Como a "NOM" atua para calar nossas vozes

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Assange: fascina ver os tentáculos da elite americana corrupta

O fundador do site Wikileaks, Julian Assange, falou com exclusividade ao Opera Mundi nesta segunda-feira (6). Assange não escondeu a irritação com o congelamento de sua conta bancária na Suíça e também falou de outras ações tomadas contra a organização desde o lançamento de documentos sigilosos de embaixadas dos Estados Unidos.

Assange se preparava para se apresentar à polícia britânica, o que aconteceu na manhã desta terça-feira (7) em Londres. O fundador do Wikileaks é acusado de crimes sexuais na Suécia. A denúncia não é clara, mas inclui a prática de sexo desprotegido com duas mulheres, na mesma época em que dava uma palestra em Estocolmo. Desde o dia 18 de novembro, a justiça sueca expediu mandado de prisão com o objetivo de interrogá-lo por "suspeitas razoáveis de estupro, agressão sexual e coerção". Julian Assange deve ser ouvido ainda hoje num tribunal de Westminster, na região central de Londres, onde será decidido se ele será extraditado à Suécia.

Opera Mundi: Neste momento, quais acusações pesam sobre você?
Julian Assange — São muitas as acusações. A mais séria é que eu e o nosso pessoal praticamos espionagem contra os EUA. Isso é falso. Também a famosa alegação de "estupro" na Suécia. Ela é falsa e vai acabar se extinguindo quando os fatos reais vierem à tona, mas até lá está sendo usada para atacar nossa reputação.

Opera Mundi: Sobre essa acusação de espionagem, há algum processo judicial correndo? Julian Assange — Não. É uma investigação formal envolvendo os diretores do FBI, da CIA e o advogado-geral norte-americano. A Austrália, meu país, também está conduzindo uma investigação do mesmo tipo — em que se junta todo o governo — e ao mesmo tempo estão asssessorando os EUA. Uma das fontes alegadas para essa investigação, Bradley Manning [militar acusado de ser a fonte do Wikileaks], está preso em confinamento solitário em uma cela na prisão no estado da Virginia, nos EUA. Ele pode pegar até 52 anos de prisão se for condenado por todas as acusações, que incluem espionagem.

Opera Mundi: Qual a diferença entre o que faz o Wikileaks e espionagem?
Julian Assange — O Wikileaks recebe material de "whistle-blowers" (pessoas que denunciam algo errado nas organizações onde trabalham) e jornalistas e os entrega ao público. Acusar de espionagem quer dizer que nós teríamos que trabalhar ativamente para adquirir o material e o repassar a um estrangeiro.

Opera Mundi: No caso da Suécia, o que as mulheres alegam?
Julian Assange — Elas dizem que houve sexo consensual. O caso chegou a ser arquivado por 12 horas quando a procuradora-geral em Estocolmo, Eva Finne, leu os depoimentos. Depois foi reaberto, após uma articulação política. Todo esse caso é bastante perturbador. Agora, eles acabaram de congelar minha conta em um banco na Suíça, nosso fundo para pagar minha defesa.

Opera Mundi: Com base em quê?
Julian Assange — Eles estão alegando que eu os coloco em risco. Mas não têm nada que sugira isso, e de qualquer forma isso é falso.

Opera Mundi: E qual é a sua opinião sobre o congelamento de transferêcias de dinheiro pela empresa PayPal, e o fato de que a Amazon retirou o site do ar? Como você vê essas ações?
Julian Assange — É fascinante ver os tentáculos da elite norte-americana corrupta. De certo modo, observar essa reação é tão importante quanto ver o material que publicamos. A Paypal e a Amazon congelaram nossas contas por razões políticas. Com o Paypal, 70 mil euros foram congelados. Com o nosso fundo de defesa, cerca de 31 mil euros.

Opera Mundi: O que eles alegam?
Julian Assange — Eles dizem que estamos fazendo "atividades ilegais", o que é, claro, uma inverdade. Mas estão ecoando as acusações de Hillary Clinton [secretária de Estado norte-americana] sobre como publicamos documentos que podem causar transtornos aos EUA. Mesmo assim, o líder do comitê de segurança nacional no Senado disse com muito orgulho que ele havia ligado para a Amazon e exigido o fechamento no site.

Opera Mundi: O que o Wikileaks está fazendo para se defender do congelamento das doações?
Julian Assange — Nós perdemos 100 mil euros somente nesta semana como resultado do congelamento dos pagamentos. Temos outras contas em bancos - na Islândia e Suécia, por exemplo, que o público pode usar. Estão em um site. Também aceitamos cartões de crédito.

Opera Mundi: O que mais o Wikileaks está fazendo para se defender?
Julian Assange — Nós estamos contando com a diversidade e o apoio de boas pessoas. Temos mais de 350 sites pelo mundo que reproduzem nosso conteúdo. Precisamos disso mais do que nunca.

Fonte: Opera Mundi

7 comentários:

Rosane Peon disse...

Boa noite F.A
Lastimável em pleno 2010 ainda sofremos com a censura.Julian Assange luta pela liberdade de imprensa. perseguição?? Ninguém irá impedir a humanidade de se libertar da era da
escravidão,da dominação do poder econômico.
Essa prisão mostra claramente que a democracia nos E.U.A está a serviço de negócios escusos.

