Confiança

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Quando não se tem nada a perder, fica-se corajoso. Só somos tímidos quando há ainda alguma coisa a que nos apegamos.

A autoconfiança do guerreiro não é a autoconfiança do homem comum. O homem comum procura certeza nos olhos do observador e chama a isso autoconfiança. O guerreiro procura impecabilidade aos próprios olhos e chama a isso humildade. O homem comum está preso aos seus semelhantes, enquanto o guerreiro só está preso ao infinito.

Há muitas coisas que um guerreiro pode fazer, em determinado momento, que não poderia ter feito anos antes. Essas coisas não mudaram; o que mudou foi a idéia do guerreiro sobre si mesmo.

Um guerreiro reconhece sua dor mas não se entrega a ela. O ânimo do guerreiro que entra no desconhecido não é de tristeza; ao contrário, ele é alegre, pois sente-se dominado por sua grande sorte, confiante porque seu espírito é impecável e, acima de tudo, totalmente consciente de sua eficiência. A alegria do guerreiro vem da aceitação de seu destino, e por ter avaliado corretamente o que está à sua frente.

Um guerreiro já se considera morto, de maneira que ele não tem nada a perder. O pior já lhe aconteceu, portanto ele está lúcido e calmo; a julgar por seus atos ou por suas palavras, não se suspeitaria que ele tenha presenciado tudo.

Roda do Tempo, de Carlos Castaneda

4 comentários:

KALI, desesperadamente humana. disse...

Boa lembrança.

Martyn disse...

— Não fique nervoso — disse ele, calmamente. — Nada há nesse mundo que um guerreiro não possa enfrentar. Entenda: um guerreiro já se considera morto, de modo que nada tem a perder. O pior já lhe aconteceu, e, portanto ele está lúcido e calmo.

Porta pra o Infinito...

Numerologia Essencial disse...

Estou caminhando... caminhando... ainda chego lá...
\o/\o/\o/

sinto muito, me perdoe, eu te amo, sou grata...

Aldo Luiz disse...

Aldo Luiz disse: sou grato, te amo Fernando; sinto muito, me perdoe, te amo, sou grato.