Pathwork, livro para download

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Introdução

I. Eu, você e o mal

A natureza humana é capaz de um mal infinito. Hoje, como nunca dantes, é importante que os seres humanos não subestimem o perigo representado pelo mal que espreita dentro deles. Ele é, infelizmente, bastante real, e é por essa razão que a psicologia deve insistir na realidade do mal e deve rejeitar qualquer definição que o considere insignificante ou na verdade inexistente - C. G. Jung.

Quando o mal é compreendido como sendo intrinsecamente um fluxo de energia divina momentaneamente distorcido devido a idéias errôneas, a conceitos e imperfeições específicos, então ele não é mais rejeitado na sua essência.

“O significado do mal e a sua transcendência.”

Você não é uma pessoa má. Eu não sou uma pessoa má. Contudo, o mal existe no mundo. De onde ele vem?

As coisas más que são feitas sobre a terra são praticadas por seres humanos. Nós não podemos pôr a culpa nas plantas ou nos animais, numa doença infecciosa ou em influências nefastas do espaço sideral. Mas, se você e eu não somos maus, quem o é? Será que o mal reside apenas em outros lugares tais como a Alemanha nazista ou o “império maligno” da União Soviética stalinista? Ou será que ele habita somente os corações dos criminosos e dos barões das drogas, mas não os das pessoas que conhecemos?

Será ainda possível que ninguém seja mau, mas apenas desorientado? Podemos nós realmente retribuir o horror do Holocausto, ou o sadismo de Idi Amin, ou a tortura sancionada pelo governo, que acontece exatamente agora em muitos países do mundo, a uma mera desorientação? Essa palavra parece inconsistente e não basta como explicação.

Onde reside o mal? De onde ele surge?

O Pathwork ensina que o mal reside em cada um de nós e em toda alma humana. Ou, em outras palavras: o mal que existe no mundo nada mais é que a soma do mal que existe em todos os seres humanos.

“Mau” é um adjetivo muito forte. A maioria das pessoas quer reservá-lo para os Hitlers e para os criminosos e se nega a aplicá-lo a elas mesmas. Será ele aplicável a você e a mim?

A primeira definição de “mau” dada pelo meu dicionário é: “moralmente repreensível, pecaminoso, maléfico”. Essa definição torna claro que não é apropriado o uso da palavra para falar “dos males da doença e da morte”. Doença e morte são aspectos dolorosos da experiência humana, mas decerto não são “moralmente repreensíveis”. Por outro lado, é correto usar tal adjetivo para falar da “maléfica instituição da escravidão”.

Eu já fiz coisas que são moralmente repreensíveis e tenho fortes suspeitas de que você também fez. Todos nós temos falhas de caráter, todos somos mais ou menos egocêntricos, egoístas e mesquinhos. E essas falhas de caráter levaram-me, muitas vezes, a ser antipático, rancoroso, ciumento, e agir de formas que só contribuem para aumentar o sofrimento no mundo. Mas isso faz de mim uma pessoa má?

Você e eu certamente não somos maus em nossa totalidade, ou em nossa essência, mas temos o mal dentro de nós. Portanto, a palavra “mal” pode descrever um contínuo de comportamento que vai desde a simples mesquinhez e o egocentrismo, num extremo, até o sadismo genocida do nazismo no outro. Aqueles de nós que habitam um extremo inferior do espectro podem ter o desejo de dizer que nada tem em comum com os assassinos do extremo oposto; contudo, será que não temos nada em comum com eles? Para usar o segundo daqueles sinônimos oferecidos pelo dicionário, não somos todos nós pecadores?

Há trinta ou quarenta anos atrás, a palavra “pecado” ainda era de uso comum, mas hoje (a não ser entre os fundamentalistas) ela praticamente não é mais empregada. Agora preferimos usar a terminologia da Psicologia que fala antes dos defeitos e falhas humanos, mas normalmente de uma maneira que põe a culpa alhures – nos pais ou na sociedade – por fazerem de nós o que nós somos. A mudança pessoal então ocorre quando compreendemos a origem da programação negativa que os outros nos infligiram, vivenciamos todos os sentimentos envolvidos (fundamentalmente raiva e pesar) e então perdoamos a fonte externa da nossa negatividade, da qual ainda sofremos. E isso é uma parte crucial do processo de transformação.

“Contudo, na visão da Psicologia nós perdemos algo que a velha idéia religiosa do pecado nos deu. A saber, que somos responsáveis pela nossa negatividade, pelos nossos atos e omissões. Ser responsável é muito diferente de ser culpado. Significa simplesmente reconhecermos-nos às vezes como a origem da dor, da injustiça e do descaso para conosco mesmos, para com os outros e para com o mundo”.

Se eu posso admitir esse grau de responsabilidade – admitir que não sou apenas uma vítima do mal que existe no mundo, mas que sou, da minha própria pequena maneira, um iniciador de negatividade – então, o que devo fazer a respeito? Como posso transformar o mal que existe em mim?

A religião tradicional nos dá preceitos a serem seguidos, tais como: “Faça aos outros o que desejaria que eles fizessem a ti” e “Ama a teu próximo como a ti mesmo”. Certamente nós podemos concordar que, se todos pautassem a sua existência por essas regras áureas, o mundo seria um lugar mais agradável de se viver. Eu não o faço e você não o faz. Se aceitamos o princípio como válido, porque é tão difícil seguí-lo? Como posso mudar o meu comportamento? O que preciso fazer para tornar-me mais amoroso? Com demasiada freqüência a resposta da religião tradicional parece ser apenas: esforce-se mais.

Na religião tradicional, segundo as palavras de Carl Jung: “Todos os esforços são feitos para ensinar crenças ou condutas idealistas às quais as pessoas sabem em seus corações que jamais poderão corresponder, e esses ideais são pregados por pessoas que sabem que eles mesmos nunca corresponderam, e nunca corresponderão a esses elevados padrões. E mais: ninguém jamais questiona o valor desse tipo de ensinamento”.

As respostas da religião tradicional têm sido tão decepcionantes que muitas pessoas que antes teriam consultado um clérigo agora consultam um psicoterapeuta. A moderna Psicologia tem sido bem sucedida ao tratar com o problema do mal?

Um recente artigo sobre Abraham Maslow, o pai da psicologia humanista, afirma: “Ao final da sua vida, Maslow estava lidando com a natureza da maldade humana. ... [Ele] expressou apreensão quanto à incapacidade da Psicologia humanista e transpessoal em assimilar o nosso lado ‘escuro’(aquilo que Jung denominou sombra) em uma teoria abrangente da natureza humana. O próprio Maslow considerava esse tema preocupante e, na ocasião da sua morte, não havia chegado a qualquer conclusão final sobre ele”.

Aqueles dentre nós que estudaram e praticaram o Pathwork descobriram, com um sentimento de alívio, que esses ensinamentos fornecem o elo perdido crucial que tem até aqui escapado à religião e à psicologia.

A vasta maioria das transmissões espirituais da atualidade, ou material canalizado, concentra-se na bondade essencial dos seres humanos, na nossa natureza divina final. E essa é uma mensagem valiosa para nosso tempo. Mas o que faremos com o nosso “lado Escuro”? de onde ele vem, porque é tão intratável e como devemos lidar com ele?

É nas respostas a essas questões que repousa o valor único do Pathwork. A transmissão que veio através de Eva Pierrakos ensina-nos que o mal pode ser encontrado de alguma forma no coração de cada ser humano, mas que ele não precisa ser temido e negado. Um método é oferecido para que possamos ver claramente o nosso “lado escuro”, compreender suas raízes e causas e, o que é mais importante, transformá-lo. O resultado dessa transformação será paz no coração humano, e só depois que esta for alcançada haverá paz na terra.

II. Eva, o Guia, o Pathwork

O material que se encontra reunido aqui foi originalmente transmitido por via oral e não por escrito. Eva Pierrakos não é sua autora; ela é apenas o canal através do qual ele foi enviado. O verdadeiro autor é um ser desencarnado, que falava através de Eva quando ela entrava em um estado alterado de consciência. Esse ser nada nos diz dele mesmo – nenhum traço de personalidade, nenhuma história, nenhum glamour. Ele nem ao menos deu a si mesmo um nome, mas veio a ser conhecido como “O Guia”. O material que foi transmitido ficou conhecido como “as Palestras do Guia”, e o processo de transformação pessoal exposto nos ensinamentos é conhecido como “O Pathwork”.

O Guia colocou toda a ênfase no material exposto e nenhuma sobre a sua fonte. Ele disse, em uma de suas últimas transmissões: “não se preocupe com o fenômeno desta comunicação em si. A única coisa que importa compreender no início de uma aventura como esta é que existem níveis de realidade que vocês ainda não exploraram e experimentaram e sobre os quais podem, no máximo, teorizar”. “A Teoria não é o mesmo que a experiência, e deixar as coisas como estão no momento será bem melhor que tentar forçar uma conclusão definitiva. Lembrem-se de que esta voz não exprime a mente consciente do instrumento humano através do qual eu falo. Além do mais, levem em consideração que cada personalidade tem uma profundidade da qual ela mesma pode ainda não ter consciência. Nessa profundidade, todos possuem os meios para transcender os estreitos limites da sua personalidade e receber acesso a outros reinos e entidades dotadas de um conhecimento mais amplo e mais profundo”.

De 1957 a 1979, o Guia proferiu, através de Eva, 258 palestras sobre a natureza da realidade psicológica e espiritual, e sobre o processo de desenvolvimento espiritual pessoal. Uma amostragem de dezessete dessas palestras foi publicada em um volume anterior intitulado The Pathwork of Self-Transformatiom.* O presente volume vai concentrar-se no método de autotransformação que o Guia apresentou. Não é um método simples, mas ele promete, caso seja seguido fiel e corajosamente, resultados de enorme alcance.

“Este caminho exige de um indivíduo aquilo que a maioria das pessoas está menos disposta a dar: verdade para consigo mesmo, exposição daquilo que existe agora, eliminação de máscaras e fingimentos e a experiência da sua vulnerabilidade nua. Isso é muito, e contudo é o único caminho que conduz à verdadeira paz e integridade”.

No decorrer dos dez primeiros anos das transmissões do Guia, um grupo de pessoas reuniu-se em torno de Eva, aprendendo os princípios que o Guia expunha e tentando colocá-los em prática. Em 1967 Eva conheceu o Dr. John Pierrakos, psiquiatria e co-criador de uma escola de terapia conhecida como Bioenergética. Eles se casaram alguns anos depois e a fusão dos seus trabalhos individuais conduziu a uma grande expansão da comunidade Pathwork.

A rede de pessoas que praticam e ensinam o Pathwork inclui agora duas escolas que ensinam o Pathwork (em Phoenicia, Nova York e Madison, Virgínia) e grupos de estudos em muitas áreas urbanas nos EUA e Europa.

Durante a vida de Eva (ela morreu em 1979), a comunidade Pathwork reunia-se todos os meses em um local da cidade de Nova York. Eva entrava num estado que descrevia como um leve transe e o Guia falava através dela por cerca de 45 minutos. As palestras eram gravadas, transcritas e então distribuídas aos membros da comunidade.

