Vaidade

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

As pessoas (eu, você,...) se assustam com o fim do mundo, 2012 e coisa e tal, como se não pudessem morrer de uma outra forma, menos grandiosa, menos trágica, menos apocalíptica, menos "midiática" e mais singela, mais humana, mais simplória, enfim, totalmente comum e tola.

O frisson do fim do mundo escamoteia a puerilidade da vida de muitos.

A vaidade humana não é fascinante?

F.A.

Um comentário:

Rosane Peon disse...

Boa Noite F.A.
Li a pouco uma poesia ,sobre a dualidade e brevidade da existência morte e verdadeira vida,gostei muito.

Canção da Morte

A morte passou por aqui.
mas afinal,
Que tem de especial!!..
A morte está sempre em movimento
cantando canção
do sofrimento.
a sua grande vocação.
A canção da morte,
não é muito diferente
da canção da vida.
Ambas dependem da sorte.
melhor ou
pior
gerida.

Henricabilio