Qual a ideologia da Nova Ordem Mundial? 1ª parte

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

1 - É a ideologia do capital financeiro.

O maior exemplo disso foi retratado bem em Zeitgeist, onde o Prescott Bush, integrante da Skull and Bones, pai de George Bush, emprestava dinheiro e fazia negócios com os nazistas*** ao mesmo tempo em que fazia o mesmo pelo lado dos aliados, ou seja, o capital financeiro joga dos dois lados do conflito usando o princípio de dividir para reinar.

Eis aqui a parte de Zeitgeist que nos informa sobre tal:

http://www.youtube.com/watch?v=ogKCY9ccLWo

O mesmo é mostrado em relação aos Rockfellers que financiam os dois lados do conflito do Vietnam.

O capital financeiro encontra-se institucionalizado em três grandes estruturas na atualidade:

FMI - Fundo Monetário Internacional

Banco Mundial

FED - Federal Reserve ou o Banco Central dos EUA que nada tem de Federal por ser uma instituição controlada por banqueiros tais como J.P Morgan, Warburg, Rothschild e outros.

Os EUA tornou-se assim não mais uma República, mas uma corporação controlada pelo capital financeiro. A última manobra de controle do capital financeiro foi anunciada recentemente: a emissão de 600 bilhões de dólares que poderá afetar o Brasil de uma forma mais intensa ao promover sua desindustrialização pelo fato da emissão de 600 bi, assim como outras já feitas, provocar uma desvalorização do dólar frente ao real. Tal dinheiro é criado a partir do nada e será pago com os impostos do povo americano. Tal emissão é praticamente uma declaração de bancarrota por parte dos EUA, que só se sustentam pois emitem a moeda internacional a partir do nada. Emissão de dinheiro pelo FED corresponde a um empréstimo bancário ao governo dos EUA, agora sob a justificativa de estimular a economia, apesar das justificativas preferidas do capital financeiro serem a guerra e o processo de reconstrução que dela decorre, tal como ocorre no Iraque e tende a acontecer no Irã.

É por isso que o capital financeiro precisa da guerra: para lucrar e manter-se. O 11 de setembro foi um grande negócio para eles. Permitiu a guerra no Afeganistão. Permitiu a caça aos supostos terroristas. Permitiu a edição de leis como o Ato Patriótico que permite a invasão de domicílios sem mandado.

A guerra sempre foi um grande negócio para os EUA, foi a partir dela que tornou-se uma grande potência.

A economia americana comporta-se como um viciado em em drogas. Sua droga é a guerra.

O capital financeiro é viciado em guerra, sangue e carnificina. Banqueiros vivem mais do que pelo dinheiro, vivem pela morte de milhões.

A mentira das armas de destruição em massa no Iraque foi outro grande negócio.

A desculpa sobre a construção da bomba atômica no Irã também é outro grande negócio a permitir uma nova guerra.

Quem são as famílias de banqueiros internacionais por trás do capital financeiro? Ou seria melhor escrever máfias em vez de famílias?

Isso fica para os próximos textos.

Sinto muito, me perdoa, eu te amo, sou grato!

Fernando Augusto

*** o símbolo da skull and bones inserido dentro de uma cruz germânica largamente adotada pelo nazistas. A cruz de ferro ou iron cross foi um dos símbolos nazistas, muito usado em condecorações, monumentos, igrejas de orientação nazi e hoje usados por cristãos radicais nos EUA que se intitulam christian hardcore, inserindo tais palavras dentro da cruz nazi. Curiosamente tal cruz foi sutilmente inserida num personagem famoso de desenho animado, o He Man, que não nega em sua estética a origem ariana, o padrão masculino dos nazis. As ligações entre o nazi-fascismo e certas irmandades secretas como a ordem skull and bones são algo rastreável pela história e pelos símbolos que eles cultuam.

9 comentários:

beijamim disse...