A apresentação verbal do material levou a um certo grau de repetição em cada palestra. Ao longo dos 22 anos da sua transmissão, muitos temas também foram repetidos e elaborados. Na preparação deste livro algumas das repetições do Guia foram retiradas, porém, dado o nosso desejo de manter o sabor original, algo delas foi mantido. Ao final de cada palestra havia uma série de perguntas e respostas. Omitimos a maior parte desse material, mas optamos por manter vários exemplos desse intercâmbio entre os membros e o Guia.

III. Como usar este livro

Recomendamos com insistência que você não tente sentar-se e ler este volume de uma só vez. O material nele contido foi originalmente apresentado com a expectativa de que cada palestra fosse lida e então discutida por um me inteiro antes que a próxima palestra fosse proferida. Muito desse material é demasiado denso e requer releitura e profundas tentativas de aplicá-lo à sua vida. Caso existam outras pessoas com as quais você possa compartilhar este livro, considerando-o juntos e discutindo-o à medida que avançam, esse seria o ideal. Caso contrário, recomendamos que você leia cada palestra uma vez, aguarde alguns dias e então a leia novamente, reservando algum tempo para a melhor aplicação dos princípios em si mesmo e na sua própria vida antes de passar à leitura da próxima palestra.

A seleção das palestras e partes de palestras que aparecem aqui constituem uma amostra das 258 que foram proferidas. Elas são apresentadas cronologicamente e dão melhor resultado se forem lidas nessa ordem. Contudo, se você achar alguma seção deste livro muito difícil, recomendamos que, em vez de deixá-lo de lado, salte adiante para outra palestra com um título que o interesse.

Estas palestras apresentam um método de auto-observação e uma estrutura teórica que você pode usar para organizar e compreender aquilo que observa. O Trabalho então requer diligentes esforços para remover as suas máscaras e defesas e para entrar em contato e reconhecer os verdadeiros sentimentos que você reprimiu e negou. Uma parte desse trabalho pode ser feita individualmente, mas, para a maioria das pessoas que atingiu esse estágio de Pathwork, fica muito difícil continuar o trabalho sozinho. Você precisará de amigos e conselheiros, companheiros de viagem, para ajudá-lo a ver certos aspectos de si mesmo que você prefere manter na sombra.

Uma vez que tenha aprendido a verdadeira auto-observação – e então tenha tido a coragem de trazer a sua sombra, o seu Eu Inferior, para a luz -, você estará pronto e apto a iniciar a prática da verdadeira autotransformação. O trabalho não é rápido nem fácil, mas ele vai realmente mudar a sua vida.

D.T.

Download do livro Não temas o mal AQUI

Câncer tem cura: Morrendo por não saber

sábado, 29 de outubro de 2011

Câncer tem cura. Pela Terapia Max Gerson desde 1928. Cura-se pela alimentação orgânica, através de sucos e através de um processo de limpeza usando café orgânico. É um processo natural. Então é barato, não pode ser patenteada, não interessa as corporações farmacêuticas e a máfia médica. A prova, a evidência está aí. Ajude a divulgar esta preciosa informação. Livre seus amados das garras das corporações e das máfias médicas. Não é a 1ª vez que divulgamos isto aqui e não será a última. Além dos vídeos abaixo vocês encontram mais material nessas outras postagens:

http://pistasdocaminho.blogspot.com/2010/10/terapia-max-gerson-e-cura-do-cancer.html

http://pistasdocaminho.blogspot.com/2010/10/terapia-max-gerson-e-cura-do-cancer-2.html

http://pistasdocaminho.blogspot.com/2010/10/terapia-max-gerson-e-cura-do-cancer-3.html











A hipocrisia do Império mais uma vez estampada

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

A verdade vos aterrorizará

"Nosso medo mais profundo não é o de não sermos bons o suficiente.

O nosso medo mais profundo é o de sermos poderosos além das medidas.

É a nossa luz, e não a nossa escuridão, o que mais tememos.

Por isso nos perguntamos:

Quem somos para nos considerarmos brilhantes, maravilhosos, talentosos, fabulosos?

Nós somos crianças de Deus.

A nossa falsa humildade não vai servir o mundo.

Não há nada de iluminado nesse encolher-se para que outros não se sintam inseguros à nossa volta.

Estamos todos aqui para irradiar como fazem as crianças e a medida em que deixamos a nossa luz brilhar, inconscientemente damos aos outros permissão para que brilhem também.

A medida que nos liberamos do nosso próprio medo, a nossa presença, automaticamente libera outros para que façam o mesmo."

Nelson Mandela

Matemáticos revelam rede capitalista que domina o mundo (nem precisava)

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Uma análise das relações entre 43.000 empresas transnacionais concluiu que um pequeno número delas - sobretudo bancos - tem um poder desproporcional- mente elevado sobre a economia global. A conclusão é de três pesquisadores da área de sistemas complexos do Instituto Federal de Tecnologia de Lausanne, na Suíça. Este é o primeiro estudo que vai além das ideologias e identifica empiricamente essa rede de poder global.

New Scientist

Nota introdutória publicada por Ladislau Dowbor em sua página:

The Network of Global Corporate Control - S. Vitali, J. Glattfelder eS. Battistoni - Sept. 2011

Um estudo de grande importância, mostra pela primeira vez de forma tão abrangente como se estrutura o poder global das empresas transnacionais. Frente à crise mundial, este trabalho constitui uma grande ajuda, pois mostra a densidade das participações cruzadas entre as empresas, que permite que um núcleo muito pequeno (na ordem de centenas) exerça imenso controle. Por outro lado, os interesses estão tão entrelaçados que os desequilíbrios se propagam instantaneamente, representando risco sistêmico.

Fica assim claro como se propagou (efeito dominó) a crise financeira, já que a maioria destas mega-empresas está na área da intermediação financeira. A visão do poder político das ETN (Empresas Trans-Nacionais) adquire também uma base muito mais firme, ao se constatar que na cadeia de empresas que controlam empresas que por sua vez controlam outras empresas, o que todos "sentimos" ao ver os comportamentos da mega-empresas torna-se cientificamente evidente. O artigo tem 9 páginas, e 25 de anexos metodológicos. Está disponível online gratuitamente, no sistemaarxiv.org

Um excelente pequeno resumo das principais implicações pode ser encontrado no New Scientist de 22/10/2011 (e está publicado a seguir).

(*) O gráfico em forma de globo mostra as interconexões entre o grupo de 1.318 empresas transnacionais que formam o núcleo da economia mundial. O tamanho de cada ponto representa o tamanho da receita de cada uma

A rede capitalista que domina o mundo

Conforme os protestos contra o capitalismo se espalham pelo mundo, os manifestantes vão ganhando novos argumentos.

Uma análise das relações entre 43.000 empresas transnacionais concluiu que um pequeno número delas - sobretudo bancos - tem um poder desproporcionalmente elevado sobre a economia global.

A conclusão é de três pesquisadores da área de sistemas complexos do Instituto Federal de Tecnologia de Lausanne, na Suíça

Este é o primeiro estudo que vai além das ideologias e identifica empiricamente essa rede de poder global.

"A realidade é complexa demais, nós temos que ir além dos dogmas, sejam eles das teorias da conspiração ou do livre mercado," afirmou James Glattfelder, um dos autores do trabalho. "Nossa análise é baseada na realidade."

Rede de controle econômico mundial

A análise usa a mesma matemática empregada há décadas para criar modelos dos sistemas naturais e para a construção de simuladores dos mais diversos tipos. Agora ela foi usada para estudar dados corporativos disponíveis mundialmente.

O resultado é um mapa que traça a rede de controle entre as grandes empresas transnacionais em nível global.

Estudos anteriores já haviam identificado que algumas poucas empresas controlam grandes porções da economia, mas esses estudos incluíam um número limitado de empresas e não levavam em conta os controles indiretos de propriedade, não podendo, portanto, ser usados para dizer como a rede de controle econômico poderia afetar a economia mundial - tornando-a mais ou menos instável, por exemplo.

O novo estudo pode falar sobre isso com a autoridade de quem analisou uma base de dados com 37 milhões de empresas e investidores.

A análise identificou 43.060 grandes empresas transnacionais e traçou as conexões de controle acionário entre elas, construindo um modelo de poder econômico em escala mundial.

Poder econômico mundial

Refinando ainda mais os dados, o modelo final revelou um núcleo central de 1.318 grandes empresas com laços com duas ou mais outras empresas - na média, cada uma delas tem 20 conexões com outras empresas.

Mais do que isso, embora este núcleo central de poder econômico concentre apenas 20% das receitas globais de venda, as 1.318 empresas em conjunto detêm a maioria das ações das principais empresas do mundo - as chamadas blue chips nos mercados de ações.

Em outras palavras, elas detêm um controle sobre a economia real que atinge 60% de todas as vendas realizadas no mundo todo.

E isso não é tudo.

Super-entidade econômica

Quando os cientistas desfizeram o emaranhado dessa rede de propriedades cruzadas, eles identificaram

uma "super-entidade" de 147 empresas intimamente inter-relacionadas que controla 40% da riqueza total daquele primeiro núcleo central de 1.318 empresas.

"Na verdade, menos de 1% das companhias controla 40% da rede inteira," diz Glattfelder.

E a maioria delas são bancos.

Os pesquisadores afirmam em seu estudo que a concentração de poder em si não é boa e nem ruim, mas essa interconexão pode ser.

Como o mundo viu durante a crise de 2008, essas redes são muito instáveis: basta que um dos nós tenha um problema sério para que o problema se propague automaticamente por toda a rede, levando consigo a economia mundial como um todo.

Eles ponderam, contudo, que essa super-entidade pode não ser o resultado de uma conspiração - 147 empresas seria um número grande demais para sustentar um conluio qualquer.

A questão real, colocam eles, é saber se esse núcleo global de poder econômico pode exercer um poder político centralizado intencionalmente.

Eles suspeitam que as empresas podem até competir entre si no mercado, mas agem em conjunto no interesse comum - e um dos maiores interesses seria resistir a mudanças na própria rede.

As 50 primeiras das 147 empresas transnacionais super conectadas

Barclays plc
Capital Group Companies Inc
FMR Corporation
AXA
State Street Corporation
JP Morgan Chase & Co
Legal & General Group plc
Vanguard Group Inc
UBS AG
Merrill Lynch & Co Inc
Wellington Management Co LLP
Deutsche Bank AG
Franklin Resources Inc
Credit Suisse Group
Walton Enterprises LLC
Bank of New York Mellon Corp
Natixis
Goldman Sachs Group Inc
T Rowe Price Group Inc
Legg Mason Inc
Morgan Stanley
Mitsubishi UFJ Financial Group Inc
Northern Trust Corporation
Société Générale
Bank of America Corporation
Lloyds TSB Group plc
Invesco plc
Allianz SE 29. TIAA
Old Mutual Public Limited Company
Aviva plc
Schroders plc
Dodge & Cox
Lehman Brothers Holdings Inc*
Sun Life Financial Inc
Standard Life plc
CNCE
Nomura Holdings Inc
The Depository Trust Company
Massachusetts Mutual Life Insurance
ING Groep NV
Brandes Investment Partners LP
Unicredito Italiano SPA
Deposit Insurance Corporation of Japan
Vereniging Aegon
BNP Paribas
Affiliated Managers Group Inc
Resona Holdings Inc
Capital Group International Inc
China Petrochemical Group Company

Um filme de ação inteligente: Revólver

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

O ego deve ser conscientemente ignorado.

