Desejo

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

O nosso desejo de amar e ser amado é tão grande que se confunde, nos confunde, gera confusões e nesta loucura temos que descobrir o que significa amar, pois o desejo de amor não é amor, é apenas a semente que se sente potência a ser realizada, e nada é certo, pois se o amor não vinga a vida não se completa, se perde entre coisas e desejos.

F.A.

3 comentários:

beijamim disse...

Amor por nós mesmos Fê, e por nosso destino, que não é nem nunca foi pequeno.Como o teu Blog já me ensinou isso!
Aí, dá pra compreender e amar os outros, vendo como é difícil polir o metal e fazê-lo brilhar, a gente compreende o valor de estar aqui.
Amor, por princípio, não se recebe nem se dá, ou a gente está com ele, ou está fora dele.

beijamim disse...

Fernando, tem uns comentários que a gente posta e eles entram, outros não. Postar aqui chega a ser importante, porque participa-se de uma corrente lúcida, e ela nos acompanha. Aqui não é uma questão de ego, mas de participação para a auto elucidação, pra gente sair da peia e ser mais gente, mais larga, respirar com mais abrangência. A gente vê pelos textos e comentários, que é uma egrégora só que precisa e merece ser fortalecida.
Então, me perdoe se a postagem sair repetida, é que dou uma insistida quando acontecem esses meandros internos de sistema de moderação. Se repetir, corta, por favor.
O comentário aqui, em relação a este texto muito bom, é o seguinte:
Amor por nós mesmos Fê, e por nosso destino, que não é nem nunca foi pequeno.A gente pode fazer muita besteira nessa vida, coisas vergonhosas mesmo, e ainda assim, se procurar estar de olhos abertos, vai acabar entendendo o que houve, ou vai se acabar com o que houve.
Aí, dá pra compreender e amar os outros, vendo como é difícil polir o metal e fazê-lo brilhar, a gente compreende o valor de estar aqui.
Amor, por princípio, não se recebe nem se dá, ou a gente está com ele, ou está fora dele

beijamim disse...

Pois é, esse aí tem sido eu. Felizmente, cansa.
Mas demora-se a perceber e sofre-se um bocado, a gente fica perdido patinando. Um mundo não serve mais, mas o outro, demora-se a achar ou mesmo entender. Hábitos realmente enraizados x compreensão sem atitude é 10 a zero pros hábitos. Mais curioso ainda é que não dá pra se achar o coitado, graças à Deus, não dá.Depois que passa, a gente lamenta por um lado, mas entende que precisava passar até compreender.
Mas é preciso uma consideração e um respeito verdadeiro por si mesmo, pra parar de patinar.E ele vem quando a gente não julga tanto os outros.É verdade que todos, ou quase todos os julgamentos que fiz, recaíram sobre minha cabeça.E enquanto a gente responde nos tribunais, a vida pára para avaliar os processos.