Uma verdade inconveniente

terça-feira, 21 de maio de 2013

A simples idéia do ser humano ser gado, ser alimento e rato de laboratório na mão de outras espécies, espécies que chamaremos de alienígenas, é tão incômoda para o nosso ego que chega a ser inconcebível como fato, mas não como ficção.

Daí a popularidade de séries, filmes e histórias sobre vampiros, zumbis, aliens que encontram um eco no inconsciente coletivo e que são exploradas pela mídia hollywoodiana. Exemplos em filmes: Cidade das Sombras, Eles vivem, Predador. Aliás, Cidade das Sombras foi uma das fontes inspiradoras de Matrix. A outra fonte foi 13º andar.

Estas espécies que predam a espécie humana em termos de energia e consciência são capazes de operar nesta e em outras faixas de realidade. Este conhecimento está expresso em algumas tradições esotéricas e pode ser encontrado, por exemplo, nos escritos do antropólogo e nagual Carlos Castaneda, no livro Mensageiros do Amanhecer de Bárbara Marciniak e em várias outras fontes de conhecimento.

O fato disto parecer loucura indica o nível de adestramento e alienação ao qual fomos submetidos pela educação, cultura e religião.

Há tantas religiões e seitas no mundo e quanto mais religiões maior a confusão e a divisão entre os humanos.

Dividir para reinar.

E nenhuma religião fala claramente sobre o fato de sermos dominados e predados por espécies que se fazem nossos senhores e a razão é a mais simples do mundo. As religiões foram criadas pelas espécies predadoras para que nos mantivéssemos submissos e divididos. Exemplo, a mensagem libertadora de Jesus tornou-se a ideologia dominadora das diferentes igrejas.

O fundamental é o ser humano apossar-se de si, de sua mente, incorporar a si mesmo, pois é através da mente que somos submetidos à vontade de seres, que graças a cultura do medo, se apropriam da nossa energia da mesma forma que nos apropriamos do sangue e da vida de diferentes espécies animais.

F.A.

4 comentários:

Plaz Mendes disse...

Fernando o que você pensa sobre todas essas escolas filosóficas como budismo e ordens iniciáticas que pedem para o discípulo "apagar seu ego" através da meditação ou reforma intima, afinal eles sem citar essa mente alien não estariam ao mesmo tema?

Fernando Augusto disse...

Plaz, temos que fazer uma distinção entre o ensinamento original e as doutrinas defendidas pelas instituições. Na fonte o ensinamento é legítimo, é válido, como é o ensinamento do Buda, mas as doutrinas religiosas das diferentes instituições se esquecem não raras vezes da fonte original do ensinamento.

A meditação, o silêncio interior, o domínio da mente é a essência da mensagem do Buda Sidarta Gautama e, como você escreveu, sem citar a questão da mente do predador, eles acabam por nos passar o conhecimento necessário para nos liberarmos desta mente.

No intento,

F.A.

Plaz Mendes disse...

mas por exemplo se a bíblia é um livro corrompido , por que deixar lá os ensinamentos de Jesus? não seria mais fácil retira-los....

Sois Grato

Fernando Augusto disse...

Separar o joio do trigo é o nosso desafio, Plaz ;-)))