Usando Psicodélicos Sabiamente

domingo, 7 de junho de 2015



Minha esposa Jean e eu dirigimos várias milhas até as montanhas, a uma altitude de 6.000 pés algumas milhas ao sul de Mount Whitney, na Califórnia. Estávamos prestes a conhecer Franklin Merrell-Wolff, autor do livro “Pathways through to Space”, uma descrição impressionantemente articulada e detalhada de uma pessoa que entra em um estado de iluminação e saboreia este estado ao longo de vários meses.

Quando chegamos ao seu escritório particular, nos percebemos diante de uma figura que se destacava, que irradiavam um brilho maravilhoso. Quando nós conversamos por alguns minutos e me senti confortável o bastante, eu falei de nosso trabalho de pesquisa, dizendo a ele que tinha passado três anos administrando LSD, às vezes em conjunto com a mescalina, a 350 voluntários de pesquisa e havia publicado nossos resultados em revistas médicas.

“Oh meu deus!” ele disse, olhando para nós consternado. “Eu espero que vocês não tenham usado essas drogas em vocês.”

Afirmamos que usamos. Ele continuou: “De acordo com X” (aqui ele mencionou um sábio indiano, cujo nome não me lembro), “levará sete encarnações para se recuperar dos danos de tomar tais substâncias!”

Naturalmente, eu estava chateado, mas eu não pensei na resposta apropriada até que nós já estivéssemos descendo a montanha de volta: “Nunca subestime a graça de Deus”

tumblr_n3hen1ilji1sjouwmo1_500Não há dúvida de que as substâncias psicodélicas são graças notáveis. Quanto mais longe se pode chegar na vastidão a ser explorada, mais se percebe o quão poderosos esses materiais são. Parece não haver fim para os níveis de consciência que podem ser percebidos por aqueles que os utilizam para explorar suas psiques com integridade e coragem.

O grande valor nestas substâncias é que, de alguma forma ainda não explicada cientificamente, elas dissolvem as fronteiras para a mente inconsciente. Elas nos dão acesso ao nosso material reprimido e esquecido, à ‘Sombra’ que Jung tão eficazmente tratou, aos arquétipos da humanidade, a uma enorme gama de níveis de pensamento, e para a fonte de criatividade e experiência mística que Jung chamou de inconsciente coletivo.

O coração do inconsciente é o que muitos experimentam como a fonte da vida em si, que alguns chamam de Deus. Aqueles que experimentaram este estado, o descrevem como uma maravilhosa fonte, inefável de luz e energia que infunde toda a criação, abrangendo toda a sabedoria e irradiando um vasto, interminável, e sempre constante amor. A Imersão nesta fonte é a essência da experiência mística e produz o que os grandes místicos têm descrito como o “estado de unidade” ou “unicidade”. Essa união é o ponto culminante de toda busca, todo o desejo; É a mais querida de todas as experiências de que o homem é capaz.

Não são todos os que ingerem essas substâncias e podem contar tais revelações. Na verdade, os psicodélicos são poderosas ferramentas e podem ser mal utilizadas. Deve ser lembrado que eles ajudam a revelar o inconsciente, e a maioria de nós tem construído conteúdos inconscientes muito específicos. Nós podemos não gostar do aparecimento de conteúdos reprimidos, sentimentos dolorosos, ou de evidências de que os nossos valores e estilos de vida podem ser melhorados consideravelmente. E nem sempre é fácil aceitar a imensidão do nosso ser, o nosso imenso potencial, e a responsabilidade que tal fato implica. Nós também podemos nos recusar a acreditar que temos o direito de tanta beleza e alegria, sem pagar qualquer preço além de ser nós mesmos!

Para assegurar um resultado gratificante, vamos observar alguns fatores que devem ser levados em consideração ao usar esses materiais. Devo acrescentar aqui que de nenhuma maneira que eu estou incentivando o uso de substâncias ilegais. Espero, no entanto, que uma maior compreensão destes materiais vá ajudar a restaurar uma política inteligente que faça a maior investigação possível. Aqui estão algumas coisas que ajudarão a garantir resultados benéficos:

SET AND SETTING

Set and Setting é um termo cunhado por Normam Zimberg e difundido por Timothy Leary para descrever a relação entre o estado mental do usuário e o ambiente em uma esperiência psicodélica. “Set” é o estado mental que a pessoa traz à experiência, como pensamentos, humor e expectativas. “Setting” é o ambiente físico e social. Estes fatores têm sido amplamente reconhecidos como os dois mais importantes na realização de uma experiência psicodélica.

Como a droga abre a porta para o inconsciente, enormes espectros de possibilidades de experiência se apresentam. Como cada um lida com este vasto labirinto depende em grande parte do próprio estado mental. O “Set” inclui os conteúdos do inconsciente pessoal, que são essencialmente o registro da experiência de toda uma vida. Ele também inclui muros de condicionamento, que determinam a liberdade com a qual cada um se move através das várias perspectivas. Outro aspecto importante do “set” consiste nos valores, atitudes e aspirações de cada um. Estes irão influenciar a direção da atenção e determinar como cada um vai lidar com o material psíquico encontrado.

Na verdade, pode-se aprender muita coisa aceitando e se reconciliando com o material desconfortável. Resistir a este desconforto, por outro lado, pode intensificar significativamente o nível de dor, levando à experiências perturbadoras, insatisfatórias, ou mesmo psicóticas tentativas de fuga. Esta última dinâmica é em grande parte responsável pela antiga visão da medicina que estas substâncias seriam psicotomiméticas (que imitam psicoses). Por outro lado, a rendição, aceitação, gratidão e apreço pode resultar em abertura contínua, expansão e realização.

O “Setting”, ou o ambiente em que a experiência ocorre, também pode influenciar muito a experiência, uma vez que o usuário estará frequentemente muito sugestionável em um estado psicodélico. Temas de inspiração, um belo cenário natural, obras de arte estimulantes e objetos interessantes para examinar podem concentrar a atenção em áreas gratificantes. O mais importante de tudo é um guia experiente, compassivo e que esteja familiarizado com o processo. Sua mera presença estabelece um campo de energia estável, que ajuda o sujeito permanecer centrado. O guia pode ser muito útil no caso do sujeito ficar “preso” em lugares desconfortáveis da experiência, e pode fazer perguntas inteligentes que ajudarão a resolver as dificuldades, bem como sugerindo direções frutíferas de exploração que o experimentador pode ter negligenciado de alguma forma. O usuário também pode achar que simplesmente compartilhar o que está acontecendo com um ouvinte que o entenda vai produzir maior clareza e conforto. Finalmente, um bom companheiro sabe que o melhor guia é o próprio ser interior, e que os indivíduos em estado visionáro não devem ser perturbados a menos que a ajuda seja realmente necessária e procurada.

INTENTO

PillIsto é extremamente importante. Aqueles que buscam com afinco o conhecimento e apreciam profundamente a vida em todas as suas formas se sairão bem. Além disso certas características das drogas psicodélicas as tornam muito populares para um uso recreativo. A mais atraente delas é o seu grande aumento de respostas sensoriais, que oferecem percepção mais aguçada, a amplificação da beleza e do significado, e a intensificada gratificação sensorial. Psicodélicos também podem gerar um grande senso de proximidade entre os participantes, especialmente em um ambiente de grupo. Mas, mesmo que eu esteja convencido de que um dos grandes mandamentos cósmicos é “Aproveite”, há armadilhas no uso dessas substâncias exclusivamente para a recreação. A primeira é que uma pessoa que procura as delícias dos sentidos pode encontrar-se oprimida pela erupção do material inconsciente reprimido sem saber como lidar com ele. Outro perigo é que a constante busca do prazer sem dar nada de volta à vida pode distorcer a personalidade e, finalmente, produzir mais desconforto. A maneira segura de obter bons resutados com psicodélicos é através do uso inteligente e bem informado.

HONESTIDADE

Para o buscador espiritual sério, ou para quem importa a busca pelo conhecimento, a única característica mais importante é a honestidade. Isto significa a coragem de olhar para tudo o que é apresentado pela mente profunda, a capacidade de admitir os próprios defeitos quando eles se tornam aparentes, e a determinação de mudar de comportamento e se alinhar com a verdade que se experimentou.

