A música de Terry Oldfield

quarta-feira, 27 de março de 2013


Discografia(torrent) AQUI


O mundo interno do ocultismo

sexta-feira, 22 de março de 2013

Para os iludidos de plantão, otários contumazes, gado marcado que acham que uma troca de nomes altera alguma coisa na corporação mais antiga do mundo - Igreja Católica (Vaticano) e que não aprenderam absolutamente nada com o assassinato de João Paulo I, que não entenderam que um presidente negro nos EUA não alterou absolutamente nada na política externa belicosa dos EUA e que nem se quer entenderam ou se quer conhecem o último discurso de Kennedy antes de ser assassinado:


Acordem!

Autor de arquivo X "profetiza" o 11 de setembro meses antes do atentado.

quinta-feira, 21 de março de 2013

E eu é que sou o "conspiranóico"...

Prosperidade

quarta-feira, 20 de março de 2013

Agradecer e retribuir são duas faces da mesma moeda, a moeda da prosperidade - F.A.

Feliz Ano Novo (Ritual com o Tarot) e Equinócio de Outono


Não, não, não estamos malucos, apenas trabalhando fora dos paradigmas vigentes...rs. Aceitam um pouco de blá...? Então vamos lá!

O Tarot é um jogo de auto-conhecimento. Ele prevê o futuro, o futuro como uma conseqüência de nossos atos passados e presentes. Nossos atos são conseqüência do que sentimos e pensamos. Assim o que sentimos e pensamos é a causa original de nosso futuro. Se não conhecemos o nosso futuro é porque não conhecemos o que se passa dentro de nós. O que ocorre fora de nós acontece antes dentro de nós. O exterior é reflexo do interior. “O Todo é Mente”. Se queremos mudar o futuro precisamos mudar a nós mesmos e a nossa forma de interagir com o mundo. O Tarot é um espelho para entendermos a nós mesmos dentro da realidade do dia a dia. Nós criamos a nossa realidade. Se criamos a realidade e não estamos conscientes disso somos como o Louco, o arcano zero. Se começamos a nos tornar conscientes de nossa capacidade criativa nos tornamos aprendizes da Magia do Tarot. Lidar com o Tarot é adentrar ao mundo do Mago que transformará seu próprio mundo num universo de magia a partir do entendimento, da observação e da arte simbólica, na busca da consciência plena de si.

O Tarot é um caminho para a transformação do ser, que está buscando tornar-se plenamente consciente de si através da observação do que acontece dentro e fora de si, através de seus arcanos, que são chaves interpretativas da realidade.

Uma forma de abordagem do Tarot, que intuí, é colocá-lo em forma de 13 cartas, uma para cada Lua do Ano astrológico que se inicia, onde temos também o Equinócio de Outono entrando oficialmente as 8:02 am de 20/03, e encarar cada arcano que sai não só como uma previsão mas como uma lição que temos que aprender e desenvolver em nós mesmos. 13, porque treze é o número da transformação e porque tal contagem de tempo nos coloca em sintonia com o tempo natural e lunar, favorecendo a sincronicidade em nossas vidas. Ao retirar uma carta devolva-a ao baralho e volte a embaralhar, caso alguma carta se repita isso indica que temos que trabalhar mais aquele aspecto em nossa vida. Os arcanos maiores indicarão mudanças estruturais (internas) e os menores alterações conjunturais (externas).

Trabalhe com cada arcano em seu devido tempo, não desenvolva uma visão de futuro para todos os arcanos quando fizer tal jogo, apenas deixe que eles se estabeleçam em você sem se preocupar em desvendar o que ocorrerá nas próximas Luas. Deve-se fazer um diário de acompanhamento de todo o processo, conectando os eventos, percepções e sonhos de cada uma das 13 Luas com o arcano correspondente. Se nosso esforço for sincero e contínuo colheremos muitas bênçãos de conhecimento e sincronicidade, assim perceberemos que temos um guia abstrato e invisível que fala conosco através do Tarot, chegará um momento que poderemos falar com esse guia diretamente, porque esse guia é o próprio espírito em nós, que está expresso simbolicamente no arcano 5 do Tarot, é o nosso mestre secreto e interior, que reside no pentagrama vivente que é o ser humano.

Esse será um trabalho de introspecção e interiorização, onde a energia se direciona para a raiz, para o ser interior. Lembremos que no Equinócio de Outono, dentro do Paganismo e dos cultos que celebram a Terra, temos a época do fim da colheita ou Mabon, época de agradecer e meditar nas bênçãos recebidas, buscar o conselho dos mais velhos, de nossos ancestrais e vibrar pela harmonia no Amor, pela Cura, pela exterminação do mal e pelo afastamento de todos os empecilhos a nossa auto-realização. Nessa fase o Deus prepara-se para morrer. É inevitável para nós ligarmos isso a força de Omulu e de Nanã, existente no xamanismo afro-brasileiro. Apesar de termos, culturalmente, uma visão negativa da morte devemos compreender que se a semente não morre, ela não pode frutificar, assim a força da morte é uma das forças da vida.