Uma metáfora sobre o primeiro inimigo do homem de conhecimento dentro da tradição tolteca: o medo.

Mas também uma reflexão sobre a estrutura egóica da mente ou aquilo que a tradição tolteca chama de "mente do predador". É isso que há sob o manto da ação neste interessante filme de Guy Ritchie, praticamente um contra-ponto aos filmes de ação, por ser muito inteligente e provocar a reflexão como poucos filmes de ação fizeram. Um exemplo deste tipo de filme é Matrix, Hero, Cidade das Sombras e 13º andar. A diferença de Revólver é que ele é inesperado, cria um efeito surpresa, pois segue a estética do filme de ação. Vale a pena conferir. Naturalmente que fiz aqui uma leitura pessoal e várias outras leituras são possíveis como ficará estampado no final do filme.

Download: http://www.megaupload.com/?d=4KBY8P8G

Ano de Lançamento: 2006
Gênero: Ação
Áudio: Dual
Tamanho: 760 MB
Formato: AVI



Sinopse: Depois de Jogos, Trapaças e Dois Canos Fumegantes e Snatch – Porcos e Diamantes, Guy Ritchie volta em Revólver, a história do perturbado Jake, bandidão que sai da cadeia disposto a vingar os anos em que esteve preso. Sua missão é destruir a vida de Macha, um poderoso chefão que passa a maior parte do tempo vestido de rídiculas cuecas, mas que manda matar sem dó. Os dois se envolvem com Lord John, o mais temido de todos os facínoras. Jake, Macha e Lord não são flores que se cheirem. O encontro dos três é nitroglicerina pura pronta para explodir.

Os Métodos do Despertar, por Satyananda

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

De acordo com os Tantras, Kundalini pode ser despertada por vários métodos, os quais podem ser praticados individualmente ou em combinação.

Contudo, o primeiro método não pode ser praticado, porque é o despertar pelo nascimento. Naturalmente ele é tarde de mais para muitos de nós tomarmos vantagem neste método particular, mas alguns de nós podemos ser úteis na produção de crianças que tem Kundalini desperta.

O DESPERTAR PELO NASCIMENTO

Por um nascimento favorável, se seus pais forem altamente evoluídos, você pode ter uma Kundalini desperta. Também é possível nascer com uma sushumna desperta, ida ou pingala nadi. Isto significa que a partir do momento do nascimento, as suas faculdades elevadas estarão operando parcial ou totalmente.

Se uma criança nasce com um despertar parcial, ela é chamada de santo, e se ela nasce com a iluminação completa, ela é conhecida como uma encarnação de um avatar ou um filho de Deus. Se alguém nascer com uma Kundalini desperta, suas experiências estarão totalmente sob controle. Elas realizam-se nele desde o início de uma forma natural, assim ele nunca sente que algo extraordinário esta acontecendo com ele. Uma criança com a Kundalini desperta tem clareza de visão, uma alta qualidade de pensamentos e uma filosofia sublime. Sua atitude de vida é um tanto incomum, bem como seu total desapego. Para ele, seus pais são apenas seus meio de criação e, portanto, ele é incapaz de aceitar o relacionamento social normal com eles*. Embora ele possa viver com eles, ele sente como se fosse apenas um convidado. Essa criança apresenta um comportamento muito maduro e ela não reage emocionalmente com qualquer coisa na vida. Conforme ela cresce, ela torna-se consciente de sua missão e de seu objetivo na vida*.

Muitos de nós podemos querer dar à luz a um yogue ou a um filho iluminado, mas isto não é uma questão simples. Todo casamento, ou união de pais, não pode produzir um yogue, mesmo se o homem e a mulher praticam yoga de manhã à noite. Isto é somente sob certas circunstancias que um ser superior pode ser produzido. A fim de abrir as portas para uma alma muito evoluída neste mundo, tem de primeiro transformar seus desejos brutos em aspirações espirituais.

É muito difícil convencer as pessoas no ocidente de que uma criança pode nascer em um estado iluminado, porque elas têm atitudes morais de uma determinada religião profundamente enraizadas em suas mentes e em sua fé. Para eles, a união entre um homem e uma mulher é pecado. Se você explicar para eles que um yogue pode ser produzido como o resultado de uma união sexual, eles dirão, "Não! Como pode um yogue nascer do pecado?"
É possível que a nova geração de super homens seja produzida desta forma. Através das praticas de yoga você pode transformar as qualidades de seus genes. Se os genes podem produzir artistas, cientistas, inventores e gênios intelectuais, então por que não Kundalini desperta? Você tem que transformar a qualidade de seu óvulo ou esperma primeiramente transformando toda a sua consciência.

Nem drogas nem dieta irão transformar seus genes, mas se você mudar sua consciência, você pode então efetuar os elementos de seu corpo e, finalmente, mudar a qualidade do esperma e do óvulo. Então você terá crianças com a Kundalini desperta. Eles se tornarão os yogues e mestres da casa que definirão as coisas corretamente para você. Eles dirão, "Mãe, você não é o seu corpo físico". "Pai, beber não é bom".

Aqueles dentre vocês que entram na vida conjugal, devem manter em mente que o objetivo não é apenas o prazer, ou a produção de prole, mas a criação de um gênio. Em todo o mundo as pessoas que se casam para a progenitura devem tentar ter crianças de elevada qualidade.

O MANTRA

O Segundo método para despertar Kundalini é através da pratica regular e constante de mantra. Isto é muito poderoso, suave e livre de métodos arriscados, mas é claro que é uma sadhana que requer tempo e muita paciência. Primeiro você precisa obter um mantra adequado de um guru que conhece yoga e tantra, e que pode guiar você através de sua sadhana. Quando você pratica o mantra incessantemente, desenvolve-se em você a visão de uma força superior e que permite que você viva em meio às sensualidades da vida com indiferença a elas. Quando você joga uma pedra em um lago tranqüilo, produz ondas circulares. Da mesma forma, quando você repete um mantra repetidas vezes, a força do som ganha impulso e cria vibrações no oceano da mente.

Quando você repete o mantra milhões e bilhões de vezes, ele permeia cada parte de seu cérebro e purifica todo o seu corpo físico, mental e emocional.

O mantra deve ser recitado de voz alta, suavemente, no plano mental e no plano psíquico. Ao praticá-lo nestes quatro níveis, Kundalini desperta metódica e sistematicamente. Você também pode usar o mantra pela repetição mental em coordenação com a respiração, ou você pode cantá-lo em voz alta na forma de um kirtan. Isto cria uma grande potencial em mooladhara e o despertar tem lugar.

Estreitamente relacionado com o yoga mantra, é o despertar através do som, ou música – nada yoga. Aqui os sons são os bija mantras e a musica consiste de melodias particulares correspondendo aos chakras em particular. Isto é mais um suave e atraente modo de despertar.

O TAPASYA (OU TAPAS)

O terceiro método de despertar é Tapasya, que significa a realização de austeridades. Tapasya é um meio de purificação, uma queima ou ajuste no fogo para que um processo de eliminação seja criado, não no corpo físico, mas nos corpos mental e psíquico. Através deste processo, a mente, as emoções e toda a personalidade são limpas de toda a sujeira, complexos e padrões de comportamento que causam dor e sofrimento. Tapasya é um ato de purificação. Ele não deve ser mal entendido como permanecer nu em água fria ou neve, ou praticando austeridades tolas e sem sentido. Quando você quer eliminar um mau hábito, quanto mais você quer se livrar dele, mais poderoso ele se torna. Quando você o abandona no estado de vigília, ele aparece em sonhos, e quando você para aqueles sonhos, ele se expressa em seu comportamento ou se manifesta em doenças. Este hábito em particular deve ser destruído em sua raiz psíquica, não apenas no nível consciente. O samskara e o vasana devem ser eliminados por alguma forma de tapasya.

Tapasya é um processo psicológico ou psíquico-emocional através do qual o aspirante tenta por em marcha um processo de metabolismo que vai erradicar os hábitos que criam fraqueza e obstruem o despertar da vontade. "Eu preciso fazer isto, mas eu não posso". Por que essa diferença entre deliberação e implementação surgem na mente do aspirante? Por que isso é tão grande? É devido a uma deficiência de vontade; e esta fraqueza, esta distancia ou barreira entre a resolução e a execução pode ser removida através de uma pratica regular e repetida de tapasya. Então, a vontade toma uma decisão uma vez e o caso está terminado.
Esta força de vontade é fruto de tapasya. A psicologia da austeridade desempenha um papel muito importante no despertar do poder latente do homem. Ela não é bem compreendida pelo homem moderno que, infelizmente, aceitou que o homem vive para "o princípio do prazer", como proposto por Freud e seus discípulos. A psicologia da austeriada é muito boa e certamente não é anormal. Quando os sentidos estão satisfeitos pelos objetos do prazer, pelos confortos e luxos, o cérebro e o sistema nervoso tornam-se fracos e a consciência e a energia passam por um processo de regressão. É nesta situação que o método de austeridade é um dos mais poderosos e por vezes explosivos método do despertar.

Aqui as manifestações são enormes e o aspirante tem que enfrentar seus mais baixos instintos no inicio. Ele confronta um monte de tentações e as agressões das forças satânicas e tamásicas. Todo o mal, ou samskaras negativos, ou karmas de muitas, muitas encarnações vêm à superfície. Às vezes o medo se manifesta muito poderoso, ou o apego ao mundo vem com muita força. Em algumas pessoas as fantasias sexuais assombram a mente por dias seguidos, enquanto outros se tornam magros ou até mesmo doentes. Nesta conjuntura, os siddhis podem surgir.

Desenvolve-se a percepção extrasensorial, ele pode ler a mente dos outros, ele pode suprimir outros por um pensamento, ou seus próprios pensamentos podem ser materializados. No início, forças escuras manifestam-se e todos esses siddhis são negativos ou de uma qualidade inferior. Tapasya é um método muito, muito poderoso de despertar, pelo o qual nem todo mundo pode lidar.

DESPERTANDO ATRAVÉS DE ERVAS

O quarto método do despertar é através do uso de ervas específicas. Em sânscrito isto é chamado Aushadi, e não deve ser interpretado com o significado de drogas como marijuana (cannabis; vulgo maconha), LSD, etc. Aushadi é o mais poderoso e rápido método de despertar, mas ele não é para todos e muitas poucas pessoas conhecem esse método. Existe ervas que podem transformar a natureza do corpo e seus elementos e trazer um parcial ou completo despertar, mas elas nunca devem ser usadas sem um guru ou guia qualificado. Isto ocorre porque certas ervas selecionadas despertam ou ida ou pingala, e outras podem suprimir ambos esses nadis e levar rapidamente a um sanatório mental. Por esta razão, Aushadi é um método muito arriscado e pouco confiável.

Em antigos textos védicos da Índia, há referencias a uma substancia chamada soma. Soma era um suco extraído de um cipó que era escolhido em dias especiais na fase escura da quinzena lunar. Ele era colocado em um jarro de barro e enterrado no chão até a lua cheia. Então, ele era retirado e o suco era extraído e tomado. Isto induzia a visões, experiências e um despertar da consciência superior.

Os persas conheciam outra bebida, homa, que podia ter sido o mesmo soma. No Brasil e também nos países africanos, as pessoas usam cogumelos alucinógenos e em regiões do Himalaia, marijuana ou haxixe foram utilizadas com o pensamento de que eles pudessem fornecer um atalho para suscitar um despertar espiritual. De tempos em tempos, em diferentes partes do mundo, outras coisas também são descobertas e usadas, alguns sendo muito leves em seus efeitos e outros sendo muito concentrados.

Com a ajuda das ervas corretas, os aspirantes purificados foram capazes de visualizar seres divinos, rios sagrados, montanhas, locais sagrados, homens santos e assim por diante. Quando os efeitos das ervas estavam mais concentrados, eles podiam separar o eu de seu corpo e viajar no astral. Claro que isto foi muitas vezes ilusório, mas às vezes era uma experiência real também. As pessoas foram capazes de entrar em um estado de samadhi e despertar suas Kundalini. Neste particular campo do despertar, o instinto sexual foi completamente eliminado. Portanto, muitos aspirantes preferem este método e têm tentado descobrir a erva apropriada por muitos séculos.

Com o despertar por aushadhi o corpo torna-se calmo e quieto, o metabolismo fica mais lento e a temperatura cai. Como resultado disto, os reflexos nervosos funcionam diferentemente e, em muitos caos, o despertar de aushadhi é uma permanente. Entretanto, o método do despertar por aushadhi já não é praticado porque foi usurpada pelas pessoas comuns que não foram nem preparadas, nem competentes e nem qualificadas. Como resultado, o conhecimento das ervas foi retirado e é um segredo muito bem guardado.

Todo mundo anseia despertar Kundalini, mas poucas pessoas têm a disciplina e preparação mental, emocional e psíquica e os nervos necessários para evitar danos ao cérebro e aos tecidos. Assim, embora ninguém esteja ensinando hoje o método do despertar por aushadhi, este conhecimento tem sido transmitido de geração para geração através da tradição de guru/discípulo. Talvez algum dia, quando a natureza do homem mudar e nós encontrarmos melhores respostas intelectual, físico e mental, a ciência possa novamente ser revelada.

O RAJA YOGA

O quinto método para induzir o despertar é através do raja yoga e do desenvolvimento de uma mente equilibrada. Esta é a total fusão da consciência individual com a superconsciencia. Ela ocorre por um processo seqüencial de concentração, meditação e comunhão; experiência de união com o absoluto ou supremo.

Todas as praticas de raja yoga, precedidas por hatha yoga, trazem experiências muito duráveis, mas eles podem levar a um estado de completa depressão, no qual você não sente vontade de fazer qualquer coisa. O método do raja yoga é muito difícil para muitas pessoas, pois isso exige tempo, paciência, disciplina e perseverança. Concentração da mente é uma das coisas mais difíceis para o homem moderno conseguir. Ele não pode ser iniciado antes que a mente tenha sido estabilizada, os karmas desativados e as emoções purificadas através do karma yoga e do bhakti yoga. É da natureza da mente permanecer ativo o tempo todo e isto constitui um perigo real para muitas pessoas dos nossos tempo, porque quando tentamos concentrar a mente, nós criamos uma divisão. Portanto, muitos de nós só devemos praticar a concentração até certo ponto.

Após o despertar através de raja yoga, as mudanças ocorrem no aspirante. Ele pode transcender a fome e todos os seus vícios e seus hábitos. As sensualidades da vida não são mais atraentes, a fome e o desejo sexual diminuem e o desapego desenvolve-se espontaneamente. Raja yoga traz uma lenta transformação da consciência.

O PRANAYAMA

O sexto método de despertar Kundalini é através de pranayama. Quando um aspirante suficientemente preparado pratica pranayama em um ambiente calma, fresco e calmo, de preferência em uma altitude elevada, com uma dieta apenas suficiente para manter a vida, o despertar de Kundalini ocorre como uma explosão.

Na verdade, o despertar é tão rápido que Kundalini ascende ao sahasrara imediatamente.
Pranayama não é somente um exercício respiratório ou um meio para aumentar o prana no corpo; ele é um método poderoso de criação de fogo yóguico para aquecer Kundalini e despertá-la. Entretanto, se ele praticado sem uma preparação suficiente, isto não ocorrerá porque o calor gerado não será direcionado para os centros apropriados.

Portanto, jalandhara, uddiyana e moola bandhas são praticados para bloquear o prana e forçá-lo até o cérebro frontal. Quando pranayama é praticado corretamente, a mente é automaticamente conquistada. No entanto, os efeitos do pranayama não são simples de gerir. Ele cria calor excepcional no corpo, ele desperta alguns centros no cérebro e pode prejudicar a produção de esperma e testosterona. O pranayama pode também reduzir a temperatura interna do corpo e a taxa de respiração e alterar as ondas cerebrais. A menos que se tenha praticado os shatkarmas primeiro e purificado o corpo a um grau, quando essas mudanças ocorrem, você pode não ser hábil para lidar com elas.

Há duas formas importantes de despertar Kundalini – uma é pelo método direto e o outro é pelo indireto. O pranayama é o método direto. As experiências produzidas são explosivas e os resultados são alcançados rapidamente. A expansão é rápida e a mente alcança uma metamorfose rápida. Entretanto, esta forma de despertar Kundalini é sempre acompanhada por certas experiências, e para quem não está suficientemente preparado mental, filosófica, psíquica e emocionalmente, estas experiências podem ser terríveis. Portanto, embora o caminho do pranayama seja um método rápido, ele é drástico e é considerado muito difícil uma vez que muitas pessoas não podem controlar.

KRIYA YOGA

O sétimo método para induzir o despertar é kriya yoga. Ele é o mais simples e a maneira mais pratica para o homem moderno, uma vez que não exige confronto com a mente. Pessoas sattwicas podem ser hábeis para despertar Kundalini através de raja yoga, mas quem tem uma mente tumultuada, barulhenta e rajásica, não tem sucesso desta forma. Elas só desenvolverão mais tensões, culpas e complexos, e podem até mesmo se tornarem esquizofrênicas. Para essas pessoas, kriya yoga é de longe o melhor e mais efetivo sistema.

Quando você pratica kriya yoga, Kundalini não desperta com força, nem desperta como um satélite ou como uma visão ou experiência. Ela acorda como uma rainha nobre. Antes de levantar ela vai abrir os olhos, em seguida fechar e então voltar a dormir. Então, ela vai abrir os olhos novamente, olhar aqui e lá, virar para a direita e para a esquerda, em seguida, puxando a folha sobre sua cabeça e cochilar. Depois de algum tempo, ela voltará a esticar o seu corpo e abrir seus olhos, então cochilar por um pouco. Cada veze que ela esticar e olhar a sua volta ela dirá, "Hmmm". Isto é o que acontece no despertar de kriya yoga.

Às vezes você se sentirá imponente e às vezes você não se sentirá muito bem. Algumas vezes você prestará muita atenção nas coisas da vida e outras você pensará que tudo é inútil. Às vezes você comerá extravagantemente e, outras não comerá por dias inteiros. Às vezes você terá noites de insônias e outras vezes não sentirá vontade de fazer nada, mas apenas dormir e dormir. Todos estes sinais do despertar e reversão, despertar e reversão continuam chegando de vez em quando.

Kriya yoga não produz um despertar explosivo. Contudo, pode trazer visões e outras experiências muito suaves e controláveis.

A INICIAÇÃO TÂNTRICA

O oitavo método do despertar de Kundalini através da iniciação tântrica é um tópico muito secreto. Somente aquelas pessoas que têm transcendido as paixões, e que compreendem os dois princípios da natureza, Shiva e Shakti, são aptos para esta iniciação. Ela não é destinada para aqueles que instam(?) à espreita dentro deles, ou para aqueles que têm uma necessidade física de contato. Com a orientação de um guru, esta é a maneira mais rápida e possível para se despertar Kundalini.

Não existem experiências ou sentimentos extraordinários e nem neuroses; tudo parece completamente normal, mas ao mesmo tempo, sem que você saiba, o despertar ocorre. As transformações têm lugar e sua consciência se expande, mas você não sabe disto. Neste sistema particular, o despertar e a chegada em sahasrara são o mesmo evento. Ele acontece em apenas três segundos. Contudo, quem está qualificado para este caminho? Poucas pessoas neste mundo têm transcendido completamente o desejo sexual e superado suas paixões.

O SHAKTIPAT

O nono método do despertar é realizado pelo guru. Ele é chamado shaktipat. O despertar é instantâneo, mas ele é somente um vislumbre, não um evento permanente. Quando o guru cria este despertar, você experiência o samadhi. Você pode praticar todas as formas de pranayama e todos os asanas, mudras e bandhas sem ter aprendido ou se preparado por eles. Todos os mantras lhe são revelados e você conhece as escrituras por dentro. Mudanças tomam lugar nos seu corpo físico em um instante. A pele torna-se macia, os olhos brilham e o corpo emite um aroma particular que não é nem agradável e nem desagradável. Este shaktipat é realizado na presença física ou à distancia. Ele pode ser transmitido por um toque, por um lenço, por um japa mala, uma flor, uma fruta ou algo comestível, dependendo do sistema que o guru dominou. Ele pode até mesmo ser transmitido por carta, telegrama ou telefone. É muito difícil dizer quem está qualificado para este despertar. Você pode ter vivido uma vida de renúncia por cinqüenta anos, mas ainda não poder recebê-lo.

Você pode ser uma pessoa comum, vivendo uma vida não espiritual, comendo todo o tipo de alimentos impróprios, mas o guru pode dar a você o shaktipat. Sua elegibilidade para o shaktipat não depende de sua vida social ou sua conduta imediata, mas do ponto de evolução que você alcançou. Há um ponto na evolução pelo qual o shaktipat torna-se eficaz, mas esta evolução não é intelectual, emocional, social ou religiosa. Ela é uma evolução espiritual que nada tem a ver com a forma de viver, comer, se comportar ou pensar, porque geralmente fazemos estas coisas não por causa de nossa evolução, mas de acordo com a maneira com que fomos criados e educados.

A AUTO-RENÚNCIA

Nós discutimos os nove métodos estabelecidos do despertar de Kundalini, mas há um décimo caminho – o não aspirar pelo despertar. Deixe que isso aconteça, se acontecer: "Eu não sou responsável pelo despertar, a natureza está concluindo tudo. Eu aceito o que vem para mim". Isto é conhecido como o caminho da auto-renúncia e, neste caminho, se você tem uma forte crença de que sua Kundalini irá verdadeiramente despertar, vinte mil anos podem passar em um piscar de olhos e Kundalini irá despertar instantaneamente.

EFEITOS DOS DIFERENTES MÉTODOS DO DESPERTAR

Quando o despertar de Kundalini ocorre, observações científicas têm revelado diferentes efeitos. Aqueles que despertam Kundalini pelo nascimento, não registram quaisquer mudanças emocionais. Eles são como blocos de madeira.

Aqueles que despertam Kundalini através de pranayama têm um grande quantum de cargas elétricas na coluna vertebral e em todo o corpo e, momentaneamente, podem manifestar a esquizofrenia.