DISCIPLINA OU PRÁTICA

Especialistas atuais da área geralmente concordam que é prudente realizar explorações psicodélicas no âmbito de uma disciplina ou um programa de crescimento espiritual que continuamente chame a atenção para os valores e objetivos fundamentais. Uma boa disciplina irá delinear um corpo de ética para o comportamento pessoal que irá apoiar as mudanças necessárias. Boa ética também nos ajudará a ter claros os nossos objetivos, e manterá a porta aberta para aumentar a profundidade das experiências. Além disso, há evidências que sugerem que quanto mais estamos dispostos a transmitir aos outros quaisquer bagagens espirituais que acumulamos, mais nos será transmitido.

Quanto a mim, eu achei na prática da meditação do budismo tibetano um complemento poderoso para exploração psicodélica. Aprendendo a manter minha mente vazia, eu me tornei consciente de que outros níveis de realidade poderiam ser manifestos legíveis. Foi somente em silêncio absoluto, acompanhado por uma qualidade especialmente desenvolvida de música, que muitas nuances sutis, mas extremamente valiosas da realidade apareceram. Uma vez que eu alcançava isso em certa medida, na prática comum, eu encontrei este efeito muito mais ampliado, sob a influência de uma substância psicodélica. Por sua vez, intensificou a minha prática diária de meditação.

PSICODÉLICOS COMO REVELADORES DE CAMINHOS

O papel dos psicodélicos é muitas vezes incompreendido. Muitos sentem que tendo tido experiências maravilhosas, agora eles têm as respostas e estão de alguma forma alterados. E, sem dúvida, em muitos aspectos eles estão. Mas os usuários muitas vezes ignoram o fato de que geralmente há muros pesados de condicionamento e ignorância que separam a mente superficial do núcleo do nosso ser. É uma bênção que psicodélicos possam anular essas barreiras e dar acesso ao nossos verdadeiros “eus”. Mas a menos que o indivíduo esteja comprometido com as alterações indicadas, velhos hábitos de personalidade podem rapidamente se restabelecer.

Neste ponto, muitos sentem que repetir a experiência irá manter o estado elevado. Pode ser, mas na maioria das vezes uma mudança real requer trabalho duro e esforço dedicado. Infelizmente isso nem sempre é claro durante a própria experiência; ela simplesmente aponta o caminho e mostra que é possível. Se nós gostamos do que vemos, agora cabe a nós executar as mudanças indicadas.

Gyan_Mudra_poster_1Há um estado de graça nas profundas experiências psicodélicas quando as alterações podem acontecer. Neste momento o indivíduo é infundido com a maravilha e o poder da nova informação. Mais além, e esta é uma área em que algumas pesquisas valiosas podem ser feitas, a experiência da substância libera uma grande quantidade de blindagem corporal e psíquica que está ligada às nossas neuroses. Este rejuvenescimento é bastante perceptível após uma boa experiência psicodélica, quando, sem o peso de arrastar padrões de hábitos físicos, o comportamento pode ser mais facilmente alterado.

Por outro lado, se você não faz nenhum esforço para mudar, hábitos antigos se reafirmam rapidamente, e você pode se encontrar deslizando de volta para o seu estado anterior. Na verdade, ele pode ser pior do que antes, porque agora você sabe que as coisas podem ser melhores e poderá ficar decepcionado ao encontrar-se perdendo tempo com mesmo velho lixo.

Outro fator faz deste processo ainda mais desconfortável. Uma boa parte da energia anteriormente presa em material reprimido é agora liberada. Esta energia pode ser usada de forma bastante frutífera para expandir as fronteiras do seu ser para as novas dimensões que você experimentou. Mas se você voltar aos velhos padrões de comportamento, você terá agora mais energia para reforçá-los, tornando a vida ainda mais difícil. Por esta razão, estas experiências não devem ser iniciadas de forma leviana, mas com intenção séria.