Podemos celebrar rituais adequados, dentro do caminho de cada um, para nos sintonizamos com a freqüência de cura e transformação dessa estação da Terra. Entrar na sintonia da Terra é fundamental em qualquer caminho pagão e/ou xamânico.  Podem ser acesas velas pela casa nas cores verde, marrom, amarela e roxa. Usa-se incenso (ou essência) de mirra ou cravo ou limão. Podem ser feitos bolos de milho, cenoura ou nozes, bem como pipocas. Músicas que podem ser tocadas durante o rito são:

Outono das 4 estações de Vivaldi
Sentinela do Milton Nascimento.
Grão, de Gilberto Gil
Cio da Terra, Milton Nascimento
Amor de Índio, Milton Nascimento
Terra, Caetano Veloso
Gracias a la Vida, Mercedez Soza
Canto della Terra, Andrea Bocelli

Feliz Ano Novo Astrológico e Excelente Equinócio de Outono!
F.A.

Sobre a origem do mal


Aloha!

Vou responder dentro da linha de xamanismo que estudo, como toda resposta para assuntos tão amplos é apenas um ponto de vista, uma abordagem.

O Xamanismo Tolteca considera que não há mal nem bem, isso é criação humana, há apenas energia impessoal, que em nosso condicionamento damos forma.

Como diz o velho nagual, existe a estupidez humana e esta estupidez tem uma sinistra conexão com a morbidez, o que gera muitas vezes atitudes do ser humano que podem parecer MAL, mas são apenas atitudes de desequilíbrio.

Para várias linhagens não há Mal, há "Avidyã" ignorância, isso gera o que chamamos de MAL.

Um Hitler, um Himmler podem parecer arautos do mal, mas se formos avaliar suas vidas, suas idéias, suas propostas, veremos pessoas confusas, com vidas pessoais em crise, presas na velha armadilha, dominar a tudo e a todos, acreditando que o fim justifica os meios.

Essa idéia de "Deus criou" não existe no Xamanismo, o Xamanismo não trabalha com estas idéias de um Deus criando , temos outra abordagem, tudo que existe "emanou", emanou de uma Fonte, que está hoje em tudo, assim não temos essa divisão das religiões: isto é divino e sagrado, isto é profano.

Para nós tudo é sagrado, tudo é mágico, tudo é maravilhoso.

O corpo não é inferior ao espírito, o espírito não é superior ao corpo, são duas faces da mesma moeda, todos os aspectos de um ser são importantes, sem trabalhar profundamente o corpo e o corpo de energia juntos não atingimos a meta da liberdade, assim não há superior, inferior, isto tudo é criação da mente humana.

Deus é só um conceito do Tonal dos tempos, não podemos chamar o Tao de Deus, nem a Fonte que o xamanismo se refere de Deus, nem tão pouco comparar a Deusa do Paganismo com esse conceito de Deus que anda por aí, pois esse conceito de Deus tem uma historicidade, aliás péssima.

Se um ET chegasse agora na Terra e fosse estudar a história conhecida humana (conhecida porque há outras histórias que não são contadas) com certeza definiria Deus como o Mal e teria pena do Diabo, pois o Diabo é sempre perseguido e caluniado, mas quantas guerras e atrocidades foram feitas em nome de Deus?

Desde Hitler a Bush, estes loucos militaristas que usam das armas para compensar suas impotências existênciais, sempre usam o nome de Deus e se consideram seus "agentes".

O Xamanismo está diretamente ligado a natureza e como o Budismo nem se preocupa com o conceito de Deus, considera que primeiro temos de trabalhar nós mesmos, resolver nossas questões existenciais pessoais, para depois irmos questionar sobre outras coisas mais amplas.

Temos um elo de conexão com a Eternidade, esse elo está enferrujado, precisamos trabalhar arduamente para limpar esse elo e só então vamos poder começar a conceber o que é essa Fonte da Qual emanamos e a qual vamos voltar ao final da vida.

Assim, essa pergunta carece de sentido no xamanismo, pois para o Xamanismo este Deus criador é o deus do conquistador, que foi imposto por armas e ameaça, por tortura e morte, assim é de triste figura, esse deus fora do mundo, que culpa, que castiga, que julga, que gera medo.

Para o xamanismo esse deus existe na cabeça das pessoas porque quando crianças sempre temos adultos por perto nos protegendo, basta gritar e vem alguém ajudar, depois, crescemos e notamos que nossos pais não são tão onipotentes assim, a tremenda carência que isso gera é superada por poucos, poucas pessoas amadurecem e assumem nossa solidão e efemeridade frente a Eternidade, a maioria cai em sucedâneos, como Deus.

E as religiões, que precisam de gente para manter seus dirigentes com poder, precisam do jogo "se não está comigo, está contra mim" e se "comigo " é deus, então "contramigo" é o demo, o "mal", o "bicho papão".

O Xamanismo diz, na Eternidade existe apenas energia impessoal, nossos medos, nossos condicionamentos é que transformam tudo isso em demônios, monstros, quando perdemos a forma humana, quando vamos além destes condicionamentos, percebemos fatos, não fantasias.

Os Xamãs Toltecas alertam que nossa crença neste deus das religiões é uma das coisas mais inúteis que existem, dedicamos porções imensas de energia a algo que não existe em si, é só uma convenção humana, e estar atento é conseguir parar de dizer frases do tipo "graças a Deus", "meu deus" e coisas do gênero, pois tais dizeres implicam que nossa mente ainda está presa no condicionamento desse deus das religiões que é algo que sabota nossa totalidade, pois todos os conceitos desse deus foram gerados para levar o ser humano a ser algo menor do que ele é.

Por isso, "mal" é apenas mais uma interpretação da mente humana, precisamos é ir além desses limites e entender que existe energia impessoal.

Nuvem que passa

Quem consome quem?

sexta-feira, 8 de março de 2013