O Vôo da Serpente Emplumada

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Livro que sugere que Judas cumpriu uma missão espiritual encomendada pelo própro Jesus ao trair-lhe, na verdade todo o drama de Jesus representa um drama iniciático encenado publicamente por Jesus e seus discípulos, segundo nos informa Samael Aun Weor.


Download do livro AQUI


No dia seguinte, seis dias antes da Páscoa, meu rabino chegou a Bethânia.
E os seis dias sucederam repletos de emoção e de vida. Cada dia deixou sua marca no tempo na multiplicação dos feitos, até o final.
E nosso rabino nos amou a todos, até o fim.
No quinto dia, de noite, nos levou com ele à sua ceia.
E nos disse:
“Hoje é o quinto dia antes da Páscoa. E na Páscoa meu Pai será glorificado”.
E nos lavou os pés.
Mas nem todos ficaram limpos.
E no silêncio que seguiu as suas palavras, quando havia inquietude em todos, meu rabino disse:
“Não falo de todos vós; eu sei os que tenho elegido. O que come pão comigo levantou contra mim seu calcanhar. Desde hoje vos digo, para que quando se fizer, acrediteis que eu sou. De certo vos digo: o que recebe àquele que eu enviar a mim recebe; o que a mim recebe, recebe a quem me enviou”.
Logo, em meio à inquietude de todos, ao perguntar-lhe João quem havia de lhe entregar, anunciou:
“Aquele a quem eu der o pão molhado”.
E estendendo a mão com o pão molhado me ofereceu, e eu o recebi. E seus olhos me olharam cheios de compaixão e os meus estavam banhados em lágrimas, pois minha alma estremecia de terror.
E nesse instante meu rabino me olhou e em seu olhar colocou a memória daquela noite no monte quando me havia levado à esquerda de nosso Pai que está nos céus.
E compadecendo-se, me disse:
“O que tens que fazer, faça-o logo”.
E traguei o bocado...
E quando o tinha tragado, a multiplicação de meus feitos ficaram gravados para todos os tempos.
E o tempo urdido nessa noite por meu rabino Jesus chegou a seu fim, porque assim é necessário para a glorificação do Pai que está nos céus.
Ao comer o pão molhado nessa noite senti cair sobre mim a barreira do tempo, e o Eterno, a plenitude de Deus que eu havia conhecido no amor de meu rabino, não estava mais em meu coração. Meu entendimento se nublou e me vi prostrado de joelhos ante a morte e temendo porque as trevas se estendiam no tempo até que a opressão que o homem sofre em sua queda lhe fizesse novamente clamar e mendigar a luz.
E Satanás falou em meu sangue com palavras de fogo:
“Esqueça a luz que foi”.
E comecei a sentir o que estava por vir.
Então senti que não era mais o dono de meu ser, mas escravo de meu futuro e sobre minha mente cairam as trevas da terra. E o que eram os reflexos do ser de luz nelas iluminaram com incontáveis sombras, e era uma gama oscilante de cores porém em nenhuma havia a brancura original. E caí no esquecimento de meu próprio rabino e já não estava mais nele.
E não obstante, sua luz caiu ardendo em minhas trevas, mas eu não a podia ver.
Então os olhos de meu rabino me olharam e por um instante senti sua piedade em meu próprio coração, mas logo ela se converteu em ira e despeito pois com o pão molhado se havia diluído toda a plenitude que ele mesmo me havia dado.
Acreditei então na morte.
E minha amargura se converteu em minha força.
E obrei. Mas não obrei de mim mesmo, pois toda a potestade me havia sido tirada para que aquele que tenha olhos veja, e que tenha ouvidos que ouça. Pois nestas minhas palavras não há uma sílaba que não diga algo, nem um verbo que não indique um tempo.
Mas nada do que é de meu rabino pertence ao tempo e suas palavras se repetem agora como em todos os tempos: ‘Meu reino não é deste mundo’.
E por mim mesmo acrescento: “Este mundo está no reino, mas não como estou eu. Aquilo que do mundo poderia ser do reino, suspenso está, pendurado de um galho, carente de plenitude, sem que o cérebro e o coração toquem o céu, e sem que os pés fendam a terra”.


* * *

Homem de linhagem Maya: em treze partes eis contado o que sei sobre Judas. Até a novena caminhou unido pelo amor de Jesus quem lhe lavou os pés, mas não ficou limpo de tudo, porque na segunda roda do nove vendeu o Cristo vivo ao mundo e se cumpriu a Escritura.
Pois quando Judas chegou com uma companhia e os ministros dos pontífices e dos Fariseus, Jesus lhes perguntou:
“A quem buscais?”
E eles disseram:
“A Jesus Nazareno”.
E ele disse:
“Sou eu”.
E eles retrocederam e cairam por terra.
E pela segunda vez Jesus lhes perguntou a quem buscavam, e pela segunda vez lhe disseram: A Jesus Nazareno.
E pela segunda vez ele disse:
“Sou eu; pois se a mim buscais deixem estes irem”.
Os enviados do príncipe deste mundo perguntaram duas vezes, nada mais.
E com isto também se cumpriu a escritura.
Pois os onze foram salvos.
E assim o espírito permanece nos céus, e o corpo na terra.
Onde levas a alma?

4 comentários:

Rosane disse...

Os diversos manuscritos descobertos nos últimos tempos tem despertado o interesse de pesquisadores
Li também na revista História Oculta que por milhares de anos,Judas foi sinônimo de traição,mas com as descobertas do "evangelho de Judas" essa visão passou a ser desafiada,pois segundo esse texto,foi Iscariotes que entendeu os segredos,e a ele Jesus teria confiado seus maiores ensinamentos.Judas deveria matar a parte física de Jesus para que ele se livrasse do corpo que aprisionava seu espírito.
Agradeço toda a oportunidade de estudo,e o tempo que você dedica nas postagens e pesquisas

Beijos fraternos
Rosane Peon

Rosane disse...

Olá Fernando Augusto Bom dia!!
Uma observação,a carta do tarot que você escolheu
o enforcado simboliza o espírito de renúncia sacrifício,sofrimento interior.Linda postagem
podemos através dela repensar..

Sinto muito,me perdoa,obrigado,te amo.
Rosane Peon

Clara disse...

Dizem que existe um "acordo" nas entrelinhas,entre Vítima e Algoz. Só existe "um" porque o "outro" permite. Depois de ler esta postagem, vi que tem "Tudo a Ver". Também agradeço de coração seu tempo dedicado a estes estudos. Abraço fraterno.

Fernando Augusto disse...

Oi, Rosane e Clara!

É bom ter a companhia de vocês por aqui!

O Enforcado, esotericamente, é o arcano da transmutação sexual, onde a energia telúrica e a energia sexual mais densa é transformada através de uma atitude de inversão com relação ao padrão estabelecido de projetar a energia para fora e para baixo. Há grandes segredos de transformação nesse arcano, não é à toa que a asâna vista como a Rainha na Hatha Ioga é a Shirsâna, a postura invertida.

Sinto muito, me perdoa, te amo, sou grato!

F.A.