Karma yoga e bhakti yoga são considerados relativamente métodos suaves e seguros de despertar, mas os métodos tântricos são mais científicos que os métodos não-tântricos, porque no tantra não há possibilidade de supressão ou dispersão de energia. Nos métodos não tântricos há antagonismo – uma mente quer e a mesma mente diz não. Você suprime os seus pensamentos, você quer curtir, mas ao mesmo tempo você pensa "Não, isso é mau". Não estou criticando os métodos não-tântricos. Eles são métodos suaves que não lhe trazem qualquer problema. Eles são apenas como uma cerveja -+ você bebe um pouco e nada acontece, bebe de quatro a dez copos e nada mais acontecerá. Mas os métodos tântricos são como LSD, você toma um pouco e ele te leva direto para vorá(?). Se algo está errado, está errado. Se algo está correto, está correto.

Do livro Kudalini-Tantra, de Satyananda

* Isso me lembra o que disse Jesus em várias passagens do Evangelho:

João, 2:

3 E, tendo acabado o vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Eles não têm vinho.
4 Respondeu-lhes Jesus: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora.

ou Marcos, 3:

31 Chegaram então sua mãe e seus irmãos e, ficando da parte de fora, mandaram chamá-lo.
32 E a multidão estava sentada ao redor dele, e disseram-lhe: Eis que tua mãe e teus irmãos estão lá fora e te procuram.
33 Respondeu-lhes Jesus, dizendo: Quem é minha mãe e meus irmãos!
34 E olhando em redor para os que estavam sentados à roda de si, disse: Eis aqui minha mãe e meus irmãos!
35 Pois aquele que fizer a vontade de Deus, esse é meu irmão, irmã e mãe.

ou Lucas, 2:

46 E aconteceu que, passados três dias, o acharam no templo, sentado no meio dos doutores, ouvindo-os, e interrogando-os.
47 E todos os que o ouviam se admiravam da sua inteligência e das suas respostas.
48 Quando o viram, ficaram maravilhados, e disse-lhe sua mãe: Filho, por que procedeste assim para conosco? Eis que teu pai e eu ansiosos te procurávamos.
49 Respondeu-lhes ele: Por que me procuráveis? Não sabíeis que eu devia estar na casa de meu Pai?

O fim do mundo foi ontem...

terça-feira, 18 de outubro de 2011

A idéia de fim do mundo é como uma droga para os "esquizotéricos" (esquisitos mais esotéricos), a maioria deles com dificuldades para lidar com o mundo tal como ele é, assim o fim do mundo seria uma esperança desesperada (paradoxal isto, não, próprio da neurose mesmo...) de dar um sentido a vida sem sentido e fantasiosa que vivem os "esquizotéricos". Como diria o Dr. Spock, de Jornada nas Estrelas: - Fascinante! É, a natureza humana é fascinante, as vezes dotada de um buraco negro chamado estupidez, capaz de tragar todo fragmento de inteligência - F.A.

Fim do Mundo foi ontem, devido ao cometa Elenin!

Não viram? Certamente que morreram todos, mas ainda não se tinham dado conta disso.

O cometa Elenin teve ontem a maior aproximação à Terra. O astroPT escreveu cerca de 20 artigos sobre este cometa. Podem ser lidos, aqui e aqui.

Em todos eles, demonstramos com evidências que NADA de especial iria acontecer. Logo no 1º artigo, começamos por desmascarar todas [...]

Continuem a ler em
http://astropt.org/blog/2011/10/17/fim-do-mundo-foi-ontem-devido-ao-cometa-elenin/

Criança

sábado, 15 de outubro de 2011

Dormir com um abandono de criança,
Eis a verdadeira confiança,
Que não se sabe, plena, inteira,
Capaz de sonhar de verdade
Porque a vida é o presente

Pesquisadora da USP questiona aquecimento global

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Repercutindo outra notícia na mesma linha:

EUA: Nobel de Física diz não acreditar no aquecimento global, de 16 de setembro de 2011 e

http://pistasdocaminho.blogspot.com/2009/04/grande-farsa-do-aquecimento-global.html

http://pistasdocaminho.blogspot.com/2010/01/professor-molion-sobre-farsa-do.html

Com informações da Agência USP - 08/10/2011

Pesquisadora da USP questiona aquecimento global

Modelos tomados como realidade

Depois de analisar e comparar a literatura científica sobre o aquecimento global, a geógrafa Daniela de Souza Onça é enfática:

"As hipóteses que afirmam a existência do aquecimento global e sua culpabilidade pelos eventos extremos não são teorias científicas solidamente estabelecidas, e sim saídas de modelos matemáticos do clima."

A pesquisa Quando o Sol brilha, eles fogem para a sombra: a ideologia do aquecimento global, foi baseada na comparação entre as pesquisas produzidas pelas duas facções que se formaram, chamadas cética e aquecimentista, especialmente na leitura do quarto relatório do IPCC, de 2007.

Daniela afirma que não foi encontrada, até hoje, nenhuma prova ou evidência de que o aquecimento do planeta esteja sendo provocado pelo homem.

Para ela, tudo o que existe são resultados de modelos matemáticos do clima.

"Muitas outras 'provas' são evocadas, como derretimento de geleiras, enchentes, furacões e secas. Mas tudo isso faz parte da variabilidade natural do sistema climático. Certamente, ocorreram eventos mais variáveis e intensos do que hoje ao longo de nossa história recente. A única 'evidência' são as saídas de modelos, mas quem disse que esses modelos representam adequadamente a realidade, ou que a representam suficientemente bem para sustentarmos o aquecimento global [antropogênico] com tanta segurança?", questiona.

Para a geógrafa, mesmo os modelos climáticos mais avançados ainda estão muito longe de conseguirem executar uma simulação do clima suficientemente acurada, portanto seus resultados não podem ser tomados como evidência. "Os modelos são baseados no conhecimento dos cientistas, que podem ser tanto insuficientes quanto incorretos", defende Daniela.

Exclusão social

Daniela igualmente constatou que contrariar a hipótese do aquecimento global é, hoje, considerado um grave pecado contra o progresso da ciência e o futuro da humanidade.

Na opinião da geógrafa, diversos problemas sociais e econômicos não são provocados pelas mudanças climáticas, mas sim pela estrutura excludente do sistema capitalista.

"A incidência de malária não é provocada pela elevação das temperaturas globais, mas sim por programas ineficazes ou inexistentes de saúde pública. A escassez de água potável não é provocada pela redução das precipitações, mas sim pela pressão crescente sobre recursos hídricos cada vez menos conservados", exemplifica.

Em seu estudo, Daniela avalia que "a pobreza e a miséria não são provocadas pelo aquecimento global, mas pela concentração de renda."

Para a pesquisadora, o sistema capitalista justifica a continuidade e o agravamento da miséria global com o aquecimento global, negando que seja resultado da concentração de renda, da ação de uns poucos conglomerados industriais, da falta de vontade política.

"Assim, sendo todos culpados pelo aquecimento global, somos todos culpados de todas as misérias que nos afligem, e não governos ou empresas", explica.

Pseudo-ciência

Os dias têm sido ruins para a ortodoxia que se criou em torno do tema.

Em meados de Setembro, o Prêmio Nobel de Física Ivar Giaever desligou-se da Sociedade Americana de Física afirmando que os estudos do aquecimento global são pseudo-ciência.

A Sociedade respondeu em uma nota afirmando que isto não era preocupante porque não estava havendo uma debandada e que, portanto, manteria seu compromisso com a conclusão de que o aquecimento global é provocado pelo homem.

A própria nota é um sintoma do viés anti-científico que as discussões tomaram, uma vez que a associação não se compromete com uma linha de pesquisa ou nem mesmo com um método de pesquisa, mas com resultados pré-definidos.

Quanto à debandada, a entidade já havia recusado uma revisão na posição sobre o assunto, solicitada por um grupo de 160 físicos, entre os quais o próprio Giaever.

Essa intromissão da política na ciência tem verdadeiramente impedido o prosseguimento da liberdade científica tão necessária para aumentar o conhecimento humano - a prova disso é que hoje é praticamente impossível conseguir publicar um artigo que não chegue às conclusões que a comunidade científica votou como consenso.

Gurdjieff: Encontro com homens notáveis

Filme, do consagrado diretor Peter Brook, que conta sobre a primeira parte da vida de Gurdjieff, um dos mais influentes homens do "moderno" esoterismo.

Para baixar o filme clique nos links, mas você deverá ter o programa de download correspondente, ok? Qualquer coisa vá ao link Ajuda para download na barra direita do blog.


Via Torrent


Via Dreamule


Legenda em português-br


Visão de um espreitador de si

A Ioga é precisamente a sujeição da vida ao jugo das idéias. A palavra "yoga", que vem do sânscrito, quer dizer unir...

Aquele que compreende fala de outras coisas, da vida interior e não da exterior.

O caminho certo é acabar com o conflito entre a vida das idéias e a vida cotidiana. Para isso é necessário conhecer a si mesmo. Saber a cada momento o que se está fazendo e por quê. Só então seremos senhores das coisas e não seus escravos. Em geral satisfazemos nossos desejos, antes de pensar se são necessários a nossos objetivos superiores.

Procure viver de maneira a manter-se vigilante quanto às suas ações e não fazer nada que não sirva aos propósitos mais elevados.

Ou, em outras palavras, aprenda a fazer tudo de modo a servir a um propósito superior.
Isto é possível. Se alguma coisa for particularmente difícil, considere-a como um exercício.

Lembre-se que tudo que é difícil de ser feito tem o objetivo de sujeitar-nos ao espírito. Assim, tudo se tornará mais fácil e terá um significado. Mas, não importa o que estejamos fazendo, é de importância vital perguntar, antes de cada pensamento, de cada palavra, de cada ato:
Porque faço isso? É necessário?

E então, imperceptivelmente, muitas de nossas ações e atos deixarão de ser desnecessários, e passarão a servir a fins superiores.

O conflito interno em nossa vida, então começará a desaparecer e será substituído pela harmonia.

Aprenda então a repousar: isto talvez é o mais importante. Aprenda a não pensar, a controlar seus pensamentos.

Pergunte-se com freqüência, se é necessário pensar no que está pensando, ou se seria melhor pensar sobre outra coisa, ou melhor ainda não pensar em nada?

Isto é o mais difícil, mas é essencial. Aprenda a pensar e não pensar. Saiba coma parar os pensamentos. Seja capaz de criar um silêncio interior. Chegará o momento em que ouvirá a voz do silêncio. Esta é a primeira e mais importante Ioga.

Quando ocorrer, quando começar a ouvir a voz do silêncio, então novas forças e capacidades começarão a aparecer.

A princípio serão vagas e imprecisas; mais tarde, porém, tornar-se-ão tão obedientes à sua vontade quanto o olhar, a audição e o tato.

Mas tudo deve ser aceito calmamente, sem pressa, sem forçar a atenção sobre o progresso interior, pois a atenção forçada pode impedir o desenvolvimento de novas capacidades.

Então será necessário aprender a ver cada objeto como um todo. Compreende o que isto significa?