LIDANDO COM A “SOMBRA”

Como Jung indicou, a ‘Sombra’ detém todo o material que deixamos de lado para que possamos nos esconder de nós mesmos. Infelizmente, ela também contém grande parte da nossa energia, e enquanto ela está inconsciente, exerce uma poderosa influência sobre o nosso comportamento sem o nosso saber. Além disso, o conteúdo da Sombra é responsável pela maioria das dificuldades que os seres humanos criam no mundo. Nós projetamos nossa Sombra nos outros, acreditando que são essas outras pessoas a fonte de nossas dificuldades, e buscamos refúgio a partir dessa projeção, em vez de assumir a responsabilidade em nossas próprias mãos. Por conseguinte, devemos compreender e conhecer nosso material de Sombra, se quisermos evoluir. Se isto fosse realizado de forma generalizada, seria um grande benefício para o mundo.

Jung descreve o desenvolvimento humano como o processo de “tornar consciente o inconsciente”. Psicodélicos, especialmente em doses baixas, podem ser ferramentas extremamente eficazes neste processo. A maior parte da minha experiência é com os compostos da fenetilamina, que permaneceram legais por mais tempo que os psicodélicos padrão como o LSD, mescalina, psilocibina. Considerando que uma dose completa de uma fenetilamina, como a 2C-T-2 ou 2C-T-7 pode ser de 20 mg, uma dose baixa seria dez ou doze miligramas, ou mais ou menos equivalente a 25-50 microgramas de LSD.

O guia mais infalível para alcançarmos nosso material de sombra são os nossos sentimentos desconfortáveis. Muitos não gostam de usar doses baixas porque esses sentimentos vêm à tona. Em vez de experimentá-los, eles usam doses maiores para transcendê-los. Mas esses sentimentos desconfortáveis são precisamente o que temos de resolver para nos libertar da sombra, ganhar força e energia, e funcionar de forma mais confortável e competente no mundo. Ao usar quantidades menores e estarmos dispostos a concentrar toda a nossa atenção sobre quaisquer sentimentos que surjam e respirar através deles, descobrimos que esses sentimentos, eventualmente, se dissolvem, e muitas vezes geram uma compreensão e perspectivas renovadas da nossa dinâmica pessoal. A liberação desse material permite uma expansão da consciência e da energia. Se trabalharmos persistentemente para limpar áreas reprimidas, podemos alcançar os mesmos estados sublimes que estão disponíveis com doses maiores – e com um importante ganho adicional. Tendo resolvido os nossos sentimentos desconfortáveis, estamos em uma posição muito melhor para manter um elevado estado de clareza operante no dia-a-dia.

Eu também gostaria de acrescentar umas palavras sobre frequência: Os indivíduos variam muito em sua frequência de utilização destes materiais. Alguns estão satisfeitos com uma experiência avassaladora que eles sentem ser boa para toda a vida. Outros desejam renovar sua familiaridade com essas áreas uma vez ou duas vezes por ano. Ainda outros estão interessados em explorações frequentes para empurrar continuamente os seus conhecimentos para a frente. Independentemente da frequência, é sábio se certificar de que a experiência anterior foi bem integrada e ‘digerida’ antes de embarcar na próxima. No início de um contato com essas substâncias, onde há uma riqueza de novas experiências, isto pode levar vários meses. Conforme uma pessoa vai se tornando mais experiente, o tempo de integração fica mais curto, e o intervalo entre as experiências pode ser encurtado.

Muitos interrompem o uso de psicodélicos quando sentem que aprenderam o que queriam. Mas, muitas vezes, é provável que eles parem porque atingiram uma área profundamente reprimida, dolorosa e que é fortemente defendida. A questão vai além do conteúdo do carácter puramente pessoal, no entanto. É improvável que um indivíduo alcance plena realização sem obter a consciência, não apenas da própria dor e sofrimento, mas de toda a humanidade. Isso pode ajudar a explicar a “Noite Escura da Alma”, que é a barreira final à união mística descrita por Evelyn Underhill em seu livro clássico “Mysticism” . Partindo do princípio que somos um, devemos não só enfrentar a sombra pessoal, mas a sombra de toda a humanidade. Podemos fazer isso mais facilmente quando descobrimos a ampla vastidão de amor que está disponível para dissolver todo o material da Sombra.