O pior facismo é o que existe em nós. Incorporado, aceito, sem que percebamos. Ele funciona, adere, porque é egóico e simplista ao extremo, não requer inteligência verdadeira, mas sagacidade e oportunismo.
Estamos lutando dia-a-dia contra um facismo invisível, mas extremamente atuante e eficaz. Ele, na verdade, é só uma face que ainda percebemos do grande desamor que paira sobre nossas cabeças - uma energia articulada - gerando desânimo, intriga, irracionalidade e morte, dividindo as pessoas em seu cerne, para que elas jamais se reconheçam ou se unam, mesmo quando são compatíveis.
Guerra no astral (que as pessoas não vêem), guerra aqui embaixo (que as pessoas não querem ver). E de tanto não ver nem perceber, vamos alimentando as forças que desejam nos subjugar e destruir. Nossa própria mente, fragmentada e indecisa, está a todo tempo sendo posta à prova, e respondendo mal, sem perceber do que se trata. A coisa toda está bem perigosa. Estamos preparando um futuro, doando as piores energias possíveis para ele. Sem perceção, sem consciência, queixando-se de banalidades, enquanto a bestialidade nos engole aos poucos.
Sei não. Tô começando a desejar cataclismas.
Será que uma limpeza planetária daria conta desses vermes?

Fernando Augusto disse...

Benjamin,

nós temos uma tarefa, que é a tarefa do luz.

Luz é esclarecimento, divulgação, revelação. Estamos fazendo isso aqui. Revelando a ideologia por trás da NOM. É uma atividade intelectual, informativa, pensante e crítica. De alerta, esclarecimento e debate.

Outra atividade da luz é a cura das mentes pelo processo de meditação, de oração, de Ho'oponopono que já provou sua eficácia em experimentos de meditação feitos pela Fundação Maharishi.

Nosso desejo tem que ser de luz e paz, mas não uma luz de pretensos mestres ascensos, mas uma luz real e engajada. Não uma paz morta, mas uma paz selvagem, disposta a agir para afetar a realidade pela ação e pela intenção.

Impedir a guerra e promover a paz é a estratégia para vencer o império.

Vos amo, sou grato!

F.A.

beijamim disse...

Fernando, o que tu acha dessa hipótese de mudança vibracional planetária ancorada pela "emissão de fótons do centro do buraco negro da galáxia" (ufa!)?
O que tu acha dessa história de Niburu e Annunnakis a nos visitar eternamente e influenciar para que continuemos bem escravos? Viste o filme "Contatos Imediatos de Quarto Grau"?
Eu sei que tudo pode parecer balela, tudo isso inclusive pode estar sendo construído, de maneira a preparar os ânimos para o pior, abrindo caminho aos "salvadores" de plantão, naturalmente alinhados com a turminha da velha ordem. Mas confesso que gostaria de acreditar em uma intervenção benéfica de grande escala, movida por forças realmente superiores.
Gostaria de ouvir tua opinião. Abraços.

Fernando Augusto disse...

Benjamin,

você deve ter notado que começamos aqui um trabalho mais voltado para a política e até para a economia. É o tonal do mundo. É a área que mais precisa ser trabalhada, pois é a área mais espessa e densa do sistema. Foi impregnadada pelo tipo de magia mais nefasta, aquela que visa o controle do outro.

Certas forças em termos de Exopolítica seguem o princípio da não-intervenção respeitando a autonomia dos povos. Outras não.

No tonal o Brasil segue pela não intervenção, já os EUA, não.

Em termos exopolíticos é a mesma coisa.

Acredito que hoje recebemos uma ajuda indireta a fim de preservar a não-intervenção ou de colocar o jogo mais as claras, mostrando todas as forças em questão.

Há basicamente aqueles que querem o domínio, "domini", senhores e aqueles que buscam a autonomia existencial sem interferir na autonomia dos outros.

Vemos isso na mídia, nas mensangens subliminares, nas diferentes técnicas de propaganda, nas mentiras repetidas até a exaustão da verdade consentida.

Temos que fazer nosso intento penetrar no próprio coração do sistema e abalá-lo desde lá, e somos nós que temos que fazer isto. Somos nós. Temos que cumprir a nossa parte.

Tivemos no tonal político brasileiro uma eleição duríssima decisiva, e ainda há gente querendo um 3º turno. Sinto que essa luta tinha e tem outros desdobramentos. Aqui conseguimos avançar positivamente um passo. EUA e Europa estão em graves problemas.