Normalmente vemos apenas as partes de uma coisa; seja apenas o começo sem qualquer continuação e o fim; ou o meio, ou o fim. Procure ver sempre tudo como um todo. Para chegar a este ponto, comece a pensar em tudo ao inverso; não tome o princípio sem o fim.

E começará então a ver muito mais das coisas que vê hoje.

Clarividência é ver cada vez de uma perspectiva mais alta, mais abrangente, aos poucos nos apercebemos de muito mais.

Para alcançar estas capacidades, em primeiro lugar é preciso que nos tornemos senhores daquilo que já possuímos: nós mesmos. Para isso podemos nos indagar, a cada hora, o que fizemos durante esta hora? Os iogues fazem isto a todo instante. A prática constante é necessária e imprescindível para adquirir auto-controle.

E quando sua alma começar se habituar com esta nova ordem de idéias, a este novo plano de vida, então quando realizares alguma coisa, juntamente com o florescimento dos novos poderes na sua alma, começará a observar que não está sozinho em seu caminho.

Na noite escura, por toda parte, na estrada, começará a ver luzes, e compreenderá que são os viajantes que caminham na mesma direção, para o mesmo templo, para a mesma festa...

O que devo fazer para seguir este caminho? Perguntou.

Comece observando a si mesmo. Tente limitar-se, mesmo que seja apenas uma questão de eliminar coisas de que não precisa, mas que consomem a maior parte do seu tempo e da sua energia. Procure compreender que está muito distante do objetivo, mas que este é possível de ser alcançado, acredite nisto, e em pouco tempo, à distância, começará a vislumbrar o caminho!

Conversas com o Diabo - Gurdjieff

Aforismos de Gurdjieff

quinta-feira, 13 de outubro de 2011



* Ame o que você "não ama".

* Para o homem a mais alta realização é ser capaz de fazer.

* Quanto piores as condições de vida, melhores serão os resultados do trabalho - contanto que nos lembremos continuamente do trabalho.

* Lembre-se de você mesmo, sempre e em toda parte.

* Lembre-se de que você veio aqui, porque compreendeu a necessidade de lutar contra si mesmo. Agradeça, portanto, a quem lhe proporcione a ocasião para isso.

* Aqui podemos dar uma direção e criar condições - mas não ajudar.

* Saiba que esta casa só pode ser útil aos que reconheceram sua nulidade e crêem na possibilidade de mudar.

* Se você sabe que isto é mal e, apesar de tudo, o faz, comete um pecado difícil de redimir.

* O melhor meio de ser feliz nessa vida é poder considerar sempre exteriormente - nunca interiormente.

* Não ame a arte com seus sentimentos.

* O verdadeiro sinal de que um homem é bom, é ele amar seu pai e sua mãe.

* Julgue os outros conforme o que você é e raramente se enganará.

* Só ajude aquele que não é um ocioso.

* Respeite todas as religiões.

* Amo aquele que ama o trabalho.

* Podemos somente nos esforçar para nos tornarmos capazes de ser Cristãos.

* Não julgue um homem pelo que contam dele.

* Leve em conta o que as pessoas pensam de você - e não o que dizem.

* Junte a compreensão do Oriente e o saber do Ocidente - e, em seguida, busque.

* Só aquele que puder zelar pelo bem dos outros merecerá seu próprio bem.

* Só o sofrimento consciente tem sentido.

* Vale mais ser temporariamente um egoísta do que nunca ser justo.

* Se quiser aprender a amar, comece pelos animais; eles são mais sensíveis.

* Ensinando aos outros, você mesmo aprenderá.

* Lembre-se de que aqui o trabalho não é um fim em si mesmo. É apenas um meio.

* Só pode ser justo quem sabe se pôr no lugar dos outros.

* Se você não for dotado de espírito crítico, sua presença aqui é inútil.

* Aquele que tiver se libertado da "doença do amanhã" terá uma chance de obter o que veio procurar aqui.

* Feliz aquele que tem uma alma. Feliz aquele que não a tem. Infelicidade e sofrimento para aquele que só tem a semente dela.

* O repouso não depende da quantidade, mas da qualidade do sono.

* Durma pouco, sem se queixar.

* A energia gasta para um trabalho interior ativo se transforma imediatamente em nova reserva. A que é gasta para um trabalho passivo se perde para sempre.

* Um dos melhores meios de despertar o desejo de trabalhar sobre si mesmo é tomar consciência de que a gente pode morrer de uma hora para outra. E isso, é preciso aprender a não esquecê-lo.

* O amor consciente desperta o mesmo em resposta.
O amor emocional provoca o contrário.
O amor físico depende do tipo e da polaridade.

* fé consciente é liberdade
A fé emocional é escravidão.
A fé mecânica é estupidez.

* A esperança inquebrantável é força.
A esperança mesclada de dúvida é covardia.
A esperança mesclada de temor é fraqueza.

* Ao homem é dado um número limitado de experiências
- se ele não as desperdiçar, prolongará sua vida.

* Aqui não há russos, nem ingleses; nem judeus, nem cristãos.

Há somente homens que perseguem a mesma meta: se tornarem capazes de ser.

obs: o vídeo acima é a última parte do filme sobre a juventude de Gurdjieff, Encontro com Homens Notáveis, que se destaca pela apresentação das danças sagradas dentro de um monastério - supostamente - da misteriosa Ordem Sarmung.

A mente constante

quarta-feira, 12 de outubro de 2011



"O Santo disse, 'Quando alguém rejeita todos os desejos de seu coração e está satisfeito dentro de si consigo, então ele é citado como de mente constante. Aquele cuja mente não se agita em meio a calamidades, cuja ânsia por prazer está morta, que está livre de apegos (a objetos mundanos), medo e ira, é citado como um Muni de mente firme. A firmeza mental é daquele que é sem afeição em todos os lugares, e que não sente exultação nem aversão ao obter diversos objetos que são agradáveis e desagradáveis. Quando alguém afasta seus sentidos dos objetos daqueles sentidos como a tartaruga (retrai) seus membros de todos os lados, dele mesmo é a firmeza de mente. Os objetos dos sentidos recuam de uma pessoa abstinente, mas não a paixão (por aqueles objetos). Até a paixão retrocede de alguém que contempla o (Ser) Supremo. (Uma pessoa pode se abstiver dos objetos de prazer, ou por escolha ou inabilidade de obtê-los. Até, no entanto, o próprio desejo de desfrutar estar eliminado, uma pessoa não pode ser considerada tendo obtido firmeza mental.)

Os sentidos agitados, ó filho de Kunti, arrastam à força a mente mesmo de um homem sábio que se esforça duramente para se manter à distância deles.

Reprimindo eles todos, uma pessoa deve permanecer em contemplação, fazendo de mim seu único refúgio. Pois a firmeza de mente é daquele cujos sentidos estão sob controle. Pensando nos objetos dos sentidos, a atração de uma pessoa é gerada em direção a eles. Da atração surge a ira; da ira surge a falta de discernimento; da falta de discernimento, perda de memória; da perda de memória, perda da compreensão; e da perda da compreensão (ela) é completamente arruinada. Mas o homem autocontrolado, desfrutando dos objetos (dos sentidos) com sentidos livres de atração e aversão sob seu próprio controle, atinge a paz (mental). Após a paz (mental) ser alcançada, ocorre a aniquilação de todas as suas tristezas, já que a mente daquele cujo coração é sereno logo se torna firme. Aquele que não é autocontrolado não tem contemplação (do Eu). Aquele que não tem contemplação não tem paz (mental). Como pode haver felicidade para aquele que não tem paz (mental)?

O homem controlado está desperto quando é noite para todas as criaturas; e quando as outras criaturas estão despertas é noite para um Muni discernente. (Os comuns, sendo espiritualmente ignorantes, estão engajados em buscas mundanas. Os sábios em conhecimento espiritual estão mortos para as últimas.) Aquele em quem todos os objetos de desejo entram, assim como as águas entram no oceano o qual (embora) constantemente reenchido contudo mantém sua linha d’água inalterada, ele obtém paz (mental) e não alguém que anseia por objetos de desejo. Aquele homem que se move continuamente, abandonando todos os objetos de desejo, que está livre do desejo ardente (por diversões) e que não tem afeição e orgulho, obtém paz (mental). Este, ó Partha, é o estado divino. Atingindo a ele, uma pessoa nunca é iludida.

Permanecendo nele ela alcança, na morte, absorção no Ser Supremo.'” – Bhagavad Gita, download AQUI!

A Arte da Espreita

terça-feira, 11 de outubro de 2011

"Os feiticeiros espreitam a si mesmos constantemente - comentou com uma voz reconfortadora, como se tentando acalmar-me com o tom de sua voz.

Desejei dizer que meu nevorsismo tinha passado e que provavelmente havia sido causado pela falta de sono, mas ele não me permitiu dizer coisa alguma.

Assegurou-me de que já havia me ensinado tudo o que tinha para saber sobre espreitar, mas eu ainda não recuperara meu reconhecimento da profundeza da consciência intensificada, onde o tinha armazenado. Disse-lhe que seria a desagradável sensação de estar arrolhado. Parecia haver algo trancado em mim, algo que me fazia bater portas e chutar mesas, algo que me frustrava e me tornava irascível .

- Essa sensação de estar arrolhado é experimentada por todo o ser humano. É um lembrete da existência de nossa conexão com o intento. Para os feiticeiros essa sensação é ainda mais aguda, precisamente porque seu objetivo é sensibilizar seu elo de conexão até que possam fazê-lo funcionar à vontade.

Quando a pressão do seu elo de conexão é grande demais, os feiticeiros aliviam-na espreitando a si mesmos.

- Ainda acho que não compreendo o que quer dizer por espreitar - falei. - Mas em certo nível penso que sei exatamente o que quer dizer.

- Tentarei ajudar você a esclarecer o que sabe, então. Espreitar é um procedimento, um procedimento muito simples. Espreita é um comportamento especial que segue certos princípios. É um comportamento secreto, furtivo, enganoso, designado a provocar um choque. E quando você espreita a si mesmo, você choca a si mesmo, usando seu próprio comportamento de um modo implacável, astucioso.

Explicou que quando a consciência de um feiticeiro ficava enredada pelo peso de suas aquisições perceptivas, o que estava acontecendo comigo, o melhor, ou talvez nosso único remédio, era usar a idéia da morte para proporcionar esse choque de espreita.

- A idéia da morte é de importância fundamental na vida de um feiticeiro - continuou D. Juan. - Mostrei-lhe coisas inumeráveis a respeito da morte para convencê-lo de que o conhecimento de nosso fim pendente e inevitável é o que nos dá sobriedade. Nosso engano mais caro como homens comuns é não se importar com o senso de imortalidade. É como se acreditássemos que , se não pensássemos a respeito da morte, nos pudéssemos proteger dela.

- Precisa concordar D. Juan que não pensar sobre a morte protege-nos de nos preocuparmos a respeito.

- Sim, isto serve a tal propósito, mas tal propósito não tem valor para homens comuns e representa uma caricatura para os feiticeiros. Sem uma visão clara da morte, não há ordem, nem sobriedade, nem beleza. Os feiticeiros lutam para ganhar essa percepção crucial de modo a ajudá-los a perceber no nível mais profundo possível que não tem segurança sequer de que suas vidas continuarão além do momento. Essa percepção dá aos feiticeiros a coragem de serem pacientes e no entanto entrarem em ação, coragem de aquiescer sem serem estúpidos. Don Juan fixou seu olhar em mim, sorriu e balançou a cabeça.

