Homenagem à Mãe, ao Eterno Feminino, Iemanjá

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011



"Vem surgindo um novo tempo,
traz glórias do divino
mais puros e atentos
nos tornamos canais do infinito

Mãe divina eu quero ser
um filho realizado
e é perante o seu poder
que me entrego pra se libertado

Como um rio que corre para o mar
correntezas carregam o medo
confiança para atravessar
a fronteira do eu derradeiro

Não há desculpas para se escorar
já foi dito a hora é essa
o Tempo é de se integrar
abraçando o que ainda resta

Estou morrendo para o passado
e nem anseio pelo o futuro
minha coroa tem brilho dourado
provo o néctar do amor maduro."


(Chandra Lacombe)

2 comentários:

Adelita Gonzalez M. Denipote disse...

Lindo, Lindo!!! Musica maravilhosa, slides lindos!!!

Verbenna disse...

Ah, que lindo!!!
obrigada pela postagem, Fernando, fiquei emocionada aqui com tanta sensibilidade, música, letra e imagens...