Qual a ideologia da Nova Ordem Mundial? 5ª parte

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

A lógica do capital financeiro não é humana,
é predadora,
e podemos dizer até mais, é alienígena,
inclusive no sentido de ser estranha ao humano.
Tal lógica e tal ideologia nos faz perder
aquilo que temos de humano.
Não é por outra razão que o homem
se tornou explorador do próprio homem.

5 - o neoliberalismo

A ideologia da NOM é o neoliberalismo, mas eles nem sempre praticam o que professam para si mesmos, não é à toa que os subsídios correm solto e as injeções de capital no sistema bancário quando o mesmo quebra são generosas. Recomendamos o documentário indicado ao lado, com links para download ao longo do texto.

Eis as linhas mestras do neo-liberalismo:

1 - privatização;

2 - livre mercado ou destruição das barreiras comerciais;

3 - desregulamentação dos mercados financeiros ou o livre fluxo dos capitais;

4 - diminuir ao máximo a intervenção do Estado através da extinção de diversos impostos, acabando com as políticas sociais e entregando a educação e a saúde nas mãos do capital privado. Normalmente isto aparece na imprensa da seguinte forma: corte de gastos públicos e aumento da taxa de juros: é o mantra midiático dos lacaios escribas da grande imprensa a serviço da NOM. Globo, Estadão e Folha de São Paulo são jornais que espelham bem isto nos seus editoriais.

Essas são as 4 linhas mestras do Neoliberalismo ou do Consenso de Washington protagonizadas pelo FMI e pelo Banco Mundial.

Nos EUA até mesmo o FED, o Banco Central, é privado, ou seja, são os banqueiros que emitem a moeda, é o lobo que comanda o galinheiro. Quem em sã consciência colocaria o lobo no galinheiro? Só um "lobo". Ou um banqueiro internacional.

Encravada em Londres está a cidade de Londres, um quarteirão que congrega todos os principais bancos do mundo, tornando-se assim a capital financeira do mundo. Ali está o coração financeiro do sistema. A cidade de Londres é o Vaticano do capital financeiro. Nela estão os banqueiros que controlam o FED, por isso a NOM nada mais é que o Império Anglo-Americano.

Curiosamente os EUA não praticam o liberalismo que professam, pois subsidiam boa parte de sua agricultura, como no caso do algodão.

E a lógica do capital financeiro não é humana, é predadora; não é solidária, é competitiva ao extremo; não é amorosa, é profundamente faminta e cobiçosa.

A lógica do capital financeiro não é humana, é predadora, e podemos dizer até mais, é alienígena, inclusive no sentido de ser estranha ao humano. Tal lógica e tal ideologia nos faz perder aquilo que temos de humano. Não é por outra razão que o homem se tornou explorador do próprio homem. É essa lógica que está por trás da elite financeira, dos escalões mais altos das sociedades secretas e por trás das tecnologias militares de ponta como o HAARP. São esses seres que prendam a consciência humana faz séculos e que foram chamados por Carlos Castaneda de predadores, por Bárbara Marciniak, Alex Collier e David Icke de reptilianos.

Notem como no material de Bill Ryan sobre a missão anglo-saxônica aparecem logo no início, na cidade de Londres, capital financeira do mundo, uma infinidade de estátuas e monumentos com motivos reptilianos e draconianos.

Considerando que a ideologia da NOM ou do Império Anglo-Americano está formada pelos interesses do capital financeiro, do nazi-fascismo, da guerra, do neo-liberalismo e do secretismo cabe-nos agora aplicar esse entendimento a realidade brasileira fazendo a seguinte pergunta:

De que forma opera a NOM no Brasil? Quem são seus agentes? Que são ou foram hitmans neo-liberais (assassinos econômicos) no Brasil?

A filial opera diferente da matriz, isso é óbvio, e aqui há uma chance para nós da resistência, pois a elite não dá tanta importância para a colônia-filial como da para a matriz colonizadora.

A principal estratégia da matriz colonizadora em relação a filial é corromper as elites da colônia, endividar a colônia e estabelecer um controle cultural e ideológico através da midiocracia.

Essa reflexão fica para próximas postagens.

Queremos aproveitar para indicar um excelente documentário sobre o neo-liberalismo: Let´s Make Money, que pode ser baixado AQUI.

Mais uma vez o DocVerdade disponibilizando material de qualidade!

(Alemanha, 2008, 108min. - Direção: Erwin Wagenhofer)

Documentário de altíssimo nível, essencial para se entender o mundo em que vivemos pela ótica financeira internacional. Dos mesmos criadores do documentário "We Feed the World".

Apesar de todo o velho discurso feito pelos neoliberais de que a globalização traria benefícios para todos os países ajudando a diminuir a pobreza no 3° Mundo, o que viu-se de fato foi em geral aumento desenfreado da miséria, onde o salário de um indivíduo geralmente mal cobre uma pobre subsistência.

O documentário mostra as chamadas “economias emergentes” por dentro, na visão de grandes investidores, bem como o cotidiano miserável dos homens, mulheres e crianças trabalhadoras nesses países.

Mostra também as idéias do Consenso de Washington, responsável pelas políticas liberais que moldaram nosso mundo econômico atual, assim como os mecanismos de colonização moderna como o FMI e Banco Mundial, perpetuando a injusta dívida dos países mais pobres em troca de suas riquezas. Explica o que são os paraísos fiscais, por onde passa a maioria do capital financeiro para encobrir os donos corruptos.

John Perkins, antigo assassino de economias, que também já apareceu aqui no documentário “The War on Democracy”, explica detalhadamente como era o seu ofício de levar as riquezas de países de 3° Mundo, sob a supervisão das instituições internacionais.

Passa ainda pela miséria que aflora nos EUA e pelas raízes da crise econômica espanhola causada pela bolha imobiliária.

“Na privatização, a sociedade é privada de um determinado bem ou serviço público no qual um investidor está interessado por razões de lucro.”

Nenhum comentário: