Salve, Oxum! Salve, Ogum!

sábado, 1 de janeiro de 2011

Para quem, como eu, como nós, quer atuar dentro da frequência vibratória dominante em 2011 ai vai essa pequena dica, recheada com uma história cheia de valiosos ensinamentos ;-)

Na verdade, devido as diferentes informações sobre os Orixás Regentes de 2011 resolvi eu mesmo jogar meus "búzios" para verificar quais seriam as vibrações dominantes nesse ano de 2011. É bom dizer que não sou pai no santo, nem feito ou assemelhado, mas me foi soprado pelo Espírito uma técnica para tal, usando o Tarô, e eis que ela me revelou os Orixás Ogum e Oxum, como regentes de 2011. Nisso também me veio a intuição de abrir o excelente livro de Reginaldo Prandi, Mitologia dos Orixás, e me deparei logo de cara com a seguinte história, que logo transcrevo, Oxum dança para Ogum, uma bela história, cheia de ensinamento, onde a sedutora Oxum e o guerreiro Ogum travam um duelo sutil, de estratégia, onde a vitória é a vitória de todos os Orixás e de todos os Humanos.

Salve, Oxum! Salve, Ogum!

Pois nem toda a luta é violenta, nem toda a estratégia é de guerra, nem todo o combate é feito de vencedores e perdedores, tudo pode ser usado em determinada situação pelo bem comum, já que cada um tem um papel a cumprir na criação de qualquer coisa. Certamente tal história está cheia de dicas míticas de como devemos agir nesse 2011. Muitas e muitas vezes, como Ogum, temos o desejo de abandonar a nossa forja, o nosso trabalho e nos refugiarmos na floresta, nos afastarmos do mundo, deixar a luta e o trabalho de lado. Isso pode ser necessário por um tempo, mas apenas por um tempo para não afetarmos o equilíbrio do mundo, de nosso mundo. E o mundo em desequilíbrio sempre desenvolve todas as estratégias necessárias para a retomada do equilíbrio. O ano de 2011 nos aconselha a estratégia sedutora, sutil, persuasiva, dissimulada, astuta, envolvente, dançante e ao mesmo tempo corajosa, inteligente, audaz, confiante de Oxum, diante da qual o poderoso guerreiro Ogum retomou o seu trabalho para o bem do mundo, do nosso mundo.

Salve, Ogum! Salve, Oxum!

Quando nos cansarmos do trabalho árduo, da luta estafante fujamos por um tempo para a floresta, mergulhemos nas águas da Oxum, e deixemos que Ela nos limpe e nos cure para que renovados possamos como guerreiros cumprir felizes a nossa tarefa.

Salve, Oxum! Salve, Ogum!

Eu, Fernando Augusto, filho de Oxosse e Iemanjá, os saúdo!



Perante Obatalá, Ogum havia condenado a si mesmo
a trabalhar duro na forja para sempre.
Mas ele estava cansado da cidade e da sua profissão.
Queria voltar a viver na floresta,
Voltar a ser o livre caçador que fora antes.
Ogum achava-se muito poderoso,
Sentia que nenhum Orixá poderia obrigá-lo a fazer o que não quisesse.
Ogum estava cansado do trabalho de ferreiro e partiu para a floresta, abandonando tudo.
Logo que os Orixás souberam da fuga de Ogum, foram a seu encalço para convencê-lo a voltar à cidade e à forja,
Pois ninguém podia ficar sem os artigos de ferro de Ogum,
As armas, os utensílios, as ferramentas agrícolas.
Mas Ogum não ouvia ninguém, queria ficar no mato.
Simplesmente os enxotava da floresta com violência.
Todos lá foram, menos Xangô.
E como estava previsto, sem os ferros de Ogum,
O mundo começou a ir mal.
Sem instrumentos para plantar, as colheitas escasseavam
E a humanidade já passava fome.

Foi quando uma bela e frágil jovem veio à assembléia dos Orixás e ofereceu-se para convencer Ogum a voltar à forja.
Era Oxum a bela e jovem voluntária.
Os outros Orixás escarneceram dela, tão jovem, tão bela, tão frágil.
Ela seria escorraçada por Ogum
E até temiam por ela, pois Ogum era violento, poderia machucá-la, até matá-la. Mas Oxum insistiu, disse que tinha poderes
De que os demais nem suspeitavam.
Obatalá, que escutava mudo,
Levantou a mão e impôs silêncio.
Oxum o convencera, ela podia ir a floresta e tentar.

Assim, Oxum entrou no mato
E se aproximou do sítio onde Ogum costumava acampar.
Usava ela tão somente cinco lenços transparentes
Presos a cintura em laços, como esvoaçante saia.
Os cabelos soltos, os pés descalços,
Oxum dançava como o vento
E seu corpo desprendia um perfume arrebatador.
Ogum foi imediatamente atraído,
Irremediavelmente conquistado pela visão maravilhosa, mas se manteve distante.
Ficou à espreita atrás dos arbustos, absorto.
De lá admirava Oxum, embevecido.
Oxum o via, mas fazia de conta que não.
O tempo todo ela dançava e se aproximava dele
Mas fingia sempre que não dera por sua presença.
A dança e o vento faziam flutuar os cinco lenços da cintura,
Deixando ver por segundos a carne irresistível de Oxum.
Ela dançava, enlouquecia.
Dele se aproximava e com seus dedos sedutores
Lambuzava de mel os lábios de Ogum.
Ele estava como que em transe.
E ela o atraía para si e ia caminhando pela mata,
Sutilmente tomando a direção da cidade.
Mais dançava, mais mel, mais sedução,
Ogum não se dava conta do estratagema da dançarina.
Ela ia na frente, ele a acompanhava inebriado,
Louco de tesão.
Quando Ogum se deu conta,
Eis que se encontravam ambos na praça da cidade.
Os Orixás todos estavam lá
E aclamavam o casal em sua dança de amor.
Ogum estava na cidade, Ogum voltara!
Temendo ser tomado como fraco,
Enganado pela sedução de uma mulher bonita,
Ogum deu a entender que voltara por gosto e por vontade própria.
E nunca mais abandonaria a cidade.
E nunca mais abandonaria a sua forja.
E os Orixás aplaudiam e aplaudiam a dança de Oxum.
Ogum voltou à forja e os homens voltaram a usar seus utensílios
E houve plantações e colheitas
E a fartura baniu a fome e espantou a morte.
Oxum salvara a humanidade com sua dança de amor.


6 comentários:

ELISANGELIS disse...

Que lindo Fernando, como filha de Oxum fiquei extremamente sensibilizada com suas revelações...

Abraços fraternos, que em 2011 possamos nos banhar nas bênçãos de nossa amada Mamãe Oxum...
Ora iê iêo Mamãe Oxum

ELISANGELIS disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rosane Peon disse...

Bom dia F.A.
Eu,Rosane filha de Oxum com Obaluaê,Saúdo!!!
Maravilhoso presente nessa manhã de ano renovado
Que mamãe Oxum,Ora iê iê possa nos dá muitas alegrias,energias e vibrações nessa caminhada.
Salve!!
Beijos
Rosane

Aldo Luiz disse...

Salve Pistas do caminho, Te amo, sou grato! "Quando nos cansarmos do trabalho árduo, da luta estafante fujamos por um tempo para a floresta, mergulhemos nas águas da Oxum, e deixemos que Ela nos limpe e nos cure para que renovados possamos como guerreiros cumprir felizes a nossa tarefa.

Salve, Oxum! Salve, Ogum!

Madalena disse...

Olá querido!

É de Ogum sim. Marte em Capricórnio, e a entrada de Júpiter e Urano em Áries.
E de Iemanjá; Netuno entra em Peixes em 2011, onde ainda se encontram Júpiter e Urano.

Enfim, esta é minha opnião...
Salve todos os orixás! Epa Baba*

Feliz 2011!

Fernando Augusto disse...

Bom dia, pessoal!

Grato pelas manifestações! Nem sempre podemos estar aqui respondendo, mas vibramos com cada manifestação de vocês!

Vos amo, sou grato!

F.A.