- Sim - continuou -, a idéia da morte é a única coisa que pode dar coragem aos feiticeiros. Estranho, não é ? Dá aos feiticeiros coragem de serem atenciosos sem serem vaidosos, e acima de tudo dá-lhes coragem de serem implacáveis sem serem convencidos.

Sorriu outra vez e cutucou-me. Disse-lhe que estava absolutamente aterrorizado pela idéia de minha morte, que pensava a respeito com freqüência, mas que certamente isso não me dava a coragem ou me incentivava a entrar em ação. Apenas me tornava cínico ou fazia com que eu caísse em estado de profunda melancolia.

- Seu problema é muito simples - disse ele. - Você fica facilmente obcecado.

Estive lhe dizendo que os feiticeiros espreitam a si mesmos para quebrar o poder de suas objeções. Há muitas maneiras de espreitar a si mesmo. Se não deseja usar a idéia de sua morte, use os poemas que lê para mim para espreitar a si mesmo.

- Como disse ?

- Disse-lhe que há muitas razões pelas quais gosto de poema - retrucou ele. - O que eu faço é espreitar a mim mesmo com ele. Provoco um choque em mim mesmo com eles.

Escuto, e enquanto você lê, calo meu diálogo interno e deixo meu silêncio interior ganhar impulso. Então a combinação do poema e do silêncio desfecha o choque.

Explicou que os poetas anseiam inconscientemente pelo mundo dos feiticeiros. Por não serem feiticeiros no caminho do conhecimento, os anseios são tudo o que tem.

(...)

...este incessante morrer obstinado,

esta morte vivente,

que te retalha, oh Deus,

em tua rigorosa obra

nas rosas, nas pedras,

nos astros indomáveis e na carne que se queima,

como uma fogueira acesa por uma música,

um sonho,

um matiz que atinge o olho.

...e tu, tu próprio, talvez tenha morrido eternidades de eras aí fora,

sem que saibamos a respeito, nos refúgios , migalhas , cinzas de ti;

tu que ainda estás presente,

como um astro imitado por sua própria luz,

uma luz vazia sem astros

que nos alcança,

escondendo sua infinita catástrofe.

" Quando ouço as palavras - manifestou-se D. Juan quando terminei de ler -, sinto que aquele homem está vendo a essência das coisas e posso ver com ele. Não me importo sobre o que seja o poema. Importo-me apenas sobre o sentimento que os anseios do poeta (filósofo) trazem até mim. Empresto seus anseios, e com eles empresto a beleza. E me maravilho diante do fato de que ele, como um verdadeiro guerreiro, derrame-o sobre os receptores, os espectadores, retendo para si mesmo apenas sua ansiedade. Esse impuxo, esse choque de beleza, é espreitar."


--------------------------------------------------------------------------------

A arte de espreitar é aprender todas as peculiaridades de teu disfarce, e aprende-las tão bem que ninguém saiba que estás disfarçado. Para consegui-lo, necessitas ser desapiedado, astuto, paciente e gentil . Ser implacável não significa aspereza, a astúcia não significa crueldade, ser paciente não significa negligência e ser gentil não significa ser estúpido. Os guerreiros atuam com um propósito ulterior, que não tem nada a ver com o interesse pessoal. O homem comum atua apenas se há possibilida de de ganância. Os guerreiros não atuam por ganância e sim pelo espírito.

Citações extraídas do livro O Poder do Silêncio, de Carlos Castaneda

Pseudo-ciência, esquizotéricos e Nibiru

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Uma página muito interessante na Super-Interessante:

“A internet converteu Nibiru num fenómeno de massas: os milhões de seguidores deste planeta inexistente, nascido da fértil imaginação do escritor pseudo-científico Zecharia Sitchin e suposto lar da poderosa raça alienígena dos Anunnaki, estão convencidos de que ele chocará com a Terra em 2012.

O astrónomo David Morrison, do Instituto de Astrobiologia da NASA, estima que haja uns dois milhões de páginas da internet dedicadas quase exclusivamente a discutir este assunto. Todos os dias, ele próprio recebe mais de cinco mensagens de correio electrónico com perguntas diversas sobre o hipotético e apoteótico fim do mundo. Além de Sitchin, temos de agradecer a Nancy Lieder, uma mulher que diz estar em contacto com extraterrestres (os zetas), graças a implantes que aqueles lhe colocaram no cérebro, e que anunciou a terrível notícia em 2004.
Na realidade, a ideia nem sequer é muito original. Há umas décadas, o colombiano Joa­quín Amortegui Valbuena, mais conhecido como V.M. Rabolú, já sustentava que o enorme planeta Hercólubus (tão fictício como Nibiru) se aproximaria catastroficamente do nosso, com o objectivo de depurar a aura terrestre, seja lá isso o que for.”

Mais em http://astropt.org/blog/2011/09/09/fantasia-planetaria-nibiru/

Ideologia do(a) guerreiro(a)

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

O poder está no tipo de conhecimento que se tem. De que adianta saber coisas inúteis? Elas não vão nos preparar para o encontro inevitável com o desconhecido.

Todas as faculdades, possibilidades e realizações do xamanismo, das mais simples às mais espantosas, estão no próprio corpo humano.

Nós não nos damos conta de que podemos cortar qualquer coisa de nossas vidas, a qualquer momento, num piscar de olhos.

Descartar tudo que não é necessário é o segundo princípio da arte da espreita.

O primeiro princípio da arte da espreita é que os guerreiros escolhem seu campo de batalha.

Não é que, à medida que o tempo passa, o guerreiro aprenda xamanismo; antes, o que ele aprende enquanto o tempo passa é economizar energia. Esta energia vai capacitá-lo a manipular alguns campos de energia que são normalmente inacessíveis a ele. Xamanismo é um estado de consciência, a capacidade de usar campos de energia que não são empregados para perceber o mundo cotidiano que conhecemos.

Roda do Tempo, de Carlos Castaneda - download AQUI

2012: Não haverá nenhum cometa assassino, Nibiru ou Planeta-X

domingo, 2 de outubro de 2011

Tendo em vista os diversos alertas e notícias falsas sobre tragédias a ocorrer no ano de 2012 alegando o suposto ‘fim do calendário Maia’ em 2012, vamos postar uma série de artigos para desmistificar esses cenários apocalípticos impossíveis. Primeiro falaremos sobre a suposta vinda do alegado cometa de 2012.

2012: No Comet (2012: Não Haverá Cometa)

Tradução do artigo escrito por Ian O’Neill na Universe Today em 21 de dezembro de 2008

http://eternosaprendizes.com/2009/01/12/2012-nao-havera-nenhum-cometa-assassino-nibiru-ou-planeta-x/

Impacto de cometa na Terra

De acordo com os defensores do apocalipse em 2012, algo bem grande chegará até nós. Por “algo grande” quero dizer uma entidade cósmica incontrolável (por exemplo: o Planeta X, Nibiru ou uma tempestade solar “assassina”), e por “nós” me refiro a todo o planeta Terra. Dar apoio a cenários apocalípticos em 2012 baseando-se no antigo calendário Maia parece estar tomando velocidade entre autores, sites web, documentários e (pessoalmente meu favorito) os vídeos no Youtube. De acordo com eles, algo de mal se sucederá em torno da data de 21 de dezembro de 2012. Provavelmente a diferença mais interessante entre os cenários apocalípticos de 2012 e as profecias apocalípticas do passado é que quase todos os possíveis portadores do apocalipse (e os impossíveis… ou implausíveis) se auto-proclamam assassinos do planeta.

Por isso, neste artigo vamos abordar outro cenário apocalíptico astronômico, passaremos em revista a teoria de que um cometa atualmente vindo do espaço profundo fará sua lenta aproximação final em sua órbita parabólica até a Terra. Mas, antes que você fique preocupado, alegre-se em saber que a teoria do impacto cometário em 2012 é tão sólida como um saco vazio – não existe nenhum objeto observado lá fora e certamente não existe nenhuma evidência sugerindo que poderá haver um impacto cometário em 2012…

Vejamos aqui a razão…

Vendendo o apocalipse

Em quatro anos a partir de hoje (21 de dezembro de 2012), o mundo chegará a seu fim de acordo com alguns indivíduos equivocados. Os apocalípticos sempre começam seus argumentos usando um antigo calendário (além de uma alta dose de Códigos da Bíblia, I Ching e antigas escrituras cuneiformes sumérias) para apoiar suas novas e engenhosas formas em que o mundo acabará. Desgraçadamente, a maior parte das teorias está baseada em má interpretação científica super promovida e simples mentiras. Normalmente há algum livro a venda ou algum site da web querendo se promover. Além disso, sabemos que não há nada mais rentável que o medo.



Antiga profecia maia (mistério) + má interpretação científica (mentira) = medo + potencial para ganhar dinheiro

É interessante destacar que Ian O’Neill começou a escrever para Universe Today há justamente um ano, exatamente cinco anos antes do dia final do calendário Maia. Embora tal fato trata-se de uma mera coincidência, essa data é propícia para escrever-se um artigo sobre o ano de 2012 expondo os mitos em volta dessa idéia.

Provavelmente você dever ter visto a proliferação de anúncios do “Cometa de 2012″ em um amplo conjunto de web sites, assim decidi-me investigar esta teoria em particular para ver se há algo de verdade atrás das afirmações de que um cometa (ou “planeta-cometa”) está se aproximando da Terra em uma rota de colisão. Para encurtar uma longa história, posso dizer categoricamente que não há nenhum impacto cometário iminente. Qualquer acusação de sonegação de informação por parte do governo serve para esconder a ciência podre que citam os apocalípticos (igual a conexão Planeta X/Nibiru). Se realmente querem conhecer a história toda, continuem a ler…

Ameaça do cometa?

Antes de observar as afirmações por conta deste cenário apocalíptico, primeiro devemos estudar qual o risco do planeta Terra sofrer realmente um impacto de um cometa. Sabemos que a Terra já passou por choques e é praticamente certo que teremos novos impactos no futuro. Mas o horizonte está limpo por pelo menos algumas décadas para um novo cometa ou asteróide ofensor. De fato, os meteoróides em forma de pedaços de rocha são muito mais numerosos que os cometas gelados no sistema Solar. A Terra recebe impactos de vários meteoróides rochosos de tamanho consideráveis a cada ano (tomamos como exemplo o 2008 TC3, o primeiro impacto de meteoróide atmosférico previsto e que foi acompanhado).

A sonda da NASA Deep Impact pousou no comet Tempel 1 (NASA)

Embora raros, os impactos planetários por cometas realmente ocorrem. Como já nos demonstrou o cometa Shoemaker-Levy 9 em 1994 quando fragmentos de 2 km de diâmetro desse objeto bombardearam a atmosfera de Júpiter, não devemos ser complacentes ao considerar um grande evento de impacto por cometas ou asteróides. O deslumbrante espetáculo de luz do cometa Shoemaker-Levy 9 na realidade estimulou os esforços para incrementar as pesquisas no céu vasculhando-o em busca de possíveis eventos de impactos catastróficos. Embora já se tenha identificado um vasto número de objetos próximos à Terra (NEOs), um número muito pequeno de NEOs tem sido considerado como de algum risco.

Fragmentos do cometa Shoemaker Levy 9 em 17-05-1994

O asteróide de 270 metros de diâmetro 99942 Apophis provocou uma grande revolução em 2.006 quando se converteu no asteróide com maior valor na escala de Torino de perigo de impacto. Espera-se agora que Apophis passará de forma segura perto da Terra em 2.029, mas dependendo do desvio gravitacional provocado por a Terra em 2.029, Apophis poderá passar através de um “buraco de ferradura” gravitacional, criando outra possibilidade de impacto em 13 de abril de 2.036. Ainda assim, as possibilidades não merecem que sejam feitas apostas: você colocaria seu dinheiro em uma possibilidade de 1/45.000 de impacto do Apophis em 2.036?

Apophis será examinado minuciosamente em 2.029

Existem outros corpos rochosos vagando lá fora, mas estes são na maior parte benignos. Certamente esses objetos não são uma ameaça para a vida cotidiana em 2012. Não obstante, devemos ser conscientes de que os asteróides são uma ameaça muito real para a humanidade no futuro. Como resultado de este aumento na consciência, tem-se descoberto e rastreado outros NEOs. Objetos tais como o 2.007 VK184, um asteróide de 130 metros de diâmetro pode causar problemas em um futuro próximo, mas a probabilidade de impacto ainda é extremadamente baixa. Os astrônomos da pesquisa do céu denominada Catalina Sky Survey estimam umas poucas datas de impacto para 2.007 VK184, mas as possibilidades nunca superam o valor de 0,037% para impacto com a Terra nos próximos 100 anos. Outros asteróides estão sendo atualmente rastreados e podem causar certa preocupação dentro de um século (embora nenhum ultrapasse o nível 1 da escala de Torino, e se isso ocorrer, a tendência natural é que voltem a cair para o nível 0 – “normal”).

Para abreviar, os céus estão livres de quaisquer impactos iminentes (certamente nos próximos 4 anos) de um asteróide. Os cometas não trazem tampouco um risco significativo. Não há nenhuma evidência astronômica que apóie outra opção.

Esse cenário não impede que organizações tais como a Fundação B612 do ex-astronauta da NASA Rusty Schweickart de planificar possíveis ameaças futuras de asteróides/cometas. Embora os filmes de Hollywood tentassem nos convencer que era uma boa idéia apenas explodir um cometa com uma bomba nuclear, a Fundação B612 não está de acordo. De fato, tal ação poderá ser péssima idéia. O que temos que ter em mente quando lemos sobre estudos de NEOs ou técnicas de desvio de asteróides/cometas é que necessitamos um grande período de tempo antecipado para ter alguma esperança de desviar o possível evento catastrófico de impacto. Tal não implica em uma preocupação imediata, é simplesmente uma precaução para salvaguardar o futuro próximo de nosso planeta.

Será esse retângulo uma evidência de cometa? Planeta X? Nibiru? O que quer que seja? Estará esse vazio retangular no Google Sky escondendo algo?

A alegada conspiração do Google para o Cometa de 2012

Então, ao que tudo indica hoje, estamos a salvo de qualquer impacto astronômico. Isso não é o mesmo que dizer que não nos impactará um pequeno meteoróide. As grandes bolas de fogo têm ocorrido regularmente (lembrem-se do bólido de 21 de novembro no Canadá, e a mais recente bola de fogo em 6 de dezembro no Colorado, o maior desses fenômenos possivelmente foi causado por um meteoróide rochoso de 10 toneladas). Tampouco é como dizer que não descobriremos mais NEOs em curso nos próximos quatro anos (poderíamos, em tese, descobrir um objeto ameaçador amanhã), mas o ponto é que não existe hoje absolutamente nenhuma evidência de que um impacto cometário que acabe com nossa civilização terá lugar justamente em 2012. Qualquer afirmação em contrário é totalmente infundada.

Então, por que vemos tantos anúncios tratando de vender a teoria do “Cometa de 2012? Até onde posso dizer, está baseado em provas muito tênues. Então, vamos então acessar o aplicativo Google Earth para ver onde está o problema…

Se você tem instalado o Google Earth em teu computador pessoal, você ganhou a capacidade de olhar “acima” também, não só para a superfície da Terra. Mudando o software para observar o céu noturno, podemos ver as constelações e o programa nos guiará em uma deslumbrante viagem pelo o universo observável. Apesar desta sobrecarga de informação, o Google estaria escondendo algo de nós? Esta organização baseada em um descomunal motor de busca está tentando ativamente ocultar-nos as observações de um cometa que se dirige para nós?

Oriente o Google Earth para RA:5h 54m 00s, Dec: -6° 00′ 00″ e execute o zoom. Se você não tem o Google Earth, esta região pode também ser encontrada na versão on-line do Google Sky. Você verá então um espaço vazio retangular (também conhecido como a “Anomalia de Google” nas imagens celestes), justamente ao lado da Nebulosa de Orion, ao sul do Cinturão de Orion.

Nota: a constelação de Orión e conseqüentemente a “Anomalia de Google” estão em uma posição muito conspícua do céu noturno, observável com facilidade nos hemisférios norte e sul.

Este vazio é só aparente ao observarmos os dados óticos. Se você alternar o conjunto de dados para o estudo de microondas realizado pela Sonda de Anisotropia de Microondas Wilkinson (WMAP) encontrará este vazio preenchido com dados.

Da mesma forma, os dados infravermelhos também cobrem essa região bastante bem, como podemos observar na imagem abaixo:


Usando a ferramenta Google Sky para consultar as pesquisas óticas, de infravermelho (IRAS) e de microondas (WMAP). Nota-se aqui que a anomalia não aparece nem em infravermelho nem para micro-ondas...

Usando a ferramenta Google Sky para consultar as pesquisas óticas, de infravermelho (IRAS) e de microondas (WMAP). Nota-se aqui que a anomalia não aparece nem em infravermelho nem para micro-ondas...

Então, a teoria da conspiração afirma que o Google está ocultando observações de um cometa que se aproxima. Mas existe outra alternativa para a teoria de conspiração do cometa: o cometa também é conhecido às vezes como o “planeta-cometa” e assim seria um candidato a Planeta X (mas eu pensava que o Planeta X era um candidato a anã marrom?). Sim, o Planeta X seria causa raiz de todos os cenários apocalípticos…

Tentarei resumir a seguir o tema do Planeta X de forma breve:

1) Os dados do observatório orbital IRAS

O planeta X? Essa é uma imagem comum nos sites web sobre o Planeta X. É este o tal Planeta X ou simplesmente uma galáxia jovem? (fonte possível: NASA)

O Satélite Astronômico Infravermelho (IRAS) foi um telescópio orbital que durou apenas 10 meses em 1.983. Realizou uma pesquisa em infravermelho de todo o céu, dando como resultado algumas fantásticas observações de galáxias jovens ultra-luminosas e de “cirros” intergalácticos. Não obstante, antes que estes objetos fossem identificados formalmente, a mídia, em particular o Washington Post, apontou que alguns destes objetos poderiam ser o legendário Planeta X, nas imediações do nosso Sistema Solar. Esta é uma das teorias chave que os apocalípticos citam como o fato de que o Planeta X existe. Usando uma lógica duvidosa, vários autores afirmam que estas observações iniciais demonstram que o Planeta X é, de fato, o planeta sumério “Nibiru”. Nibiru é por tanto uma anã marrom. Nesta teoria, morte e destruição se seguirá rapidamente, incluindo a aparição de uma raça alienígena conhecida como Annunaki (nossos ancestrais alienígenas) que querem que a devolução para eles do planeta. Isto soa como maravilhosa ficção científica, mas sem nenhum embasamento em fatos científicos.

Então será este “cometa de 2012″ realmente o tal Planeta X? Se é assim (passando por alto o fato óbvio de que um cometa não é um planeta e muito menos uma anã marrom), por que a Anomalia de Google só é uma mancha em dados ópticos? Se Google e a NASA estão tentando ocultar as provas de um “cometa” (eliminando uma região de dados óticos), certamente eles também teriam removido os dados de IRAS? Em qualquer caso, os dados de IRAS não mostram mesmo nenhum objeto na região da tal anomalia (confira no pequeno retângulo à esquerda da imagem, na parte inferior). Além disso, por que o Google deixaria uma janela tão óbvia nos dados ópticos, quando os mesmos poderiam ter sido eliminados apagando o tal suposto objeto “planeta-cometa” do conjunto de dados?

A conclusão é clara: a anomalia de Google é de fato causada por dados perdidos, pura e simplesmente. Não há ali nenhum cometa, é simplesmente causada devido à falta de dados, e tal não demonstra a existência de algo sinistro.

2) Olhe para cima!

Se você necessita de algo mais para convencer-se de que a teoria do “cometa/Planeta X de 2012″ é uma completa estupidez, pense na posição proposta para este cometa. A região do céu relacionada com a anomalia de Google está bem visível para a maior parte do planeta ao longo do ano, dado que esse retângulo está situado na constelação de Orión, justamente na vizinhança de algumas das estrelas e nebulosas mais conhecidas e estudadas (exemplos: Nebulosa da Cabeça do Cavalo e Grande Nebulosa de Orión). Se alguém tem suspeita sobre a anomalia de Google, por que não olhar diretamente por si mesmo? Os astrônomos amadores têm acesso a equipamentos óticos muito avançados, assim creio que se houvesse alguma suspeita do “planeta cometa” na região, esse objeto já sido observado (sem a ajuda do Google Sky).

Conclusão final

A verdade é que a teoria de a conspiração sobre o Planeta X é errônea, mas a teoria do cometa de 2012 é ainda pior. As possibilidades de que um grande planeta passe através do Sistema Solar interior em 2012 são as mesmas de as de um impacto cometário nessa data: nenhuma.

Não podemos prever o futuro, e nenhuma profecia antiga jamais apontará a existência de um cenário astronômico moderno de “fim do mundo”. Estou seguro que 2012 será um ano significativo por razões espirituais e religiosas, não estou debatendo isso. Não obstante, que os apocalípticos usem a ciência moderna para demonstrar suas criações apocalípticas imprecisas para seu lucro pessoal não só é somente irresponsável, mas também danoso para a nossa sociedade.
Perguntas e respostas sobre o mito de Nibiru e o fim do mundo em 2012

Leia também: O mito de Nibiru e o fim do mundo em 2012 por David Morrison

Committee for Skeptical Inquiry (inglês): The Myth of Nibiru and the End of the World in 2012

David Morrison é cientista do Instituto de Astrobiologia da NASA, onde, entre outras responsabilidades, responde as perguntas recebidas via internet “Pergunte a um astrobiólogo“. Morrinson é membro do Comitê de Investigação Cética (CSI – Committee for Skeptical Inquiry) e autor de numerosos livros e artigos. Morrison é um dos homenageados com a Medalha Carl Sagan da Sociedade Astronômica Americana por suas contribuições à compreensão pública da ciência.

Fontes e referências:
AstroPT: 2012 – Fim do Mundo