A única coisa que importa

domingo, 24 de julho de 2016

"Espreitando minhas reações emocionais impiedosamente, ele me conduziu até a fonte de minhas preocupações e eu pude perceber que meu interesse pelas pessoas era uma farsa. Na verdade, eu queria escapar de mim mesmo transferindo aos outros meus problemas. Ele demonstrou que a compaixão, como a entendemos, é uma doença mental, uma psicose que nos aprisiona mais fortemente ao nosso ego".

(...)

"Quando sentir que a mente coletiva o pressiona, tentando convencê-lo de que se concentre nas aparências do mundo, repita para seu interior esta tremenda verdade: 'eu vou morrer, não sou importante, ninguém o é!' Saber isso é a única coisa que importa".

Encontros com o Nagual, de Armando Torres.

Um comentário:

del carvalho disse...

gratidão por ter ativado o blogue novamente