Vibraçãoes de harmonia e luz nesse novo ciclo.

Sinto muito,me perdoa te amo, sou grata.

Martyn disse...

esse cara trabalha para os EUA...o que ele faz só está ajudando a NOM.

Aldo Luiz disse...

(...)"Segundo o juiz Howard Riddle, uma mulher identificada como "Miss A." o acusou de Julian Assange / por que não CONECTAR OS PONTOS? "coerção ilegal". A mulher não foi identificada na audiência, um procedimento normal em casos de crimes sexuais na Suécia, mas a imprensa britânica, que já teve acesso ao boletim de ocorrência, afirma se tratar de uma loura de 31 anos, feminista radical, que já foi expulsa de Cuba por atividades subversivas. Segundo ela, Assange "utilizou o peso de seu corpo para imobilizá-la na cama". Sinto muito, me perdoe, te amo, sou grato.

walner disse...

Walner: F. A. e amigos, não sei se se trata de um desserviço a liberdade que gozamos na rede, como bem disse Martyn mais acima, mas que é algo amedrontador sabermos que os orgãos de informação americanos consigam exames de sanidade mental, analise genética de governantes e sabe-se mais lá o que... Meus parabéns F.A., estou cada dia mais impressionado com tudo que tenho lido por aqui. Li quase todos os posts de 2010 e agora, como num filme sem cronologia, tenho lido os de 2008. E quando estiver pelo Rio precisando de Táxi, pode contar com este taxista aqui, será um grande prazer conhecê-lo. Quando tiver lido todos os posts, e visto todos os documentários e filmes indicados espero poder participar mais assiduamente dos comentários. Tenho tido momentos muito agradáveis e outros nem tanto nas minhas visitas à este canto. Nem tudo é assimilado pela minha mente tacanha, mas tenho me mantido aberto e alerta. Sinto muito, me perdoe, te amo, sou grato.

Dom disse...

Querido F,A , até tu brutus?
de novo?

primeiro vc faz campanha para Dilma, mas aqui ao lado vc escreve...

Votar na urna eletrônica brasileira é mais ou menos como jogar palitinho por telefone.

e agora, vc defende o wikileaks?
ou vc eh muito inocente...
ou esta com segundas intenções...


http://www.anovaordemmundial.com/2010/12/julian-assange-do-wikileaks-falsas.html

http://ahoradosassassinos.blogspot.com/2010/12/farsa-chamada-wikileaks-e.html

Vamos para o debate?

Sinto muito, me perdoe, te amo, sou grato.

Fernando Augusto disse...

Desnecessário o debate, vale mais a auto-reflexão:

Quem será o inocente?

Quem terá segundas intenções?

Sinto muito, me perdoa, te amo, sou grato!

F.A.

Dom disse...

O bobo sabe, se cala e sorri...
e ainda canta só pra distrair...

Eu confronto os dragões
Os truques por trás dos batuques
Os vilões por trás dos violões
os falsos escritores de blogs
Os impostores por trás dos tambores
O sindicato de ladrões
Falsos produtores, safados atrás dos cifrões
Os empresários e políticos enchem os caminhões
Containers e vagões
Ganham milhões e milhões por terra, mar e ar
O negócio é faturar
Dom Plínio no estilo Solana Star
Quando a situação é grave, se organizar
Concentração é a palavra-chave
Doa a quem doer, eu não acredito em você
Não acredito no sucesso, não acredito na TV
Não acredito no que me vem impresso
Acredito em ordem e progresso
Quando o povo tem acesso ao ingresso
Então dá um dois no kunk
A válvula de escape pro motor de arranque

Umaextrapunkprumextrafunk

Telas grandes nos seus lares
Pequenas nos seus celulares
Através delas vejo tudo ir pelos ares
Vou vender ingressos para
O show do fim do mundo a preços populares
Vâmo por partes
Condecorado por bravura
Filho da ditadura
The peace is green por água pura
Pra geração futura
Ouve o coração mais alto quando ele murmura
Tenta te livrar da morte prematura
Pega a reta e desinfeta, porque
Você mente mas não mente à altura
Reuniões à revelia, sorridente na sua frente
Desfaz-se o disfarce
Eu vejo a verdadeira face se revelaria
Esvazio o pente
Já que abre as pernas pro capeta
Vê se mostra sua faceta no estilo black trunk
Babylon by Gus – Vol. I – The Year Of Da Monkey

Umaextrapunkprumextrafunk

Não acredito no crédito
Não acredito em canalha
Não acredito no futuro do pretérito
Eu acredito em honra
Por isso, eu honro minha medalha
De honra ao mérito
Ando em solo intrépido, de sangue que
Não esquece que você, cumpádi, tá no débito
Não adianta abafar o caso
Chamar atenção para outro assunto
No prestígio, no litígio, lado a lado tâmo junto
Na miséria e violência em volta
Eu vou meter a bota na bunda da compreensão torta
A missão que nunca aborta
Abram caminho, fechem as janelas e as portas
Tô marchando agora na hora da zona morta
Veneno que você destila vai servir de soro
Efeito boomerang pro seu mau agouro
O Homem X Tanque
Até que o sangramento estanque