Temos que curar o nosso corpo, o nosso tonal. Temos que curar o corpo da Terra. Nós somos aqui os guerreiros, esta é a nossa luta. Ninguém a lutará por nós pois isso não seria honroso. Não teria valor, seria muito fácil, que a coisa fosse decidida por cima. Nos vários niveis o combate é travado. Temos que travar o combate que nos compete.

Mas somos seres multidimensionais. Outros combates ocorrem e nós nem temos consciência.

Nós somos nossos salvadores. Pelo combate adequadamente travado ganhamos energia. Precisamos saber os combates que temos que travar. O espírito está sempre nos indicando. Basta estar atento e seguir. Por isso é tão importante cuidar do nosso tonal, do nosso corpo, nossa sensibilidade apurada nos indica por onde a direção flui e basta apenas seguir, rastreando a energia assim não há dúvidas e ganhamos mais e mais energia.

O contato imediatos de 4º grau é suspeito, há indícios de fraudes para vender o filme.

O perigo da crença de uma intervenção benéfica é paralisante. Ela existe de uam forma indireta, sutil, muito sutil, leve, bem-humorada e poderosa como uma bolinha de papel... risos...

Vos amo, sou grato!

F.A.

Fernando Augusto disse...

Em tempo, a desvalorização do dólar é a bancarrota simbólica da Nova Ordem Mundial.

O importante é que se crie no mundo uma condição de poder onde não haja nenhum país hegemônico e nenhum tipo de governo único mundial, assim poderemos ter uma espécie de modelo político completamente novo, verdadeiramente novo, no Mundo.

Quebrar a idéia de um líder hegemônico será o desafio político gigantesco! Assim poderá de fato nascer uma comunidade internacional.

No intento,

F.A.

noitesolat disse...

Oi Fernando,

Mas essa Cruz germânica nao é a mesma Cruz de Malta, usada pelos navegadores portugueses da Escola de Sagres?

Fernando Augusto disse...

Olá, Noitesolat!

http://pt.wikipedia.org/wiki/Cruz_de_Malta

http://pt.wikipedia.org/wiki/Cruz_de_Ferro

Está mais para uma cruz pátea. O nazi sempre se apropriou de certos símbolos e tentou revesti-los com sua intenção.

Há braços,

F.A.

noitesolat disse...

Grato Fernando pelo esclarecimento.

A suástica, um símbolo antiqüíssimo, pelo que já li também é uma cruz, que dizem ter sido alterada pelo nazi no sentido anti-horário, mas já li que na verdade existem registros milenares da suástica nos dois sentidos, horário e anti-horário, significando evolução e regressão, entropia e neguentropia, trabalhando em conjunto, assim como temos o Yin e Yang juntos formando o Tao. Mas interessante é o que fica que basicamente, na história da humanidade, sempre houve a utilização da Cruz, de uma forma ou de outra, na paz e principalmente nas guerras.
Será que sempre teremos que carregar uma Cruz?rsrs
No xamanismo existe algo parecido?

Grande abraço

Reinaldo

Fernando Augusto disse...

Oi, Reinaldo!

No Xamanismo nós celebramos as 4 direções e a roda da Vida, seguindo o ciclo das estações, o que acaba por uma cruz em movimento, esse símbolo é antiquíssimo por que expressa o movimento natural, a própria cruz é tão antiga quanto o tempo por que expressa forças e leis naturais, tendo um vasto simbolismo com aplicações diversas: zodiacal (ver Zeitgeist, por exemplo), mágico, tântrico, etc.

Como os símbolos são representações de forças naturais a apropriação de símbolos com certas intenções é uma tentativa de se apropriar da força com essas mesmas intenções, tal como fez Hitler e tal como faz a NOM ou o Império Anglo-Americano, onde o maior exemplo está na nota de um dólar. No caso da cruz ela está desenhada na bandeira inglesa e no chão da praça de entrada a basílica de Roma há o mesmo símbolo se não me falha a memória.

Em breve vou postar um documentário específico sobre o simbolismo no 3º Reich.

Há braços e valeu pela presença!

F.A.