LIBERANDO ÁREAS REPRIMIDAS

Há uma outra maneira em que psicodélicos podem beneficiar o entusiasta sério. Muitas vezes acontece que aqueles que perseguem disciplinas espirituais rigorosas alcançam estados elevados, deixando de lado ou compartimentando certos aspectos do comportamento. Com o uso honesto, os psicodélicos não permitirão que tais áreas permaneçam escondidas, e ainda vão insistir na sua emergência. O indivíduo então experimenta o grande alívio de estar em contato com todos os aspectos do próprio ser. A alegria e a emoção de estar totalmente vivo vem de ter acesso completo a todos os sentimentos.

O USUÁRIO TREINADO

Parece haver uma lei cósmica que diz que dar nossa total atenção a um objeto, imagem ou idéia com constância, paciência e aceitação, permitirá que seus atributos mais particulares se revelem. Psicodélicos aceleram enormemente esse processo. Para operar de forma mais eficaz, o observador deve ter desenvolvido a capacidade de manter a sua mente firme para que ele possa ver o processo se desenvolver. Grandes doses podem empurrar alguém com tanta força que pode ser mais difícil realizar isso. Portanto, os melhores resultados serão obtidos por um “usuário treinado” – a pessoa que aprendeu a gerenciar altas doses de drogas psicodélicas, ou que aprendeu a manter sua mente firme o suficiente para observar o seu processo interno com competência. Conforme o usuário vai limpando o seu “conteúdo interior”, ele ganha mais liberdade para dirigir sua própria experiência. Nesta fase, as doses mais elevadas podem ser proveitosamente utilizadas para penetrar mais profundamente na natureza da Realidade.

Curiosamente, este conceito de “usuário treinado” costuma não aparecer na literatura. Mas é precisamente o usuário treinado, que pode tirar melhor proveito do intervalo insondável da sabedoria e entendimento contido nos confins da mente. Não parece haver nenhum limite para as dimensões de compreensão que podem ser experimentadas pelo explorador que tem a coragem, integridade e habilidade para navegar por elas. Com integridade e com o apoio de disciplinas e amigos adequados, pode-se trazer de volta benefícios reais para a melhoria de si mesmo e da humanidade.

Os psicodélicos são necessários? Não é possível que essas mesmas explorações sejam conduzida por aqueles que dominam as habilidades de meditação? Sem dúvida, eles podem, com um enorme investimento de tempo e esforço. Mas é improvável que muitos ocidentais estarão dispostos a assumir tal compromisso. Para os candidatos ocidentais, cuja prática espiritual deve normalmente ser integrada com o “ganhar a vida”, o uso adequado dos psicodélicos pode acelerar consideravelmente o processo. No entanto, não é um caminho para todos. Escolha deve ser baseada no conhecimento dos fatores envolvidos.

Psicodélicos não são um atalho, como é dito para despistar da neessidade de experimentos importantes. Se a iluminação requer a resolução do material inconsciente (e minha experiência pessoal indica que os psicodélicos ajudam nisso), aqueles que aspiram a tal conquista devem considerar cuidadosamente o ritmo e a intensidade com que eles estão dispostos a encontrar esse vasta gama de dinâmicas. O caminho psicodélico, uma vez que é muito mais intenso do que muitas outras disciplinas, é em certo sentido mais fácil, porque muitas vezes proporciona um contato mais cedo e mais profundo com o numinoso. Tal contato inspira comprometimento e abre a porta para mais graças na superação de material interior desconfortável.

Se o nosso compromisso é verdadeiramente para o bem-estar e felicidade de todos os seres sencientes, então é razoável estudar a fundo todos os instrumentos úteis para realizar esses fins. Psicodélicos, se usados com um bom intento, habilidade e integridade, podem contribuir em muito para aliviar a dor e o sofrimento do mundo, uma vez que dão acesso à sabedoria e compaixão para o desenvolvimento espiritual.

Traduzido do Original de Myron J. Stolaroff
Um Pesquisador veterano explica como psicodélicos podem ser usados de forma a produzir benefícios. Publicado na revista GNOSIS, No. 26, winter 1993.

Nenhum comentário: