O que define o humano

terça-feira, 6 de setembro de 2016

O problema da mentira está na desfiguração do humano.

O que define o humano é o sentir em equilíbrio.

Sinto, logo sou.

Se fosse a razão o psicopata seria o ápice da evolução humana, pois é 100% razão e 0% emoção.

Penso para descobrir os limites da razão.

Sem o sentimento não há compaixão, humanidade ou empatia.

Quando mentimos falseamos o sentimento e assim falseamos a nós mesmos.

O sentimento é a expressão da alma verdadeira e do coração, diferente da reatividade emocional que é própria da legião (os diferentes eus dentro da máquina humana ou do animal intelectual).

Quando você promete e não cumpre trai, sobretudo, a si mesmo, torna-se débil, fraco, complacente. Não pode haver força em si mesmo.

Trair a si mesmo é manifestar a legião, os muitos em nós mesmos, é revelar a terrível verdade da ausência da individualidade.

A máxima "Faz o que Tu queres será o todo da Lei" só pode ser entendida por aqueles e aquelas que possuem individualidade verdadeira e realizaram a paciência e a perserverança dita em outro ensino: Com paciência possuireis vossas almas.

Mas o mentiroso não possui alma.

Por isso a mentira tornou-se a essência do mal e a marca do psicopata, do político, do estelionatário e do capitalista.

"Vocês pertencem ao pai de vocês, o Diabo, e querem realizar o desejo dele. Ele foi homicida desde o princípio e não se apegou à verdade, pois não há verdade nele. Quando mente, fala a sua própria língua, pois é mentiroso e pai da mentira.

Ouspensky chamou a psicologia do homem-máquina de a psicologia da mentira pois temos que começar por investigar nossas ilusões, descobri-las, reconhecê-las, mas o animal intelectual pensa que sabe e ignora que ignora.

"O mais importante não é sobreviver, mas manter-se humano" - 1984.

Nenhum comentário: