberação de uma condição difícil com uma vitória apertada?

O Julgamento de Serra implica na irrupção de um evento inesperado, mas essa irrupção implica em vitória ou derrota?

A meu ver a linha de futuro mais positiva de Dilma permite uma visão positiva do significado do 10 de Espadas. Conseqüentemente o Julgamento de Serra deve ser interpretado de acordo com sua linha de futuro, ou seja, o Julgamento implicará na irrupção do que está oculto pela conjunção Lua-Diabo.

Mas uma pergunta que devemos ter em vista é se não estamos sendo parciais. É sempre um risco da interpretação, mas que pode ser diminuído pela análise factual, pela análise dos fatos subseqüentes à data do Jogo, onde vemos a campanha difamatória contra Dilma aumentar e ao mesmo tempo o surgimento de escândalos do lado de Serra, tais como:

- o caso Paulo "Preto".

http://www.istoe.com.br/revista/indice-de-materias/609_NAO+SEI+QUEM+E+PAULO+PRETO+

- o caso do aborto da esposa de Serra, confirmado por várias ex-alunas bailarinas.

http://correiodobrasil.com.br/ex-alunas-de-monica-serra-confirmam-relato-sobre-aborto/186052/

- a descoberta de panfletos difamatórios de autoria de Bispos da CNBB em parceria com pessoas do núcleo do PSDB em São Paulo.

http://www.youtube.com/watch?v=nn-zumff8Sw

De uma forma ou de outra temos aí uma eleição muito difícil onde nada está definido a priori, mas será uma batalha difícil até o fim (significado do 10 de espadas de Dilma), cheia de escaramuças e surpresas, tornando muito difícil apontar de forma peremptória a vitória de um candidato.

6 comentários:

Astrid Annabelle disse...

Eu adorei ler esta análise!
Excelente...muito excelente!
Parabéns!
Astrid Annabelle

Fernando Augusto disse...

Grato, Astrib!

Legal que tenhas gostado da análise, pois o resultado dela tende sempre a desagradar a um dos lados em questão, afinal, alguém tem que vencer, que antes de tudo seja a verdade, que não está aqui apresentada de forma absoluta, mas antes possibilidades quânticas de um futuro que começa a se desenhar pelas nossas ações, palavras e pensamentos.

Fico a refletir no desafio de realizar análises e interpretações sem que a nossa escolha influencie a leitura. Tiraremos a prova disso em 10 dias ;-)

Se institutos de pesquisa fazem análises que são questionadas continuamente por um dos lados o nosso caso também não pode ser diferente.

Mais uma vez agradeço!

Sinto muito, me perdoa, te amo, sou grato!

F.A.

beijamim disse...

Esse texto não é meu. Tá rolando na net. É uma forcinha para melhor aceitação dos fatos.

A campanha de José Serra é baseada nas fanáticas campanhas da direita norte-americana, daí o perigo de referendá-la com seu voto.
Quem acompanhou as eleições de 2004 e 2008 para a Presidência dos Estados Unidos sabe quais golpes baixos o Partido Republicano - aquele mesmo, conservador, belicista, ultrarreligioso - utilizou para tentar desqualificar os candidatos do Partido Democrata. Em 2004, John Kerry foi pintado como o "flip flop", o "duas caras". Em 2008, lançaram-se dúvidas sobre a origem de Obama: questionaram se ele era mesmo americano, ou se era muçulmano, etc. Em comum, uma campanha marcada pelo ódio, pela boataria na Internet, pela disseminação do medo contra o suposto comunismo dos candidatos da esquerda e a ameaça que representariam à democracia e aos valores cristãos.

Vamos compilar algumas acusações, boatos e promessas que surgiram nas ruas, na internet, na televisão e nos jornais, com o objetivo de desconstruir a imagem da candidata adversária:
Campanha terceirizada:
Panfletos pregados em periferias associaram a candidatura de Dilma a tudo o que, na ótica conservadora, ameaça a família e os bons costumes;
Panfletos distribuídos de forma apócrifa disseram que Dilma é assassina, terrorista e bandida, com argumentos dignos da época da Guerra Fria;
Oportunismo religioso:
- José Serra distribuiu panfletos em igrejas, associando seu nome a Jesus Cristo;
- José Serra pagou campanhas de telemarketing para associar o nome de Dilma ao aborto;
- Até hino em igreja evangélica o Serra cantou;
- José Serra começou a ir a missas constantemente, de forma tão descarada que chamou atenção dos fiéis;
Promessas de campanha oportunistas:
- O PSDB criticou o Bolsa Família durante boa parte do governo Lula; mas agora, José Serra propõe o 13º do Bolsa Família;
- O PSDB defende a bandeira da austeridade fiscal e da contenção dos gastos públicos - foi no governo FHC que se criou o "fator previdenciário"; mas para angariar votos, Serra prometeu um salário mínimo de 600 reais e reajuste de 10% para os aposentados;
- O PSDB criticou o excesso de Ministérios criados por Lula, mas nesta campanha, Serra já falou que vai criar mais Ministérios;
- O DEM do vice de Serra ajuizou ação no STF contra o ProUni, mas agora diz que defende o programa;
- O PSDB se pintou de verde para atrair os eleitores de Marina no 1º turno, mas é justamente o partido de preferência da bancada ruralista e dos desmatadores da Amazônia;
Incoerência nas acusações:
- Serra acusou a Dilma de ser duas caras, mas ele mesmo entrou em contradição sobre suas relações com o assessor Paulo Preto; Video
- Serra tentou tirar votos de Dilma dizendo que ela era favorável ao aborto, sendo que ele, como Ministro, regulamentou a prática no SUS;
- Mônica Serra chamou Dilma de "assassina de crianças", sendo que ela mesma já teve que promover um aborto;
- José Serra nega que seja privatista, mas já foi defensor das privatizações, tendo o governo FHC a deixado a Petrobras em frangalhos;
- Serra acusa Dilma de esconder seu passado, mas ele mesmo esconde muita coisa;
- Serra associa Dilma a figuras controversas como Renan Calheiros, Fernando Collor e José Sarney, mas esconde o casal Roriz, Roberto Jefferson, Paulo Maluf, ACM Neto, Orestes Quércia e outros apoiadores nada abonadores. Aliás, antes do Indio da Costa (que aliás pertence a uma família de tutti buona gente), quem era cotado para vice dele era o Arruda, do mensalão do DEM, lembra-se?

E então: você ainda acha que a campanha de Serra é propositiva, digna, limpa? Um candidato que se vale de expedientes tão sujos para chegar ao poder merece o seu voto?

António Rosa disse...

Fernando,

Cheguei a este post por chamada de atenção no blogue da Astrid.

É um excelente trabalho, vindo de uma aula magnífica.

Muito obrigado por esta aprendizagem.

Abraço

António

Fernando Augusto disse...

Obrigado, Antônio Rosa!

Devo também agradecimentos a minha amada sócia e mestra, Claudinha, vulga Cacau Gonçalves!

Sinto muito, me perdoa, te amo, sou grato!

F.A.

Fernando Augusto disse...

Santa sincronicidade, Benjamin!

Estou agora mesmo buscando uma matéria em vídeo sobre a ligação da campanha de Bush com os cristãos estadunidenses!

Sinto muito, me perdoa, te amo, sou grato!

F.A.