As pessoas morrem por causa da paixão.

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

As pessoas morrem por causa da paixão. Morrer de amor.

Isto pode ser entendido de tantos modos, pois a força da paixão é fonte para o bem e para o mal, é a árvore do conhecimento.

A paixão não é apenas fator desestrutarador do ego que conduz a deliciosas loucuras. É mais do que isto. É como disse Eliphas Levi: a vênus física é a morte travestida e mascarada de cortesã.

Se as pessoas fosse imortais não haveria a necessidade de paixão, pois o instinto sexual que conduz a reprodução da espécie deixaria de ter sentido. Perpetuar a espécie seria desnecessário.

Mas esta eternidade sem paixão não seria o inferno?

Ou o inferno é um nome para paixão frustrada?

A morte seria um preço justo pela paixão?

E quantas mortes a paixão frustrada provocou?

Viver eternamente ou abraçar à Vênus física?

Os filhos dos deuses não se enamoraram pelas mulheres da Terra? E isto não foi a queda dos anjos? O amor terreno é incompatível com o amor celeste? Quem pode conciliar em si o céu e a terra em tremenda alquimia?

Jesus morreu por causa da paixão, não só por Madalena, mas pela humanidade. Maria Madalena expressa a humanidade com todas as suas qualidades. Paixão sublime e paixão humana em cruz. Morte na cruz, símbolo da união entre o masculino e o feminino, entre o falo e o útero, a paixão crística, o caminho gnóstico.

Adão e Eva morreram por causa da sedução da serpente ao serem expulsos do paraíso por um deus que os impediu de provar da árvore da vida, geradora do fruto da eternidade. A partir daí eles geraram filhos e filhas e por isto que o primeiro livro chama-se gênese. Gênese da queda, da morte e da dor da separação. Gênese 3, três, a Imperatriz do Tarot, a geratriz.

A serpente é o símbolo clássico da libido, da força geradora, da energia criadora. Em sua forma de Ouroboros é o símbolo da eternidade. A serpente tentadora é também redentora, pois caímos por onde se pode subir. A paixão nos precipita e nos arrebata.

Aqui há mistério, há desafio, arcanos dentro de arcanos: Morte, Temperança e Diabo; 13, 14 e 15. 13 + 14 + 15 = 42 = 6. Os Amantes, os Enamorados, Adão e Eva diante da escolha entre o vício e a virtude, entre a serpente tentadora e a serpente redentora. Só a consciência unificadora da dualidade permite uma escolha precisa, equilibrada e vitoriosa, pois as duas serpentes são uma só força.

Quem poderá compreender isto?

"A lúxuria do Bode é a dádiva de Deus."

F.A.

Nenhum comentário: